50 ANOS DA FACULDADE DE MEDICINA DE SERGIPE

0

ANTONIO GARCIA FILHO, em 1961
A Universidade Federal de Sergipe e a Academia Sergipana de Medicina já começaram a se movimentar para comemorar, com júbilo, em 2011, o cinquentenário de fundação da Faculdade de Medicina de Sergipe, escola que veio a integrar-se àquela Universidade.

Fundada em 1961 por Antonio Garcia Filho (foto), a Faculdade de Medicina contou com muitos colaboradores que, empolgados com a idéia, permitiram que esta instituição trouxesse para o nosso Estado a capacidade de formar médicos de alto gabarito. Esta tarefa vem sendo de fato cumprida pela Faculdade, tal como atestam os seus egressos disseminados pelo Brasil e pelo mundo.

Quem primeiro sonhou com a Faculdade foi o Dr. Garcia Moreno que, se vivo fosse, comemoraria seu centenário de nascimento em dezembro deste ano. Com a participação de Dr. Augusto Leite, criou uma sociedade civil, em 1953, para ser a mantenedora da futura escola médica. Chegaram a escolher possíveis professores, tamanho era o desejo de criar a escola. No entanto, e infelizmente, do sonho à realidade, a estrada era mais longa e tortuosa do que imaginavam os pioneiros. Dificuldades operacionais e políticas da época não tornaram possível a concretização do desejo de Garcia Moreno e dos seus colaboradores.

Somente 8 anos mais tarde, o sonho pôde tornar-se  realidade graças à decisão do governador Luiz Garcia de apoiar integralmente o trabalho de Antonio Garcia à frente da Secretaria de Educação, Cultura e Saúde. Dr. Antonio priorizou a fundação da Faculdade de Medicina entre as tarefas da Secretaria. Convenceu o governador sobre a necessidade de “formar médicos para atender a população desassistida, notadamente do interior do estado”. Respondendo ao apelo, Luiz Garcia disse : “A tarefa é sua, vamos em frente com a Faculdade de Medicina”.

Com o apoio total do governador, Antonio Garcia fundou a Faculdade, superando os obstáculos que apareceram em sua frente – e que não foram poucos – com tenacidade, fibra, coragem e determinação, lutando contra as dificuldades burocráticas, financeiras, logísticas e de recursos humanos da época. Superou até a indiferença de alguns que não vislumbravam, naquele momento, a possibilidade de sucesso de tão dignificante tarefa. A reativação da Sociedade Civil Faculdade de Medicina, deu-se sob o comando do Dr. Benjamin Carvalho, médico que transitava com desenvoltura e habilidade por entre grupos antagônicos. Ele deu ânimo novo a Antonio Garcia que então propôs a adesão do Hospital de Cirurgia ao projeto, através da criação da Fundação do Ensino Médico de Sergipe. Agora, contando com o apoio do Dr. Augusto Leite e com a obra por ele edificada, o Hospital de Cirurgia, os primeiros estudantes passaram a ter uma unidade hospitalar. Para que isso se tornasse realidade, o Governo Luiz Garcia fez convênios com o hospital, repassando-lhe consideráveis recursos, que foram fundamentais para o seu crescimento e para o cumprimento da tarefa de hospital-escola.

No ano em que se comemoram as bodas-de-ouro da criação da Faculdade de Medicina de Sergipe, jóia preciosa da Medicina do nosso estado, é tarefa dignificante agradecer e homenagear ao seu fundador e primeiro diretor, Antonio Garcia Filho, bem como a todos os professores que, pioneiros, deram suas contribuições para que a Faculdade fosse erguida. É louvável homenagear aqueles que a legaram a Sergipe, sem qualquer interesse mercantilista. Professores que durante os primeiros anos de funcionamento da Faculdade, ensinaram sem receber salários ou qualquer outra forma de pagamento. Ao se homenagear o grande exemplo desses homens, as instituições deixam para a sociedade sergipana o exemplo que, como farol, pode ajudar a guiar os jovens de nossa terra.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários