Funcap lança exposição para homenagear a feminista Lélia Gonzalez

0
A exposição fica aberta ao público até o dia 9 de junho (Foto: Ascom/Funcap)

O Governo de Sergipe, por meio da Fundação de Cultura e Arte Aperipê de Sergipe/FUNCAP, lança no dia 10 de maio, às 10h, a Exposição intitulada “Lélia Gonzalez – O Feminismo Negro no Palco da História”, no Corredor Cultural Wellington Santos, ‘Irmão’. O objetivo do evento é trazer uma exposição literária, onde o público tenha entendimento da importância da arte e da educação, tendo como propósito principal a discussão através da leitura. A curadoria do evento é de Jane Junqueira e Sandra Sena.

Educadora, ativista e intelectual de destaque, Lélia Gonzalez contribuiu para a formação de uma consciência crítica em relação aos preconceitos que mantêm mulheres negras em desvantagem na sociedade. Uma das pioneiras do feminismo negro no Brasil, marcou presença no Estado de São Paulo, em diversos encontros. Um deles, o Ato Público de 1978, que deu origem ao Movimento Negro Unificado (MNU), do qual foi uma das fundadoras e participou de suas atividades, até o ano de 1982. Trabalhou para a análise dos preconceitos contra as mulheres negras e as desvantagens delas na sociedade.

Nascida em Belo Horizonte (MG) Lélia Gonzalez colocou sua intelectualidade a serviço da luta das mulheres no Brasil. De origem pobre, ainda jovem, trabalhou como babá. Graduou-se em História e Filosofia, passando a lecionar na rede pública de ensino e, posteriormente, já na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), lecionou Antropologia e Cultura Popular Brasileira, chegando a ser a Diretora do Departamento de Sociologia e Política. Lélia Gonzalez morreu aos 59 anos, no Rio de Janeiro, em 10 de julho de 1994.

A exposição fica aberta ao público até o dia 9 de junho, pode ser visitada das 8h às 17h, sem intervalo para o almoço. O Corredor Cultural Wellington dos Santos, ‘Irmão’, está situado na Rua Vila Cristina, 1051. Bairro 13 de Julho – Aracaju/SE.

 

PROGRAMAÇÃO DE ABERTURA

10h – Abertura

10h20 – Performance da Professora e Coreógrafa Cleanis Silva Mamet’u Ancestralidade Africana-Brasileira,  com participação de Marcos Sorokê – Coletivo de Ekedes e Ogãns do Estado de Sergipe.

10h40 – Declamação das poetisas Vera Vilar e Gilda Costa.

Fonte: Ascom/Funcap

Comentários