A gente não quer só comida

0

10 PERGUNTAS PARA ELOISA GALDINO, SECRETÁRIA DE ESTADO DA CULTURA

 

. a cultura é viável- Claro que sim! A cultura está presente em todos os aspectos da nossa vida. Como política pública, ela tem uma importância ainda maior, pois dialoga como referencial simbólico da nossa sociedade, com o desenvolvimento econômico e, sobretudo, com a cidadania.
. por que só diz não- Nao!? Eu digo sim! Digo sim à música, ao teatro, às artes visuais, ao audivisual, à dança, à poesia etc. O não só acontece quando não temos condições de atender determinado pleit o. Mas, mesmo assim, eu continuo dizendo sim à cultura sergipana.
. qual o principal embate da pasta- Eu não diria embate, mas a grande construção é o diálogo constante com aqueles que produzem cultura. Então o desafio é dialogar, e dialogar sempre.
. artista é gente complicada- O mundo é complicado! Mas estamos aqui para descomplicar, desenrolar, produzir. Produzir sinergia, sobretudo.
. teatro ou embaixo da ponte- A arte está em toda a parte.
. governo não investe em cultura, por que – Claro que investe! Nós temos investimentos em várias linguagens da cultura. Precisa investir mais, e uma das bandeiras da cultura é sempre lutar por mais investimentos pra ela. Ser gestor de cultura é ser também uma militante dela.
. a minha experiência como secretária- Uma realização profissional a cada diálogo construído, a cada projeto materializado. Um desafio diário e cotidiano pra fazer valer a minha passagem por aqui. Só vale se for assim.
. comunicação ou cultura- os dois. Um não existe sem o outro. A comunicação está para a cultura, assim como a cultura está para a comunicação.

 

. engessada ou livre – Livre, sempre. Afinal, o mundo está logo ali.
. ao sair do governo daqui há 4 anos como a cultura vai ficar- espero que os agentes de cultura estejam se olhando mais como protagonistas do processo , como agentes do próprio desenvolvimento econômico de Sergipe e como cidadãos. Ou seja, espero que eles estejam fazendo mais e melhor.
. o que Déda pensa, fala e faz – Fico com uma frase de Fernando Pessoa que marcou meu trabalho ao lado de Marcelo Déda: “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce”. Eu acredito que ele continua tendo uma relaçao forte com essa assertiva.
. motivo de continuar acreditando- Eu estou viva. Se eu parar de acreditar, é porque morri.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais