20 de Outubro: Dia Nacional de combate á Sífilis

0

Anualmente, o terceiro sábado de outubro, é considerado o DIA NACIONAL DE COMBATE À SÍFILIS. É uma oportunidade para chamar atenção para a prevenção da doença, É também um dia de mobilização do poder público e da sociedade para ações que visem eliminar a sífilis congênita, considerada um dos maiores problemas de saúde pública. Dados preocupantes do Ministério da Saúde apontam que a sífilis é quatro vezes mais frequente nas gestantes do que o HIV. Estima-se que, a cada ano, 48 mil gestantes estejam infectadas pela doença no Brasil.
A Sífilis é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum e pode ser transmitida, principalmente, por meio de relações sexuais sem preservativos, de mãe infectada para o filho (durante a gestação e parto) e, mais raramente, por recepção de sangue infectado. Quando não tratada, a doença pode evoluir em estágios que comprometem desde a pele até órgãos internos, como coração, fígado e sistema nervoso.
Os primeiros sintomas da doença são pequenas feridas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas (ínguas). A ferida e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus. Podem surgir manchas em várias partes do corpo (inclusive mãos e pés) e queda dos cabelos. A doença pode ficar estacionada por meses ou anos, até o momento em que surgem complicações graves como cegueira, paralisia, doença cerebral e problemas cardíacos, podendo, inclusive, levar à morte.
Todas as pessoas sexualmente ativas devem realizar o teste para diagnosticar a sífilis, principalmente as gestantes, pois a sífilis congênita pode causar aborto, má formação do feto e/ou morte ao nascer. O teste deve ser feito no pré-natal (pelo menos dois testes) e no momento do parto (independentemente de exames anteriores).  É importante que, mesmo sem evidencias de sinais e ou sintomas, as pessoas sexualmente ativas procurem um serviço de saúde para a realização de exame de sangue para o diagnóstico precoce da sífilis.
A sífilis tem cura se tratada corretamente.  O tratamento da sífilis é diferente dependendo do estágio da doença e deve ser iniciado o mais rápido possível. .  O tratamento é feito com o antibiótico penicilina G benzatina. Recomenda-se procurar um profissional de saúde, pois só ele pode fazer o diagnóstico correto e indicar o tratamento mais adequado, dependendo de cada estágio.
A Sífilis Congênita
É resultante da transmissão da mãe para filho (transmissão vertical).  Neste caso, o bebê pode desenvolver alterações no esqueleto e nos dentes, aumento do fígado e do baço, feridas na pele, anemia, icterícia, rinite, feridas na boca e aumento dos linfonodos. Muitos nascem mortos ou morrem ainda na infância, devido à hemorragia pulmonar. Por isso, é importante fazer o teste para detectar a sífilis durante o pré-natal e, quando o resultado é positivo (reagente), tratar corretamente a mulher e seu parceiro. Só assim se consegue evitar a transmissão da doença. A sífilis congênita pode se manifestar logo após o nascimento, durante ou após os primeiros dois anos de vida da criança. Na maioria dos casos, os sinais e sintomas estão presentes já nos primeiros meses de vida. Ao nascer, a criança pode ter pneumonia, feridas no corpo, cegueira, dentes deformados, problemas ósseos, surdez ou deficiência mental. Em alguns casos, a sífilis pode ser fatal. Se o bebê tiver sífilis congênita, necessita ficar internado para tratamento por 10 dias. 
Prevenção da Sífilis
O uso correto e consistente da camisinha nas relações sexuais e o correto acompanhamento durante a gravidez são meios simples, confiáveis e baratos de prevenção contra a sífilis. Mulheres devem fazer exame para verificar se são portadoras da doença antes de engravidar. Se já estiverem grávidas, devem fazer o tratamento adequado para evitar que o feto seja infectado. O parceiro da gestante também deve fazer os exames no pré-natal e o tratamento correto. É importante também usar camisinha nas relações sexuais durante a gravidez.
Ações de Prevenção em Sergipe
Várias ações de prevenção serão intensificadas em Sergipe através da Secretaria de Estado da Saúde que estará fazendo o lançamento de outra campanha neste sábado, no mercado central de Aracaju, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju e o MOPS – Movimento Popular de Saúde. No domingo, dia 21 de outubro, pela manhã,  a equipe da Gerência Estadual de DST/Aids e parceiros, estarão realizando uma “Blitz da Prevenção” na orla de Aracaju. Durante a semana, algumas unidades de saúde de Aracaju realizarão ações educativas, principalmente junto às gestantes. Outros municípios, onde a situação da sífilis congênita é mais preocupante, também serão envolvidos na campanha. No dia 30 de outubro, o SESI – Serviço Social da Indústria  fará, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, o lançamento de uma campanha de prevenção específica sobre a sífilis, junto aos trabalhadores das empresas incentivando a realização do pré-natal pelos parceiros sexuais das gestantes.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais