Praia da Costa: Muros irregulares são derrubados

0
Muros de acesso à praia foram demolidos (Fotos: Portal Infonet)

O município de Barra dos Coqueiros deu início nesta quarta-feira, 14, a derrubada de muros e acessos edificados de forma irregular na Praia da Costa. A ação foi originária de decisão judicial proferida pelo Ministério Público Federal em 2005.

Representantes do MPF, da Superintendência do Patrimônio da União (SPU) e da Barra dos Coqueiros estiveram no local para o cumprimento da decisão. Uma retroescavadeira também foi utilizada para fazer as derrubadas.

De acordo com o ouvidor da Barra dos Coqueiros e representante da Comissão das Áreas de Preservação Permanente, Edson Aparecido dos Santos, os muros foram edificados em área da União. “Aqui hoje foi só a derrubada de muros e cercos já que esses acessos estão obstruindo a passagem de pedestres na praia. Esses muros estão em área da União e nós vínhamos avisando para que não fosse construído, mas o pessoal se vale do poder e acha que pode fazer de qualquer jeito”, informa.

Edson Aparecido afirma que todos os imóveis irregulares estarão passíveis de demolição

O presidente da associação de moradores da Ilha de Santa Luzia, Marcos Antonio Santos Cabral também esteve no local acompanhando a demolição. Ele se disse a favor da demolição, desde que se realize a padronização dos bares situados na localidade. “A associação é a favor da retirada desses muros que impedem às pessoas a praia desde que realmente eles concluam o nosso projeto que é a padronização dos 12 bares. Já temos um projeto pela associação e aguardamos a decisão do IBAMA e Adema liberar a área pra que os bares sejam padronizados”, diz.

Imóveis

Já os imóveis e bares situados na Praia da Costa foram todos mapeados e renumerados para se verificar os que foram construídos recentemente de forma irregular e os que estão vazios, servindo como casas de veraneio.

Segundo o ouvidor da Barra, Edson Aparecido dos Santos, o mapeamento das residências e bares serve para verificar quais imóveis estão de forma irregular e servindo de especulação imobiliária no município.

Imóveis foram renumerados 

Construçõs de acesso à praia foram demolidas 

“Já estamos chegando perto de 500 casas mapeadas e com o cadastro que começamos, vamos ultrapassar as mil casas. Queremos saber quantas serão realocadas e as que serão apenas demolidas. O cadastro está sendo feito de maneira isonômica e com essa numeração em mão vamos ter um retrato da Barra. Não estamos aqui para prejudicar os donos de bares, mas para evitar especulação imobiliária. Tem também casas com placas de aluga e essas pessoas não fazem parte do perfil social que queremos atender”, afirma.

A previsão do município é que todo o mapeamento dos imóveis seja concluído até o dia 23 deste mês. Após o mapeamento, o cadastro das famílias será entregue ao MPF, onde já está designada uma audiência que deve ocorrer dia 3 de fevereiro, para se definir o que será feito com os imóveis.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais