2010 acabou

0

Embora no calendário ele ainda se arraste até 31 de dezembro, em termos políticos o ano de 2010 acabou domingo à noite, com a eleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Depois da disputada campanha nos Estados, os governadores, senadores e deputados eleitos querem agora comemorar o resultado das urnas e se preparar para a festa da posse, que acontecerá no dia 1º de janeiro do ano que vem. Até lá, auxiliares do governo estadual vão continuar despachando, enquanto aguardam o anúncio do próximo secretariado, torcendo para constar da relação dos novos escolhidos. Na Assembléia, o ritmo será de fim de feira, até porque o eleitor não está preocupado com os discursos que, por ventura, venham a ser proferidos no Legislativo, mas com os presentes de Natal e as festas do Ano Novo.

Quer sombra

O governador Marcelo Déda (PT) estará de férias na próxima segunda-feira. Antes fará exames médicos em Aracaju. Segundo a assessoria do petista, ele viaja inicialmente para Brasília, onde visitará os familiares da esposa Eloísa Aquino, seguindo depois para o Rio de Janeiro. A idéia do governador é descansar 10 a 15 dias fora do Estado. Quando retornar começa a discutir com os aliados sobre o novo secretariado.

Nova presidente

O deputado estadual Ulices Andrade (PDT) transmite, amanhã cedo, a presidência da Assembléia para a deputada Angélica Guimarães (PSC). Em seguida, renuncia o mandato para assumir como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. A posse do pedetista está marcada para às 11 horas e promete ser das mais concorridas. Ulices assume a cadeira vaga com a aposentadoria do conselheiro Antônio Manoel de Carvalho Dantas.

Sonhando alto

O prefeito de Capela, Manoel, Manoel Messias, o “Sukita” (PSB) se acha o máximo. Pois não é que, outro dia, ele disse que não é Jesus Cristo, mas duvida que alguém lhe aponte um defeito. O moço não nega que o seu sonho de consumo é a Prefeitura de Aracaju. Ele garante que por onde passa na capital “é uma febre. As pessoas me incentivam a disputar o cargo”. Como sonhar é livre, Sukita pode desejar o cargo, porém se botar a cara será crucificado nas urnas. Pode anotar!

Tirando onda

Derrotado nas urnas, José Serra (PSDB) terá que se acostumar com as ondas que os brasileiros vão tirar de sua cara. Ontem, em seu twitter, o governador Marcelo Déda (PT) mandou ver: “No São João de 2011, o sucesso da festa será o Forró Perde Serra”. Também andam dizendo que o PV votou em Dilma temendo que Serra devastasse a mata atlântica. Há quem garanta que politicamente o tucano pesa menos do que uma bolinha de papel.

Encontro de Juízes

Marcado para ocorrer em Aracaju, de 11 a 13 deste mês, o IV Encontro Nacional de Juízes Estaduais (Enaje) fará a alegria dos donos de hotéis, restaurantes, bares e lojas de artesanato. É que o evento vai atrair para a capital sergipana cerca de 800 juízes de todo o país. Como geralente eles viajam acompanhados pelas esposas, auenta o número de visitantes e, consequentemente, as reservas nos hotéis e as despesas no comércio local. 

Ovelha desgarrada 

O deputado estadual Venâncio Fonseca (PP) é um dos mais ferrenhos opositores do governo petista, mas o seu partido apoiou Dilma Rousseff e deverá fazer parte do governo federal. Como uma ovelha desgarrada, Fonseca deve continuar falando mal da administração estadual e torcendo o nariz para as futuras ações da sucessora de Lula na presidência. Coisas da política! 

Acordo fechado

O presidente do PT, Zé Eduardo Dutra, e  o vice-presidente eleito, Michel Temer, fecharam acordo para estabelecer um “rodízio” entre o PT e o PMDB na presidência da Câmara e do Senado. Os presidentes não definiram qual dos dois partidos ficará na presidência das duas casas no primeiro biênio. De acordo com Dutra, esta decisão será tomada posteriormente. “Vou conversar com os integrantes do PT e Temer vai fazer a mesma coisa no PMDB. Tenho certeza que vamos fechar este acordo em total harmonia”, disse o petista.

É com Dilma

A composição do próximo governo é de competência exclusiva da presidente eleita, Dilma Rousseff. Pelo menos é o que garante o presidente do PT, Zé Eduardo Dutra. “Essa questão está sendo feita por meio de conversas com diversos partidos, mas quem vai definir isso é a presidente eleita”. Dutra explicou que a equipe de transição não trata de questões relativas à composição. Ele será responsável pelas conversas com os partidos. “No momento, vou ouvir aquilo que eles [os partidos] entendem como importante para o próximo governo”.  

Do baú político 

Professor de desenho no ‘Atheneuzinho’, Napoleão Dórea era muito amigo do líder udenista Leandro Maciel. Quando este se elegeu governador de Sergipe, em 1955, o professor foi trabalhar no Palácio Olímpio Campos. Em 1959, estimulado pelo próprio Leandro, disputou com sucesso uma cadeira de deputado estadual, mas não tentou o segundo mandato. Na década de 60, se mudou para Brasília onde, anos depois, conheceu a senhora Maria Estéfano Maluf, mãe de Paulo Maluf. Segundo as pessoas que conheceram Napoleão Dórea, a amizade entre os dois nasceu numa mesa de pôquer. Contam que a mãe do político paulista adorava vencer, enquanto o sergipano, para agradá-la, não se incomodava de perder, tornando-se o parceiro de jogo ideal da milionária. A amizade ficou tão intensa que, ao ser eleito governador de São Paulo, Maluf o nomeou secretário particular. O professor de desenho do ‘Atheneuzinho’ praticamente morava no Palácio dos Bandeirantes, sendo pessoa influente no governo. Morreu em São Paulo, onde seu corpo foi cremado. A pedido dele, as cinzas foram lançadas nas águas da Bahia e de Sergipe.

Resumo dos principais jornais do país 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários