Quando um estranho chama

0

(When a Stranger Calls). EUA, 2005. Direção de Simon West. Roteiro de Jake Wade Wall. Produção de John Davis, Wyck Godfrey, Ken Lemberger. Direção de Fotografia: Peter Menzies Jr. Desenho de Produção: John Gary Steele. Edição de Jeff Belancourt. Música de James Dooley. 87min, 12 anos. Cia Produtora: Davis Entertainment, Screen Gems. Distr. no Brasil: Columbia Pictures. Elenco: Camilla Belle, Tommy Flanagan, Tessa Thompson, Brian Geraghty, Clark Gregg, Derek de Lint, Kate Jennings, David Denman, Arthur Young, Madeline Carroll, Steve Eastin, John Bobek.

 

Gênero: Suspense

 

Sinopse – Numa remota casa no topo de uma colina, a estudante Jill Johnson se acomoda para uma noite comum como baby-sitter. Com as crianças adormecidas e uma bela casa a ser explorada, ela tranca a porta e liga o alarme. Mas, quando uma série de telefonemas sinistros de um estranho insiste para que ela “cheque as crianças”, Jill começa a entrar em pânico. O medo se transforma em terror, quando ela rastreia as ligações e percebe que elas estão vindo de dentro da casa.

 

Apreciação – O livreto para a Imprensa deste filme distribuído pela Columbia informa que ele é refilmagem de uma obra chamada “Mensageiro da Morte”. Eis meia verdade. “When a Stranger Calls” é refilmagem de produção de 1978, com o mesmo título em inglês e que passou no Brasil, no ano seguinte, distribuído pela United Artists, batizado como “Quando um Estranho Chama”. O título “Mensageiro da Morte” foi usado quando do lançamento em VHS, pela Tec Home Vídeo. O diretor daquela versão, Fred Walton, não teve muita sorte em Hollywood, mas “Quando um Estranho Chama” foi um dos seus melhores títulos. A versão de agora conserva a situação básica – uma babá numa mansão enorme cuida de um bebê e é aterrorizada por uma voz ao telefone – mas quer inserir algo de sobrenatural. O diretor é Simon West, o mesmo de “Lara Croft: Tomb Raider”, “Con Air, “Rota de Fuga” e “A Filha do General”, o seu melhor filme até hoje.

 

Fique de Olho – Na voz do estranho. Ela pertence ao ator Lance Henriksen, que não aparece em cena.

Comentários