FPI/SE apreende mais de 1400 litros de agrotóxicos

0
Os produtos foram lacrados pelos técnicos da FPI (Foto: ascom FPI)

A Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) apreendeu, somente em uma fazenda – grande produtora de frutas –  1.456 litros de agrotóxicos. Destes, 1.420 litros não tinham receita agronômica e 36 não possuíam autorização para serem usados naquela cultura. De acordo com a coordenadora da equipe, Paula Braz, todos os litros de agrotóxicos foram lacrados. Os técnicos também realizaram inventário do material. A ação ocorreu na quinta-feira, 28 de setembro, na região do Platô de Neópolis, município de Japoatã.

“A Emdagro lacrou todo material e o proprietário da fazenda ficou como ‘fiel depositário’. Ele tem 10 dias para recorrer”, informa Paula Braz. A coordenadora ressalta que os produtos encontrados estavam armazenados em local apropriado e que não houve registro do uso do agrotóxico no cultivo.

Propriá e Telha

Nos dois primeiros dias de atuação da FPI/SE foram localizados 160 litros de agrotóxicos de classe toxicológica vermelha – considerada a mais agressiva – nos municípios de Propriá e Telha.

A FPI ainda detectou o uso indevido da embalagem em fazenda localizada no município de Telha. Lá, as embalagens eram utilizadas para fornecer água e comida aos animais criados na propriedade.

Perigo do uso indevido

O mau uso dos agrotóxicos tem efeitos a médio e longo prazo sobre a saúde humana. Sintomas como dores de cabeça, alergias e problemas de pele têm ocorrido diariamente em milhares de pessoas em todo o mundo, que mesmo sem entrar em contato direto com estes produtos, acaba fazendo a ingestão de alimentos ou água contaminada por resíduos.

Coordenação Geral da FPI/SE

Coordenada pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual com apoio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), o Programa Continuado tem o intuito de proteger o meio ambiente natural e cultural da Bacia do Rio São Francisco e melhorar a qualidade de vida do povo da região, por meio de ações planejadas e integradas de conservação e revitalização.

Assessoria de Comunicação da FPI/SE

Comentários