A Casa caiu

0

A delação premiada do ex-deputado estadual “Mundinho da Comase” (PSL) comprovou o que todo mundo já sabia, mas a Assembleia insistia em negar: boa parte dos recursos das verbas de subvenção era usada para enriquecimento ilícito de alguns políticos com mandatos e muitos dirigentes de suspeitas associações comunitárias. Preso ontem, sob a acusação de orquestrar a lavagem dos milhões liberados pelo Legislativo, “Mundinho” entregou seis deputados estaduais e dois ex-parlamentares. Estes ainda não tiveram os nomes revelados pelo Ministério Público Estadual, porém estão à base de Lexotan. E é nesse clima de Operação Lava Jato, que a Mesa Diretora da Assembleia quer transformar as famigeradas verbas de subvenção em escandalosas Emendas de Inclusão, visando sugar anualmente dos cofres públicos a bagatela de R$ 50 milhões. Um absurdo que precisa ser rechaçado com veemência pelo povo sergipano.

Clima de velório

E os deputados estaduais retornam às atividades parlamentares na próxima segunda-feira. Nem precisa dizer que, diante deste escândalo das verbas de subvenção, o clima na primeira sessão do 2º semestre será de velório. Como nos primeiros seis meses deste ano, o Legislativo não deverá fazer outra coisa que não seja acompanhar amedrontado as investigações policiais sobre as escandalosas verbas de subvenção. Uma tragédia!

Os Sem Cela

De um bebinho num boteco da zona norte de Aracaju: “Diante da absurda falta de espaço físico nas delegacias de sergipanas para colocar os presos, tá na hora de criar o Movimento dos Sem Celas (MSC)”. Brincadeira à parte, ele está certo. Na 2ª Delegacia Metropolitana 70 presos se espremem em cubículos que comportam, no maximo, 30 pessoas.

Conta gotas

O Governo de Sergipe começa hoje e só termina daqui a 13 dias o pagamento da folha de pessoal. Nesta quinta, recebem os servidores da Secretaria da Educação. Amanhã, será a vez do pessoal da Saúde, Detran, Jucese, Adema, Segrase, Ipesaúde, Sergiprevidência, Fundações de Saúde e pensões alimentícias. Os demais servidores, outros pensionistas e inativos vão receber amanhã uma parcela de R$ 2 mil. O restante só no próximo dia 11. A ordem é apartar o cinto!

Tartaruga

Os fiscais de tributo iniciaram hoje a “Operação Parcelamento”, que visa reduzir as atividades na Secretaria da Fazenda até que o Governo resolva pagar de uma só vez os salários dos servidores. Na próxima terça-feira, a categoria cruza os braços por 24 horas, protesto que será seguido por outros servidores estaduais. Todos protestam contra o parcelamento dos salários.

Bocas sujas

Uma discussão entre dois parlamentares na Câmara de Glória, chamou a atenção dos presentes pelo elevado número de palavrões. Segundo o site Mais Sertão, o vereador Luiz Carlos, popularmente conhecido por “Gaguinhos”, disse à colega Maísa Feitosa que ela merecia uma surra do marido. Recebeu como resposta: “Viado, meu esposo gosta é de mulher, seu analfabeto”. Aff Maria!

Nas alturas

Pela sétima vez seguida, o Banco Central reajustou os juros básicos da economia. A taxa Selic foi elevada em 0,5 ponto percentual, passando para 14,25% ao ano. Com o reajuste, a Selic retorna ao nível de outubro de 2006, quando também estava em 14,25% ao ano. Tá feia a coisa!

Martelo batido

Os jornalistas sergipanos aceitaram o reajuste salarial de 9% oferecido pelos empresários de comunicação. A contraproposta patronal prevê o pagamento dos 9% desde maio passado, data base da categoria. O acordo a ser assinado entre as partes também estabelece que o Sindicato dos Jornalistas avaliará os convênios de estagiários firmados entre as empresas e as universidades.

Mãos ao alto

Enquanto a Secretaria da Segurança Público estuda formas de combater a violência, os bandidos fazem a festa nos ônibus de Aracaju. Segundo o Sindicato dos Motoristas e Cobradores, de janeiro até agora, já foram registrados 669 assaltos a coletivos. Durante todo o ano de 2014 ocorreram 511 assaltos a ônibus. Qualquer hora dessas, ladrão vai roubar ladrão. Misericórdia!

Doente do pé

O governador Jackson Barreto (PMDB) aguarda apenas orientação médica para se licenciar visando submeter-se a uma cirurgia no pé esquerdo: “Não posso parar de caminhar, né?”, brincou. O peemedebista lembrou ter passado boa parte da vida em pé ou caminhando muito: “Primeiro, trabalhei no comércio, depois foi carteiro, sem contar que minha vida pública foi toda caminhando por aí atrás de votos”. Haja pés!

Recorte de jornal

Publicado no jornal Tribuna de Aracaju em 28 de maio de 1932

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários