A Era Chávez na Venezuela

0

Anailza Guimarães Costa

Graduada em História (UFS), integrante do Grupo de Estudos do Tempo Presente (GET/UFS/CNPq), orientador: Dr. Dilton Cândido Santos Maynard (DHI/UFS). E-mail: anailza@getempo.org

Em 5 de março deste ano completou-se dois anos da morte de Hugo Chávez que foi presidente da Venezuela por quatorze anos (1999-2013) e responsável pela chamada Era Chávez. A comoção de milhares de pessoas nas ruas de Caracas em seu velório prova quanto populismo e paixão este líder causou. Podemos nos perguntar ainda hoje, por que tantas “paixões”? Por que ao longo dos anos de seu governo, Hugo Chávez esteve estampado na mídia internacional?

Respondendo a primeira pergunta, não dá para negar que Chávez influenciou os demais países sul-americanos, fossem pelo apoio ou pelo repúdio as suas propostas e, também colocou a Venezuela no cenário geopolítico mundial através de decisões políticas polêmicas e arrojadas. Chávez iniciou na Venezuela, o que muitos consideram uma revolução ou quase revolução político-social, marcada por características peculiares que o diferenciam de outros momentos, como uma maior participação popular através de referendos e plebiscitos, diferente do que ocorria há anos durante o Pacto de Punto Fijo. Como exemplo disso, logo quando entrou no governo, a população que decidiu se queria ou não uma nova constituição, depois votou nos constituintes e ainda votou pela aprovação da nova constituição.

Ainda respondendo a primeira pergunta, Chávez implementou mudanças sociais ao colocar em prática as missiones sociales que consistiam em políticas estratégicas para atender demandas econômicas, culturais, educacionais, de saúde, financiados com os recursos da renda do petróleo. Como mostra sites de institutos de estatísticas venezuelanos, o IDH subiu, o desemprego caiu e houve um combate à pobreza através de medidas substanciais, como a instalação do supermercado estatal Mercal nas proximidades das grandes favelas que vende alimentos subsidiados pelo governo.

Isso tudo fez com Chávez ganhasse muita popularidade e fosse destacado nos jornais em todo mundo. Porém, algo que também marcou seu governo foi a sua retórica anti-imperialista, de integração da América Latina e consequentemente, o enfrentamento aos Estados Unidos. Isso se deu várias vezes, a ponto dos dois países estremecerem as ligações e de Chávez dar diversas declarações polêmicas, chegando a chamar o ex-presidente dos EUA, George W. Bush de “Diabo”. Além desses pontos, Chávez em 2002 sofreu um golpe que o tirou do poder, mas, por conta da forte pressão popular conseguiu logo retornar ao governo e tomou como umas das medidas o fechamento da mídia que fazia clara oposição e que contribuiu para o golpe que o retirou do poder.

Por todos esses motivos e ainda mais alguns que não dá para citar aqui, que os anos Chávez ainda é lembrado e sua figura como militante, político e defensor de suas causas, provoca ressonâncias e influencia a muitos não só na Venezuela, o que justifica termos grandes discussões a respeito da própria figura Chávez até hoje. Por conta de ações polêmicas, alguns consideram que Chávez foi um ditador, outros podem dizer que foi pai dos pobres. O fato é Chávez trouxe grandes mudanças para Venezuela que repercutiram em todo mundo e marcou a história política da América Latina.

Comentários