A AMAZÔNIA

0

Nove Estados brasileiros compõem a Amazônia – Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Tocantins. A Amazônia é considerada pelo resto do mundo, principalmente pelos países desenvolvidos que ontem destruíram suas florestas, como um bem público mundial.

Um estudo apresentado na conferência sobre mudanças climáticas realizada na Inglaterra alerta para mudanças drásticas nas características climáticas e botânicas da Amazônia com o aquecimento do planeta, podendo tornar a região uma área de cerrado.

 

Em maio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia Internacional da Diversidade Biológica, assinou decretos criando cinco reservas extrativistas e uma reserva biológica no Pará. Falando sobre as ações do governo no combate ao desmatamento e para a regularização fundiária, afirmou que está em curso o maior processo da história para tomar conta do país, mas o governo ainda não tem controle sobre todo o descaso que alguns praticam.

Ainda, segundo o presidente, o governo tem procurado mostrar o como fazer na área ambiental, além de uma dívida histórica com populações tradicionais e com o meio ambiente e que apesar de haverem críticas quanto à forma de atuação, o Ministério do Meio Ambiente e o Ibama têm que cumprir a legislação ambiental aprovada democraticamente pelo Congresso.

 

Lamentável, porém, foi que no dia seguinte, o Inpe – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais divulgou dados mostrando que o desmatamento da Amazônia em um ano cresceu 6%, quando o índice esperado para o biênio 2003/2004 era de 2%.

 

Para o governo foi uma surpresa e decepção este resultado. Segundo o presidente do Ibama, “estávamos lutando para atingir o índice de 2%, mas temos noção de que as medidas que adotamos não se consolidaram todas. Elas ainda não estão casadas para ter os resultados que esperamos e assim diminuir mais expressivamente o desmatamento”.

 

Em cinco dos nove estados que compõem a Amazônia, foi registrada redução no tamanho das áreas desmatadas. Em Tocantins, a destruição caiu 44%; no Amazonas, 39%; no Maranhão, 26%; no Acre, 18% e no Pará, 2%. Já o estado de Mato Grosso foi o responsável por quase metade do desmatamento total na Amazônia.

Como vivemos num mundo globalizado, esta triste notícia espalhou-se pelo mundo e teve grande repercussão na Europa.

A imprensa britânica não poupou críticas ao governo brasileiro e ao governador de Mato Grosso. Para o jornal Independent: “é impossível elaborar um argumento coerente a favor da destruição contínua da floresta brasileira, mas mesmo assim essa prática indefensável continua”.

 

Para o jornal, ainda, a comunidade internacional também arca com parte da responsabilidade pela compra da madeira cortada nas florestas tropicais do mundo.

 

Segundo o Comissário Europeu do Comércio, Peter Mandelson: “O Brasil tem que responder, na qualidade de país que aspira um papel no cenário internacional, pela grave destruição da floresta amazônica”.

 

Para a qualidade de vida no Planeta Terra é muito importante que a Amazônia, considerada como um bem público mundial, seja preservada, mas estes países do primeiro mundo não podem esquecer é que hoje nos encontramos nesta situação, porque ontem, para a construção e desenvolvimento desses países, eles destruíram algumas florestas amazônicas e tomando exemplo o Protocolo de Kyoto, estes países deveriam indenizar os países subdesenvolvidos e em desenvolvimento pela preservação de suas florestas. (Ambientebrasil Online).

EdmirPelli é aposentado da Eletrosul e articulista desde 2000
edmir@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários