“Psicanálise e o Social – As Entrevistas Preliminares”, por Yara Belchior

0

A entrada do sujeito em análise se dá pela transferência, mas antes que o sujeito entre na análise propriamente dita e autorizada, acontece um “tratamento de ensaio”, que advindo das práticas de Freud, corresponde em Lacan às “entrevistas preliminares”: “ Esta expressão indica que existe um limiar, uma porta de entrada na análise totalmente distinta da porta de entrada do consultório do analista”, explica Quinet em seu livro “As 4+1 Condições da Análise”, onde classifica as três funções das entrevistas preliminares: sintomal (sinto-mal), diagnóstica e transferencial. Convém observar que o que distingue as entrevistas preliminares ou o tratamento de ensaio da análise, é que embora as entrevistas preliminares tenham a mesma estrutura da análise, são distintas da análise porque nas entrevistas preliminares o que está em jogo neste tempo de diagnóstico, é a decisão do analista de aceitar ou não o sujeito em análise. Assim, além da escolha do candidato a analisando sobre o seu analista, é necessária também, a escolha, o consentimento do psicanalista para o início da análise e o que fez Lacan estabelecer como condição absoluta a seguinte frase: “Não há entrada em análise sem as entrevistas preliminares”. Retomando as funções das entrevistas preliminares, ou tratamento inicial segundo Freud, temos : 1º) A função sintomal (sinto-mal), que Lacan só estabelece como verdadeira se for uma necessidade explícita do sujeito de se desvencilhar de um sintoma enquanto sintoma analítico, sem que esteja em questão se o sujeito é ou não analisável, se vai ou não suportar as agruras do processo analítico, mas sim que a analisabilidade é função do sintoma e não do sujeito. Esta analisabilidade deve ser buscada para que a análise se inicie e transforme o sintoma do qual o sujeito se queixa em sintoma analítico, com o sujeito sendo instigado a decifrá-lo por ser um significado para ele que o levará a readquirir sua dimensão de significante. 2º) A função diagnóstica só tem sentido em análise, em função da direção da mesma, frisando-se com toda a atenção que os novos estudos da psicanálise apontam para a direção de estruturas não totalmente rígidas. Assim, o diagnóstico ficaria centrado no registro simbólico, concernente a sexo, morte, procriação e paternidade, que indicam detalhes da travessia do complexo de Édipo realizada pelo sujeito e seu modo de negação (um dos três) que corresponde às três estruturas clínicas : neurose, perversão e psicose. Observe-se, entretanto, a necessidade do psicanalista “esquecer” tudo o que sabe a cada análise, com todo cuidado na direção do tratamento e enquadramento do sujeito nesta ou naquela estrutura, visto que hoje as estruturas (estruturações) não são vistas como “a priori” rígidas, valendo o mesmo para a definição do tipo clínico do sujeito dentro da neurose (histeria ou obsessão). De qualquer modo, a análise precisa tomar uma certa estratégia de direção, recomenda Quinet, para que não fique desgovernada. 3º) A função transferencial das entrevistas preliminares é fundamental para que a análise se inicie. Esta transferência, contudo, não é motivada ou condicionada pelo analista, mas sim pelo analisando, que acredita que sua verdade, seu real desejo estejam já dados, apontados pelo psicanalista, que para o analisando, o psicanalista já os conhece de antemão. É, contudo, este “erro subjetivo” que fundamentará o processo de transferência vinculado, entre outros pontos, ao analista como Sujeito-suposto-Saber. A partir daí, então, a transferência já estará estabelecida, restando ao analista a autorização ou não para o início do processo de análise. Nos próximos artigos falaremos sobre a transferência e o uso do divã. Um bom dia para todos. * Yara Belchior é jornalista-Colunista; bacharela em Letras-Português/UFS, com Pós-Graduação em Psicanálise/UFS; Iridologia/AMI. yarabelchior@infonet.com.br Reprodução somente com autorização da autora

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais