2 x 0 ou 1 x 1!

0

Nestes tempos de poucos encontros, encontrei um amigo, mascarados ele e eu, só para tornar difícil o reconhecimento, evitando assim a contaminação pelo vírus COVID-19, o responsável pelo maior desastre econômico, sem guerras, nem metralhas, muito excesso de borralha, por ciência, e de mortalha por consequência.

Borralha, porque nunca vi tantos especialistas do nada a estabelecer antolhos no ir e vir do cidadão, tolhendo-lhe a liberdade e o livre pensar, em feito só visto na história da humanidade, quando vigia o medo e a imposição do arbítrio, sem esperança de alívio e refrigério.

E em tanto despautério, com a morte brandindo sua foice inclemente, afiada via photoshop em virtual realidade, o noticiário a todos ameaça ainda, gritando: “Fique em casa!”

Porque aquele que ousar sair de casa sem máscara, não terá a alegria de ver o noticiário eivado de covas recém abertas, atrativas e receptivas, assim apresentadas, como bocas de dragão esfomeadas e insaciadas, querendo a todos engolir, frente ao desfile de ataúdes, sem carpição, prece e merecimento, e sem marcha fúnebre.

O funéreo continua ainda sem destoo, por conta da cavernosa voz do locutor em divulgação de mapa estatístico, atualizado com apuração temporal, por dia, hora ou centésimo de segundo, informando os acometidos pelo vírus, em cepas distintas e crescentes, os curados, sendo pouco exaltados, e os falecidos, enaltecidos e acrescentados, por variegada causa mortis, porque a morte, em qualquer sorte, mesmo de queda, gogo ou caganeira, melhor vingará por notícia se vier colocada na mesma leira da Covid, com os números de óbitos curtidos e espichados, convenientemente, pondo a culpa no Presidente Bolsonaro, o único que esfriou a cabeça em água fria, e não caiu na fria de exibir medo e covardia, preferindo preservar a nação e sua economia.

Mas, em pior demagogia, aqui não vale a frase tola vinda do norte: Aqui, não “é a economia, estupido!”

Aqui é o mundo “terraplanista”, seja lá o que for!, o que me faz lembrar de prévias do Almagesto, livro de Claudio Ptolomeu, e de Eratóstenes, medindo o raio da Terra, só por comparação de sombras entre Siena e Alexandria, a Sol a pino, ao meio-dia, o que nada interessa!

Eratóstenes comparou a sombra de objetos verticais à sombra ao meio dia ,em Siena e Alexandria ,de um mesmo Sol estival.

Melhor, todavia, é dizer que o Mito virou genocida, para muitos, inclusive no entendimento desse amigo que encontrei para grande alegria minha, sobrevivente, ele e eu, graças a Deus!

Mas, pergunto eu, se o Presidente Bolsonaro é um genocida, sem discussões, como se define um genocida?

Genocida é todo aquele que assim o é, só por desagrado?

Se é assim, que sejam modificados os dicionários, colocando-lhe o gosto, o mau gosto e o desgosto de cada um, enquanto postulado relativístico de má vontade.

Porque haja desgosto com a eleição do Mito!

Um mal palpito que se prenuncia em promessas de 2ª Época, porque, pelo que se fala e se diz, o Bolsonaro irá disputar as próximas eleições presidenciais com o seu melhor contendor: o Senhor Fernando Haddad, o candidato do PT!

Será uma disputa excelente!

Uma revanche!

Uma segunda oportunidade para que não haja novas reclamações, sobretudo desse meu amigo que reconfirmará diferente de mim: sua opção.

Mas, que paremos por aí, definitivamente!

E sem reclamações: 2 X 0 ou 1 X 1!.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais