2018 está logo ali na esquina

0

O Governador Jackson Barreto, nas muitas entrevistas que concede ao rádio e a televisão durante a semana, praticamente se recusa a falar sobre as eleições de 2018. “2018 ainda está longe”, “Vamos deixar as coisas acontecerem ao seu tempo”, têm sido mais ou menos o tom das respostas. O argumento principal é que 2018 ainda está longe, mas é preciso levar em conta que 2017 está andando a passos acelerados – já estamos a quinze dias do final de fevereiros, apenas o segundo mês do ano. Depois do carnaval, já entramos direto no mês de março e aí vai restar apenas dez meses para o seu final. Não se pode deixar de pensar em 2018, ou planejar como vai ser o próximo pleito, deveras importante porque o brasileiro vai ser chamado para votar em Presidente da República, Senadores, deputados federais, governadores dos Estados e deputados estaduais. No caso de Presidente da República já há algumas candidaturas colocada s, como Ciro Gomes e Jair Bolsonaro. O PMDB não vai querer largar o osso hoje nas mãos de Michel Temer, um governo tão medíocre que teme-se até pelo seu final. Os nomes em voga hoje no Governo Federal são os de sempre: Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Moreira Franco, Edison Lobão, Eliseu Padilha, Romero Jucá, Henrique Eduardo Alves, Rodrigo Maia, Eunício Oliveira, Jader Barbalho, Fernando Collor, Aecio Neves – a maior parte deles envolvidos em denuncias de corrupção nas delações premiadas da empresa Odebrecht. O Brasil é um país singular – tem muitos candidatos mas nenhum de forte apelo popular. É uma coisa seria: não há um só nome até agora que possa merecer o aplauso da população. No caso de Sergipe, há também muitos nomes para suceder o Governador Jackson Barreto, mas é preciso ter cuidado com eles: Eduardo Amorim (este não pensa em outra coisa, senão o governo ; e o problema não chega a ser exatamente ele, mas o irmão, o ambicioso e ganancioso Edvan Amorim), Antônio Carlos Valadares (não por acaso faz uma oposição raivosa –  também só pensa em trocar o Senado Federal pelo Palácio de Despachos), Laércio Oliveira (agora mais visível já que trocou a  Oposição pelo apoio ao governo de Jackson Barreto), até mesmo,  acreditem!, o ex-Prefeito João  Alves Filho que fez uma administração péssima na Capital), Heleno Silva (que acredita que sua passagem pela Prefeitura de Canindé do São Francisco pode candidatá-lo a vôos mais altos), José Carlos Machado (ainda sem partido). Naturalmente esse quadro pode sofrer modificações quando os legislativos, estadual e municipais, voltarem a funcionar, a partir desta 4ª feira). Por fim, o próprio Jackson é uma incógnita: vai mesmo pendurar as chuteira como prometeu há alguns meses, ou vai se candidato ao Senado, a única de importância que falta no seu currículo?

Legislativos retornam nesta 4ª feira

Nesta quarta-feira, 15 de fevereiro, a Assembleia Legislativa retorna as suas atividades normais, com a solenidade de posse da diretoria atual, reeleita o ano passado para o próximo biênio. À frente, o deputado Luciano Bispo, que tem como vice, o deputado Garibaldi Mendonça e o deputado Jefferson Andrade como primeiro Secretário. A solenidade está marca da para as  9h30, seguindo-se então a sessão ordinária normal. Na sexta-feira, dia 17, a partir das 9h, realiza-se a Audiência Pública sobre “Mídia e Misoginia: Desconstruindo Mitos”, tendo como palestrante a professora Maíra Cinthya Nascimento Ezequiel. A audiência publica é uma realização da Frente Parlamentar em Defesa das Mulheres e a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da OAB-SE.

Diálogos empresariais

Os Diálogos Empresariais estão de volta. Hoje, a partir das 17h, realiza-se a palestra “Desconsideração da Personalidade Jurídica no Âmbito da Execução Fiscal”, a ser proferida pelo advogado tributarista e conselheiro da OAB, Gustavo Andrade Santos. O evento terá lugar no auditório do SESC Centro, 1º andar, a Rua Senador Rollemberg, 301. A entrada é franca.

Gilfrancisco deixando o PCdoB

O PCdoB é um partido pequeno. Pode-se dizer que só se junta a ele quem tem “negócio”, ou seja, quem tem segurança de sua ideologia. Embora pequeno, o PCdoB é o partido do Prefeito Edvaldo Nogueira. Pois não o convidem para alguma solenidade e em que esteja presente o intelectual Gilfrancisco, um baiano tão sergipano quanto o melhor dos sergipanos, que anda tão insatisfeito que está deixando o partido.  É que Gil não se conforma em ver o seu partido jogado a segundo plano. “A gente até entende que Edvaldo Nogueira não tem tempo para cuidar da miudeza do partido. Pois então entregue-o a um Antônio Bittencourt, por exemplo. Do jeito que está não dá para ficar. Prefiro ir embora”, diz Gilfrancisco.

Mais anos de trabalho para a Aposentadoria

Pelo novo texto da reforma da Previdência, o trabalhador terá que ter 65 anos de idade e 25 anos de contribuição. Atualmente, é possível obter o benefício com apenas 15 anos de contribuição e 65 anos de idade para homens e 60 para as mulheres. Dados da Previdência mostram que 60 % das aposentadorias por idade concedidas de janeiro a dezembro de 2016 foram para trabalhadores que não chegaram aos 20 anos de contribuição e 79% haviam contribuído menos que os 25 que serão exigidos pela reforma. A alteração na Lei deve atingir principalmente os trabalhadores da base da pirâmide: os mais pobres. Em geral, esses trabalhadores estão sujeitos ao trabalho informal, tendo menos tempo de contribuição.

…e para  encerrar…

ALMOÇO – O Rotary Clube de Aracaju-Norte retorna o tradicional almoço das segundas-feiras. O clube reúne-se a partir do meio-dia de hoje no restaurante do Hotel Quality.
     ***
CARNAVAL —  Aproveitando a deixa que o carnaval está batendo as portas, a deputada Ana Lúcia faz campanha “Não à Violência Contra Crianças e os Adolescentes. Não combinam com o carnaval”. Ana Lúcia diz que o Governo Federal sempre estimulou tal campanha, mas que há dois anos ela não ocorre.
     ***
DEBATE – O ex-governador Albano Franco participou, na Federação das Indústrias do Estado de Sergipe, de debate sobre o cenário econômico brasileiro e sergipano, incentivos fiscais, ICMS e o Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal, entre outros assuntos de importância. Houve representação dos setores têxtil e da construção civil, além da indústria de metalmecânica, do setor sucroalcooleiro e indústria de laticínios. O novo Secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec/SE), José Augusto Pereira de Carvalho, estreou como representante do governo em debates desta importância.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários