3 assuntos

0

3 ASSUNTOS

PM DE SERGIPE
Existe uma guerra branca da Polícia Militar com o Governo de Sergipe. Algo legítimo, ao que parece, mas incompreensível aos olhos da população. Existe um jurista conhecido chamado Nelson Hungria que bem enfatiza este momento  em que vive a Polícia Militar de Sergipe. Ele diz: “A necessidade está acima da Lei.”  No episódio Pré-Caju, onde existiu claramente uma greve branca, com policiais que até exame de sangue foram fazer no Hemose para não trabalhar na maior prévia carnavalesca do país. Este, com certeza, não é o posicionamento do sindicato, nem do comando. O Governador sente-se acossado pelo Sindicato e diz que não vai permitir  bandalheira. Com a greve branca no Pré-caju pudemos notar que a população ficou à mercê  dos bandidos, sem proteção. Isto não pode acontecer. Não deveria ter acontecido se a corporação e seu sindicato levassem para o bom senso. Quem pagou com isso? A população. As famílias que perderam seus filhos, porque os assassinos não foram revistados. E a culpa é de quem? Da polícia. Exatamente porque não prevaleceu a máxima “A necessidade está acima da Lei.” E isso não prescreve.

ESTUPRE, MAS NÃO MATE
Paulo Maluf, ex-Prefeito e Governador  de São Paulo, hoje deputado federal ,  disse certa vez: ““estupre, mas não mate” . A  frase ganhou notoriedade pública e quase virou a biografia do ex-governador, devido a fama. No filme célebre “Acusados” Sarah Tobias (Jodie Foster) é estuprada em um bar e, ao denunciar a agressão, defronta-se com dois problemas: seus agressores e o sistema penal, no qual as vítimas de estupro são suspeitas em seus próprios casos.  Uma promotora fica com o caso e passa a lutar para descobrir e condenar os culpados pelo crime. O julgamento segue, e a promotora consegue provar que, independentemente do fato de que a vítima estava flertando com os acusados, eles deveriam ser condenados. É isto! O filme sempre me comoveu muito. Agora, com o episíodio BBB, Daniel foi acusado de ter estuprado Monique, que por sua vez negou. O episódio serve apenas para ilustrar, que mesmo “dando bola” a mulher não está à disposição de ninguém, mesmo quando bêbada ou a fim. O machismo brasileiro principalmente, acha que a mulher “deu bola” tem que ir pra cama, ou é uma piranha, vagabunda. Nunca é muito sugerir ao leitor assistir o filme “Acusados”, aprendemos com as nossas animalidades impulsivas a reger a difícil orquestra de que outro consentiu, sem ter consentido.

GAYS NÃO SÃO FELIZES
Muita coisa mudou. Muita água vai correr embaixo da ponte. Gays não são felizes e pronto. A não ser que outro gay o assuma. No caso de uns, quando gostam exclusivamente de heteros, há uma incompatibilidade. O gay quer ser socorrido por uma UTI inexistente. Daí vem a exploração, o devaneio, a troca por dinheiro, por alguns minutos de aparente prazer. Alguns conseguem conviver muito bem e obrigado com esta situação. Casamento gay, pensão alimentícia, direitos iguais. Balela. A Igreja prega a família como célula-mater, aumenta o dízimo assim: pai, mãe e filhos. Os gays precisam achar outras alternativas. Ler, pesquisar, descobrir a ciência e a tecnologia, a arte, os países, o mundo  e ter o sexo apenas como um ano bissexto. Enquanto seu lobo não vem. Não dá para continuar dando uma de chapeuzinho vermelho.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários