A força política das pesquisas eleitorais

0

O fundamento da pesquisa é identificar e satisfazer as necessidades e os desejos dos clientes identificando suas necessidades e desejos para construir estratégias eficientes para atendê-las, ou seja, é a informação. Desta feita, as pesquisas eleitorais são consultas feitas a determinadas faixas da população objetivando auferir as preferências, as escolhas, as opiniões e o que eles pensam de determinado ponto e aspecto político. Tecnicamente é uma coleta de dados por amostragem – universo investigado – que através de variáveis e critérios científicos, matemáticos e estatísticos permite uma avaliação a respeito de opiniões. Sem dúvida é a equação perfeita para se chegar ao “candidato perfeito”. 
As pesquisas eleitorais têm influência direta nas eleições e estas podem ser divulgadas a qualquer tempo, inclusive no dia das eleições, por exemplo, as pesquisas de “boca de urna” ou de “intenção de votos”. Essa “ferramenta” eleitoral é tão preciosa que a legislação eleitoral criou uma série de dificuldades para impedir o mau uso. O primeiro é que desde o dia 1º. de janeiro 2012, ano eleitoral, as pesquisas de opinião pública relativas as eleições ou aos candidatos, para conhecimento público devem ser registradas nos Juízos Eleitorais até cinco dias antes de sua divulgação.
Com a aproximação das eleições à partir de 5 de julho de 2012, mediante a apresentação da relação dos candidatos ao entrevistado, deverá constar o nome de todos os candidatos que tenham solicitado registro de candidatura junto à Justiça Eleitoral e deverá ser alimentado pelo Sistema Informatizado de Registro de Pesquisas Eleitorais disponível nos sítios dos tribunais eleitorais.
Para que a pesquisa seja autorizada pela Justiça Eleitoral uma vez apresentado o pedido de registro de informações respectivas, a secretaria judiciária dos Juízos Eleitorais competente receberá o expediente e terá o prazo de 24 horas contados do recebimento para conferir toda documentação e afixar em local previamente reservado para esse fim, bem como divulgar no sítio do Tribunal na internet aviso comunicando o registro das informações apresentadas, colocando-as à disposição dos partidos políticos ou coligações com candidatos ao pleito, os quais terão acesso pelo prazo de 30 dias. Caso a Justiça Eleitoral entenda que a pesquisa depositada não atende aos requisitos exigidos notificará para que o interessado no prazo de 48 horas regularize a documentação acostada, uma vez não cumprida o objetivo o pedido será arquivado.
As empresas de comunicação precisam ficar alerta, pois a divulgação de pesquisas eleitorais, sem o prévio registro de informações, os responsáveis serão multados no valor de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00, consoante o que determina o art. 33, parágrafo 3º., da Lei 9.504/97. Observamos também que os partidos políticos, as coligações, ministério público eleitoral e os candidatos ao pleito, têm legitimidade para impugnar o registro e a divulgação de pesquisas – art. 96 da Lei 9.504/97. Outro ponto que deve ser observado é que a divulgação de resultados de enquetes ou sondagens relativas às eleições ou aos seus candidatos, de cunho eleitoral, deverá ser acompanhada de esclarecimento de que não se trata de pesquisa eleitoral, mas de mero levantamento de opiniões, sem controle de amostra, com a participação espontânea do interessado. E a sua divulgação, sem tal esclarecimento, será considerada divulgação de pesquisa eleitoral sem registro sujeito à multa.

DICA DE LIVROS
EDITORA SARAIVA: o livro AS CONDIÇÕES NO DIREITO CIVIL POTESTATIVA, IMPOSSÍVEL, SUSPENSIVA E RESOLUTIVA, de Carlos Alberto Dabus Maluf, 3ª edição, 2011, analisa de maneira didática e abrangente, o fato de que o direito brasileiro prevê três elementos acidentais do negócio jurídico: condição, termo e encargo, com 232 páginas, custa R$ 58./// O livro PRISÕES CAUTELARES, LIBERDADE PROVISÓRIA E MEDIDAS CAUTELARES RESTRITIVAS, de Renato Marcão, é notável pelo rico teor e pelo modo como expõe de modo didático quadros comparativos entre a Nova Lei n. 12.403 de 4 de Maio de 2011, e a antiga , uma vez que, sem duvida, a divulgada inovação legislativa terá efeitos no dia a dia daqueles que atuam na área(advogados, juízes, promotores e defensores públicos), e também na rotina dos que se preparam para os exames da OAB e para os provas dos mais concorridos concursos públicos, com 366 páginas, custa R$ 84./// O livro ATUALIDADES PARA CONCURSOS PÚBLICOS, ENEM E VESTIBULARES, de Marcos Barbosa, é de imprescindível importância, já que, a disputa por uma vaga, seja na faculdade, num cargo público ou na iniciativa privada exige disciplina e dedicação. Cada ponto pode ser decisivo, e nesse sentido o conhecimento se torna um poderoso diferencial, com 267 páginas, custa R$ 18,90. ///  O livro DIREITO PENAL – PARTE ESPECIAL ( arts. 184 a 285), de André Estefam, mostra que no Direito Penal espelha-se a alma de um povo. Pode-se dizer, sem sombra de dúvida, que onde houver agrupamentos sociais o direito penal estará presente, com 502 páginas, custa, R$ 98. /// Podem ser adquiridos através do site http://www.saraiva.com.br, ou pelo telefone: (11) 3335-2957.
(*) é advogado, jornalista com diploma, radialista, mestre em Ciências Políticas, doutorando em Direito pela Universidade Nacional de Lomas de Zamora/Ar, Professor de Pós-Graduação das Faculdades Pio X e Diretor Chefe da Procuradoria do DETRAN/SE. Cartas e sugestões deverão ser enviadas para a AV. Perimetral A, s/n, Marcos Freire I, Nossa Senhora do Socorro/SE. Contato pelos telefones: 79 9946 4291. Email:faustoleite@infone.com.br.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais