SOS Emprego cobra solução para assassinato de líder

0
Clodoaldo [ao centro de ólculos e chapéu] em mobilização por emprego a sergipanos na Temoelétrica (Foto: Arquivo Portal Infonet)

A Central Sindical e Popular – CSP-Conlutas e o Movimento SOS Emprego de Sergipe cobram agilidade na investigação do assassinato do líder do Movimento, Clodoaldo dos Santos Melo, conhecido como Barriga, crime ocorrido no final do ano passado. Em nota enviada à imprensa, as lideranças destes movimentos voltam a denunciar possível perseguição que outros líderes estariam sofrendo.

Na ótica das lideranças [que preferem não ser identificadas], a morosidade na conclusão das investigações se caracteriza como risco permanente a estas pessoas que atuam na defesa de emprego para a mão-de-obra local. Conforme a nota, continuam ocorrendo movimentações estranhas de veículos, carros e motos desconhecidos, em torno dos locais onde existe lideranças do Movimento SOS Emprego em Sergipe. “Na semana em que Barriga foi executado, a família notou a presença de carros rondando sua casa”, destaca a nota.

O crime aconteceu no dia 14 de dezembro no povoado Capuã, na Barra dos Coqueiros, e no dia 22 a Secretaria de Estado da Segurança Pública divulgou retrato falado do principal suspeito e também imagens de uma dupla ocupando uma motocicleta retratando o momento da fuga dos criminosos após o assassinato.

E, mesmo assim, o crime continua sem solução. “Mesmo com a divulgação do retrato falado de um dos suspeitos e do vídeo da fuga dos assassinos ninguém foi preso. Enquanto espera por respostas, os membros do movimento e suas famílias convivem com o terror de que as ameaças sofridas sejam consumadas. Mas ainda assim não se intimidam”, continua a nota.

Investigações sigilosas

A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública informou que as investigações estão avançadas, em fase de instrução, sob o comando da delegada Tereza Simony, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). Em nota, a SSP informa que a polícia continua ouvindo testemunhas e que todas as informações são mantidas em sigilo para não atrapalhar os procedimentos que estão sendo adotados para a elucidação do crime.

A SSP pede a contribuição da população, que podem enviar informações através do Disque Denúncia, ligando o número telefônico 181. É assegurado ao informante o direito de ter a identificação preservada.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais