Trabalhadores do SUAS fazem manifestação na Assembleia

0

Manifestantes fazem ato contra corte de 98% para a Assistência Social(Fotos: Portal Infonet)

Susana Resende, assistente social do Cras de Campo do Brito

Na manhã desta quinta-feira, 28, trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), paralisaram as atividades em Sergipe. Representantes da categoria se reuniram na frente da Assembleia Legislativa para protestar contra os cortes anunciados pelo Governo Federal.

De acordo com a assistente social de Campo do Brito, Susana Resende, o corte no orçamento acima de 98% inviabiliza a continuidade dos programas sociais. "Esse é um dos maiores projetos de assistência do país e esse corte vai afetar não só os assistentes sociais, psicólogos, mas principalmente a população mais vulnerável. O governo inviabiliza o enfrentamento da desigualdade social. Esse desmonte do SUAS é mais um dos inúmeros absurdos cometido pelo presidente ilegítimo do pais", comentou.

Na oportunidade os manifestantes, com o apoio da Deputada Estadual Ana Lúcia (PT), os manifestantes estiveram no plenário da Câmara, com o objetivo de solicitar o apoio dos deputados estuais.

A Ana Lúcia defendeu a luta e ratificou a importância do movimento.  “Hoje a assistência Social do Brasil Inteiro está parada. O CRAS, CREAS e Centros de Referências para População em Situação de Rua (Centro POP) atendem mais de 30 milhões de famílias. São mais de 160 mil pessoas protegidas nos acolhimento e esse congelamento de recurso pelos próximos 20 anos, ameaça à população pobre desse país" comentou.

Após as manifestações na Assembleia os trabalhadores do Sistema único de Saúde deixaram o plenário e seguiram em passeata pelas ruas de Aracaju.

Por Alcione Martins

Comentários