A Passagem

0

(Stay). EUA, 2006. Direção de Marc Forster. Roteiro de David Benioff. Produção de Eric Kopeloff e tom Lassaly. Música de Asche e Spencer. Direção de Fotografia: Robert Schaefer. Desenho de Produção: Kevin Thompson. Direção de Arte: Jonathan Arkin. Edição de Matt Chefesse. 99min, 14 anos. Cia. Produtora: New Regency Pictures, para a 20th Century Fox Corporation. Distr. no Brasil: Fox Filmes. Elenco: Ewan MacGregor, Naomi Watts, Ryan Goslin, Bob Hoskins, Elizabeth Reaser, Noah Bean, isaach de Bankolé, Michael Gaston e Jeanne Garofalo.

 

Gênero: Drama/Suspense.

 

Sinopse – Sam Foster é um psicólogo que trabalha numa prestigiosa universidade americana. Certo dia um de seus jovens pacientes o procura para dizer que planeja cometer suicídio em breve. À medida que Sam estuda o caso, o rapaz começa a fazer estranhas e terríveis profecias que se realizam. Aterrorizado, Sam tenta ajudar seu paciente e impedir o suicídio de todas as maneiras, mas acaba se envolvendo numa misteriosa jornada.

 

Apreciação – Exibido há uns três meses no Rio e São Paulo, sem muita ressonância nas bilheterias, chega até a estranhar que de fato tenha obtido lançamento em Aracaju. Mas, aí está o novo filme do diretor Marc Forster, o terceiro de sua carreira. Os dois primeiros, embora de gêneros inteiramente diferentes – “A Última Ceia” e “Em Busca da Terra dos Sonhos” – foram ótimos filmes. Este agora apela mais para o sentido psicológico. Dizem também que é um ótimo filme, embora mais difícil do que os dois anteriores. Foi exibido com relativo sucesso no Festival do Rio do ano passado

 

Fique de Olho – Em dois nomes do elenco de apoio: Isaach de Bankolé e Jeaneane Garofolo. O primeiro é um dos mais importantes atores negros da França. A segunda teve tudo para se tornar uma estrela em Hollywood. Faltou um componente: sorte. Mas ela é ótima atriz.

 

Comentários