10 dicas para acertar no e-mail marketing

0

Falar em e-mail marketing é polêmica certa! Afinal, de acordo com o aclamado livro Socialnomics, a Geração Y utiliza e-mails em ritmo desacelerado, com uma migração maciça para as redes sociais. Ao mesmo tempo, nos Estados Unidos, a Direct Marketing Association (DMA) publicou um relatório afirmando que o ROI (Retorno sobre Investimento) desta forma de mídia foram esmagadores 4000%. E isto há apenas dois anos.

Só para se ter uma ideia, para cada US$ 1 investido em e-mail marketing, o retorno foi de US$ 41. Nada mal quando comparado aos US$ 22,24 do SEM e aos US$ 12,71 das mídias sociais.

Mas, se o relatório da DMA está certo, qual o motivo de alguns profissionais terem tanto receio em relação ao uso promocional do correio eletrônico? Uma das grandes vilãs, neste cenário, é a alta disseminação dos spams, que consistem naqueles (diversos) e-mails não solicitados que recebemos e que, assim como para nós, foram enviados a zilhões de outras pessoas. A maioria tem viés comercial e, neste caso, ganha até nome próprio: UCE, da expressão Unsolicited Commercial E-mail (“e-mail comercial não solicitado”, no português).

Eles são tantos, que até perco as contas de quantas vezes por semana perguntam se quero ganhar R$ 1 milhão na loteria, passar em um concurso ou perder peso de forma mágica. No mínimo, incômodo! E, consequentemente, indesejado. Como o Marketing se vale justamente do desejo do consumidor, para otimizar as chances de venda, lidar com uma mídia que está na lista negra de tanta gente gera lá os seus receios.

Porém, o que muitos profissionais ignoram é que, sim, é possível fazer e-mail marketing, sem se tornar um spammer (emissor de spams). Abaixo, seguem algumas dicas que preparamos especialmente para você, leitor da nossa coluna, incluindo adaptações do que recomenda o próprio Comitê Gestor da Internet no Brasil. Aproveite-as e bons negócios virtuais!

Dicas para aumentar o ROI do seu e-mail marketing (sem fazer spam):

1) Envie e-mails somente para quem os solicitou (ou seja, quem fez o chamado opt-in, que é a opção de integrar uma determinada lista de envios);

2) Não utilize listas de divulgação de terceiros. Esta prática é considerada invasiva e tem pouca aceitação, mesmo quando o dono do e-mail autorizou o envio de promoções;

3) Ainda que numa mesma empresa, não use mailings (listas de contatos) de um serviço para a divulgação de outro;

4) Envie conteúdo útil e de interesse para quem irá recebê-lo;

5) Se for enviar e-mail para listas ou fóruns de discussão, sempre respeite os temas e regras;

6) Seja assertivo no assunto do e-mail. Afinal, ele é o primeiro ponto de contato do internauta com a sua mensagem e fica sob a responsabilidade dele despertar – ou não – o interesse do receptor;

7) Sempre oferte o opt-out (ou seja, o opção de o internauta deixar de receber os seus e-mails);

8) Evite mensagens em imagem pura (JPG). O ideal é criá-las em HTML;

9) Evite excessos de informação. Textos enxutos e objetivos são a melhor alternativa para a web;

10) Trabalhe um design atraente, que estimule o internauta a ler a mensagem e que direcione estrategicamente a leitura da mesma.

Além disso, tenha em mente: se vai enviar e-mails marketing, faça-o sempre através de um bom software de disparo e gestão destas mensagens. Assim, você terá acesso a indicadores da ação (quantas pessoas a receberam, quantas a abriram, em quais links clicaram etc) e as condições minimamente necessárias para comparar os resultados efetivos com as metas traçadas antes do envio.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários