28 DE JULHO: DIA MUNDIAL DE COMBATE AS HEPATITES VIRAIS

0

As hepatites virais são doenças silenciosas, causadas por vírus que provocam lesões no fígado. As hepatites podem levar a cirrose e câncer. São classificadas por letras do alfabeto: hepatite A, B, C, D e E. Em Sergipe, foram registrados, desde o ano de 2.010 até 2.015, 1.275 casos de Hepatites Virais em geral (Hepatites A, B, e C). A faixa etária mais atingida é de 25 a 54 anos. Os municípios que apresentam maior registro de casos são Aracaju, Itabaiana, Estância, Socorro, Propriá, São Cristóvão e Lagarto. Considerando somente a hepatite C, foram notificados 347 casos desde o ano de 2.010.

No dia 28 de julho de cada ano, a OMS – Organização Mundial de saúde – e seus parceiros criaram o Dia Mundial das Hepatites com o objetivo de aumentar a sensibilização e a compreensão da hepatite viral e das doenças que provoca. A mensagem central da campanha do ano de 2015 será: Hepatite C: O teste é o primeiro passo para a cura. “Se você fez cirurgia antes de 1993, pode ter Hepatite C e precisa fazer o teste”.

A hepatite C é causada pelo vírus C (HCV). A transmissão se dá, dentre outras formas, por meio de transfusão de sangue, compartilhamento de material para uso de drogas, objetos de higiene pessoal como lâminas de barbear e depilar, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam na confecção de tatuagem e colocação de piercings. A reutilização de material para aplicações parenterais, principalmente o uso de seringas de vidro, vem sendo descrita como relevante fator de risco. As formas mais frequentemente relatadas foram através do uso destas seringas para aplicações terapêuticas e para o uso de complexos vitamínicos injetáveis por atletas, especialmente os de futebol, entre as décadas de 50 e 80, com objetivo de implementar o rendimento sexual ou físico.

A Hepatite C tem maior taxa de detecção na faixa etária acima de 40 anos, as pessoas pertencentes a este grupo foram expostas a cirurgias ou transfusões de sangue no período em que não existia política efetiva de controle do sangue (décadas anteriores aos anos de 1980). Muitos atletas de futebol do passado também se infectaram pelo vírus HCV.

Diagnóstico
A hepatite é uma doença que nem sempre apresenta sintomas. Muitas pessoas só percebem que estão doentes (principalmente dos tipos B e C) quando as manifestações já são graves, como cirrose ou câncer de fígado.  Realizar o diagnóstico precoce das hepatites é um dos principais determinantes para evitar a transmissão ou a progressão dessas doenças e suas graves consequências.
O diagnóstico da Hepatite C é fundamental para que no caso do teste der positivo, o tratamento seja iniciado o quanto antes, para que seja possível garantir a cura.

Prevenção da Hepatite C
As medidas preventivas em relação, principalmente, à Hepatite C são: exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e de piercings; não compartilhar instrumentos de manicure e pedicure;  não usar lâminas de barbear ou de depilar de outras pessoas; não compartilhar agulhas, seringas e equipamentos para uso de anabolizantes e drogas inaladas e pipadas, como o crack.

Novidade no Tratamento da Hepatite C
Os pacientes brasileiros com hepatite C passarão a contar com um dos tratamentos mais inovadores disponíveis no mundo.  O novo tratamento, composto pelos medicamentos daclatasvir, sofosbuvir e simeprevir, tem uma taxa de cura de 90%, significativamente maior que todos os tratamentos utilizados até o momento, e duração de 12 semanas, contra as 48 semanas de duração da terapia anterior.  Outra vantagem é que todo o tratamento é oral, dando mais qualidade de vida e conforto ao paciente.

Comentários