A GOOGLE E A IDEO ADOTAM O PENSAMENTO CRIATIVO

0

A GOOGLE E A IDEO ADOTAM O PENSAMENTO CRIATIVO (*)

A Google, que está em 6º lugar  entre as cinquenta empresas mais inovadoras do mundo, adota o pensamento criativo como uma das suas ferramentas de trabalho para o desenvolvimento de todos os seus produtos. .
Charles Waren, executivo da Google, numa palestra no evento intitulado Managing Experience (Março/2011) em San Francisco, Califórnia, USA, apresentou uma pequena parte da metodologia CPS (Creative Problem Solving) que vem sendo utilizada intensamente na Google como uma forma de disseminar a prática do pensamento criativo na empresa. A consultoria que está dando apoio à Google, pertence ao Min Basadur. O interessante disto é que Basadur esteve em Aracaju, em novembro passado, participando do X Fórum Internacional de Criatividade e Inovação promovido pela FBC,  liderou um workshop e deu uma palestra na grande plenária.
Durante a sua apresentação Waren apresenta um pequeno exemplo de uma experiência da IDEO sobre o desenvolvimento de um produto utilizando a metodologia CPS e afirma que, antes a IDEO gastava até oito meses para idealizar e desenvolver uma grande campanha e que agora com a prática do pensamento criativo houve uma grande redução na etapa de ideação dos projetos e, por este motivo, hoje em dia utilizam essa metodologia em todos os seus projetos.
Bem, o que tem de novidade nisto? Exatamente o fato de que desde a sua instituição a FBC tem por missão “Contribuir para o desenvolvimento da sociedade brasileira disseminando o pensamento criativo” e, por este motivo tem procurado, especialmente durantes os fóruns anuais de Criatividade, mostrar a importância dessa metodologia e o seu poder de ajudar às pessoas a gerarem ideias e, consequentemente, muitas soluções para os seus problemas profissionais e empresariais.
Muitas vezes, constatamos que a “prata da casa” não tem  muito valor. Há uma traço cultural forte do brasileiro em valorizar o que vem de fora e, por esse motivo peculiar deixa de aproveitar muitas oportunidades mais acessíveis à sua realidade. Portanto, todo ano (desde 1999) durante os Fóruns Internacionais de Criatividade e Inovação, realizados em Aracaju,  trazemos consultores brasileiros e internacionais com uma bagagem de experiência fantástica e pouco tem sido aproveitado em Sergipe. E, exatamente como aconteceu nos anos anteriores durante o X FICI, trouxemos à Aracaju consultores que possuem como clientes empresas listadas entre as maiores do mundo, como é o caso dos palestrantes Jo Yudess(USA) e Min Basadur(Canadá).
E até hoje, ainda são poucas as empresas ou instituições sergipanas que tiveram o interesse de utilizar o pensamento criativo como uma ferramenta para a sua transformação organizacional ou institucional. Mas, o bom de tudo isto é que aquelas que tiveram interesse e passaram a utilizar a metodologia, não só passaram por grandes transformações, como cresceram bastante. Mas, logo em seguida vem a pergunta: “Elas cresceram apenas porque usaram o pensamento criativo na gestão?” Não por apenas isto,  cresceram porque os seus diretores e gestores mudaram a sua gestão empresarial e, ao mesmo tempo trouxeram o pensamento criativo para dentro da organização.
Portanto, o exemplo tem que vir da alta administração. É o caso da Google, da IDEO e de muitas outras empresas em todo o mundo. Ninguém muda uma organização, as organizações de transformam a partir das suas lideranças. Esse é, na verdade o grande segredo. Que por sua vez não é mais segredo. Todos nós sabemos disto.

(*) Fernando Viana
www.fbcriativo.org.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais