Sindijor presta solidariedade a Jornalistas da Infonet

0

(Fotos: Sindijor)

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Sergipe (SINDIJOR-SE) vem a público prestar solidariedade à equipe de Jornalismo do Portal Infonet, que foi agredida por um policial civil no momento em que retornava para Aracaju, após a produção de uma reportagem no interior do Estado, na manhã da terça-feira,3.

A equipe foi ameaçada quando realizava uma reportagem em dois municípios sergipanos. O episódio aconteceu pouco antes das 9h no município de Salgado, onde produzia uma matéria sobre Ítalo Bruno Araújo Fonseca, enteado do secretário de Estado de Segurança Pública e suspeito de ter abordado um taxista com armamento e anunciado assalto na última semana.

Ao estacionar o veículo na estrada, por determinação dos policiais que estavam em dois carros, a equipe foi surpreendida por um policial armado que ameaçou e tomou os aparelhos de telefone celular e a máquina fotográfica. O policial jogou a máquina fotográfica contra o chão, quebrando o equipamento. O policial suspeitava que a equipe jornalística o seguia.

A conduta do policial civil causa preocupação, pois este não é o primeiro caso em que um agente do Estado agride um jornalista. Há menos de um ano, a jornalista Sayonara Higia foi agredida por um policial militar durante uma manifestação. Essas ações deixam entrever que falta uma formação continuada aos policiais para que tenham um melhor trato, seja com os profissionais da imprensa, seja com os trabalhadores em geral.

O SINDIJOR, que foi recebido nesta quarta-feira,4, pelo secretário interino da Segurança Pública, João Batista, e pela corregedora da Polícia Civil, Teonice Alexandre, espera que as autoridades cumpram com o prometido: investigação transparente, rigorosa e punição do responsável.

O SINDIJOR, entidade de representação dos jornalistas em Sergipe, torce para que a atitude irresponsável de um policial não contamine o comportamento decente da maioria dos que fazem a Segurança Pública em Sergipe. Policiais agressores precisam ser punidos para que situações semelhantes não se repitam.

O jornalista tem um papel social a cumprir. E do nosso exercício profissional, com liberdade de atuação, sustenta-se a democracia, e disso não abrimos mão.

Fonte: Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Sergipe

Comentários