A Banda dos Corações Partidos lança novo single com Jaque Barroso

0
Single conta com participação de Jaque Barroso e parceria de Edézio Aragão e Mariana Aragão (Foto: Facebook/A Banda dos Corações Partidos)

Sexta, 18 de setembro, foi o dia escolhido pela A Banda dos Corações Partidos para o lançamento do seu novo single, ‘Faz Casa’, uma parceria de Edézio Aragão e Mariana Aragão. A música conta com a participação de Jaque Barroso e este convite se deu de forma bem natural. Jaque, que também desenvolve um trabalho autoral dos mais interessantes, participou do show da Corações em 2019 e aí ficou impossível de pensar a canção sem a sua voz e interpretação. O lançamento será apenas no mundo digital, onde a canção ficará disponível em todas as plataformas de streaming, mas também com opção para download.

Sobre ‘Faz Casa’, Edézio conta que “foi composta por volta de 2011 e é uma espécie de oração, um mantra, algo já próprio da poesia de Mariana Aragão, cuja escrita me foi compartilhada quando namorávamos. Sempre fui muito fã de sua escrita, e quando me debrucei em várias de suas poesias, ‘Faz Casa’ me tomou de assalto. É um tipo de haikai, tinha a precisão e síntese do cuidado, do amor e da beleza. O tema foi composto em tom menor e uni elementos que gosto imensamente; uma sequência bem melodiosa na tradição do cancioneiro popular, só que com uma variação de semitons da harmonia no final do ciclo, que pesquei do universo do Radiohead, como na música “True Love Waits”, que ouvi na internet, dessas gravações caseiras antes de ser lançada em álbum. Algo que também abria para elementos orientais, que na versão acústica fazia com a voz, e na versão com banda, o arranjo de teclados feitos por Leo Airplane, sugeria e expandia para outros caminhos. No chão, uma dinâmica rítmica dançante, no caso, um ska à lá ska cubano, que na época ouviu muito. Enfim, uma canção brasileira que vem à tona através da ótima versão da Banda dos Corações Partidos, interpretada por Diane Veloso, em um momento singular de pandemia, em que todos fomos forçados a reinventar a ideia de casa devido a necessidade de isolamento físico.”

Trazendo quase que um conselho, dando colo, acolhendo, propondo cuidado, beleza e silêncio, Mari muito bem descreve: “Quando essa poesia foi feita, estava imersa num momento de construção do amor. Do desejo de compartilhar vida, teto, sonhos, silêncios. Do construir junto, do poder silenciar com tranquilidade e confiança, fechar os olhos sem ter medo. Adormecer sem ter medo. Se permitir sonhar. A casa enquanto espaço de expansão, o solo bom que sustenta e nutre o voo. Também fala do amor próprio, de se saber casa, de se criar chão e ter coragem pra caminhar na vida, realizar, fazer, construir a si mesmo. Aquietar, se ouvir, ouvir os sons de dentro e de fora, sentir o que cresce, cultivar.”

PRÉ-SAVE Disponível  AQUI  (https://linktr.ee/abandadoscoracoespartidos)
Para download clica em AQUI  (Disponível apenas na sexta, 18)
Fonte: Assessoria de Imprensa 

Comentários