Adolescente é assassinado e enterrado nas Mangabeiras

0
IML encontra perfurações de arma de fogo no corpo (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Mais uma pessoa foi assassinada e enterrada clandestinamente em Aracaju. O corpo do adolescente Ronaldo dos Santos, que completaria 17 anos no dia 20 de maio próximo, foi localizado numa cova clandestina numa região conhecida como Mangabeiras, próximo ao bairro Santa Maria, na capital sergipana. O adolescente possuía uma tatuagem em um dos braços, o que facilitou a identificação e o reconhecimento do corpo.

O desaparecimento de Ronaldo dos Santos estava sendo investigado pela 4ª Delegacia Metropolitana desde o final do mês passado. Três dias depois que o adolescente saiu de casa, a mãe procurou a polícia para denunciar o desaparecimento. A equipe de agentes da polícia civil liderada pelo delegado Marcos Garcia iniciou as investigações e não conseguiu pistas. A mãe revelou ao delegado que teria recebido a visita de um homem cobrando uma dívida de cerca de R$ 2 mil que teria sido contraída pelo adolescente.

Após a cobrança, veio a ameaça: caso a dívida não seja paga, o adolescente seria assassinado. “Fizemos diligências tentando localizar o cativeiro, mas não conseguimos êxito”, conta o delegado. Esta semana, a mãe voltou à 4ª Delegacia Metropolitana para informar que teria recebido uma ligação telefônica, confirmando o assassinato e que o corpo estaria enterrado na região das Mangabeiras.

O delegado voltou às diligências e designou uma equipe para fazer as escavações no local apontado. Na quinta tentativa, surgiu o mau cheiro e uma parte do corpo apareceu. “Mobilizamos o Corpo de Bombeiros que fez a escavação completa para remover o corpo”, conta o delegado. Há suspeita que o crime tenha relação com o tráfico de drogas. As primeiras investigações da polícia revelam que a vítima era usuária de drogas.

O corpo foi removido e chegou ao Instituto Médico Legal (IML) às 19h30 da segunda-feira, 6. Os exames preliminares do IML revelaram perfurações no corpo provocadas por arma de fogo. As investigações para identificar os motivos e os autores do crime serão realizadas pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais