A hora da onça

0

A hora da onça

 

Chegou a hora da onça, aquela que aparece na cédula de R$ 50, fazer a sua parte na campanha eleitoral. Nesta reta final, milhares de notas novinhas viajarão em malas pretas com o objetivo de mudar votos para o Senado e garantir apoios a candidatos proporcionais. Como pode haver greve dos bancários a partir da próxima quarta, os robustos saques devem começar já nesta segunda, para dar tempo de transportar as ‘onças’ aos mais distantes povoados. As cédulas de R$ 50 também serão usadas para atrair os milhares de eleitores indecisos, tidos como o fiel da balança na acirrada disputa pelas duas vagas de senador. Claro que o Ministério Público e a Polícia vão tentar impedir a circulação das malas pretas. Mas, como dinheiro não fala, boa parte chegará ao destino, influenciando criminosamente no resultado da eleição. Portanto, chegou a hora da onça beber água.

 

Déda na frente

 

Na pesquisa do Instituto Dataform divulgada nesta segunda-feira, Marcelo Déda (48,3%) lidera a corrida ao governo de Sergipe com 12,6% à frente de seu principal adversário, o ex-governador João Alves Filho (35,7%). Dos demais candidatos, apenas Vera Lúcia (1,7%) conseguiu superar a parreira de 1%. A pesquisa também mostra que a disputa acirrada é pelas duas vagas para o Senado. Antônio Carlos Valadares (29,07%), Eduardo Amorim (26,27%) e Albano Franco (24,94%) estão embolados. Na quarta posição aparece José Carlos Machado com 10,74%. Juntos, os demais candidatos ao Senado somam 8,48% e a margem de erro é de 3%.

 

Jogo embolado

 

A disputa para o Senado está embolada. Pesquisa do Instituto Única, divulgada ontem pelo Jornal do Dia, mostra Antônio Carlos Valadares (43,8%) e Eduardo Amorim (43,7%) empatados. Albano Franco é o terceiro, com 32,4%, enquanto José Carlos Machado aparece em quarto lugar com 13,1%. Além do empate verificado entre Valadares e Amorim, a pesquisa revela que não há nada definido, pois 38,5% dos eleitores ainda estão indecisos, percentual exageradamente grande para alguém contar vitória antes da hora. Para o governo, a pesquisa mostra Marcelo Déda (50,8%) com 12,7% na frente de João Alves (38,1%). Entre os ‘nanicos” a melhor posição é a de Vera Lúcia (2,2%).

 

Mais facilidade

 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apresentou mais uma ferramenta que vai facilitar a vida dos eleitores que estarão viajando no dia das eleições no primeiro e segundo turnos. É o preenchimento on-line e a impressão do Requerimento de Justificativa Eleitoral. Para acessar o documento, o eleitor deve entrar na página inicial do TSE, clicar no link Serviços ao Eleitor e depois em Justificativa Eleitoral. O eleitor que não puder realizar a justificativa no dia da votação pode fazê-lo até 60 dias após o pleito.

 

Boatos políticos

 

Circulou ontem um boato dando conta que o candidato a senador José Carlos Machado (DEM) estaria desistindo da disputa para apoiar Albano Franco (PSDB). O próprio ‘Machadão’ se apressou em dizer que jamais pensou nisso. Também espalharam no twitter que o prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo (PMDB), teria deixado de apoiar o candidato a deputado federal Almeida Lima (PMDB) para unir forças em favor de Mendonça Prado (DEM). Amigos de Bispo desmentiram a informação.

 

Grande e bobo

 

O conservador Estadão confessou o que todos já sabiam: está a serviço de Serra (PSDB), da direita raivosa. No editorial em que revela sua preferência pelo tucano, o jornal paulista tenta, sem sucesso, explicar porque prefere discordar da grande maioria dos brasileiros, que apóia Dilma Rousseff (PT). Chega a dizer que nesta eleição está em jogo “a própria sobrevivência da democracia”. Que tolice! É por isso que chamam o Estadão de grande, grande, grande! Bobo, bobo, bobo!

 

Jatinho da Globo

 

A próxima escala da equipe do repórter global Ernesto Paglia será Nossa Senhora do Socorro. A seleção da viagem a ser feita pelo jatinho da Rede Globo ocorreu ontem no programa Fantástico. Desde o começo da campanha, Paglia viaja pelo Brasil produzindo reportagens sobre a campanha eleitoral, geralmente exibidas no Jornal Nacional da Globo.

 

E-mails falsos

 

A Justiça Eleitoral está alertando sobre e-mails falsos enviados aos eleitores. Mensagens dessa natureza devem ser apagadas, pois podem conter vírus de computador. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informa que não envia e-mails aos eleitores, nem mesmo para comunicar pendências ou cancelamento de títulos. A Corte Eleitoral também não autoriza qualquer instituição a fazê-lo. A única exceção são e-mails em resposta a dúvidas encaminhadas ao TSE. 

 

Salve, Ibejis!

 

O que tem de candidato fazendo promessa para Cosme e Damião não está no gibi! Nesta segunda-feira, 27 de setembro, comemora-se o dia dos dois santos gêmeos, que no Candomblé são associados aos Ibejis, amigos das crianças, que teriam a capacidade de atender qualquer pedido em troca de doces. Nos centros de Umbanda e nas casas de gêmeos são servidos saborosos carurus e distribuídas guloseimas com as crianças.

 

Do baú político

 

Os militares golpistas não respeitavam nem mesmo suas decisões. Maior prova disso ocorreu em 1966, na escolha de Lourival Baptista para o governo de Sergipe. Pelo que rezava o Ato Institucional nº 3 (AI-3), caberia à Assembléia eleger uma lista tríplice, da qual o presidente Castelo Branco indicaria o governador. Naquele ano, os mais votados foram Leandro Maciel, Augusto Franco e Arnaldo Garcez, mas o governador escolhido foi Lourival, que nem participou da disputa. E por que isso aconteceu? Um velho udenista contou à coluna que a indicação de Lourival deveu-se fundamentalmente ao chefe da Casa Civil, Luís Viana Filho, um baiano amigo de Lourival, que fez a cabeça do ditador. Chamados à Brasília, Leandro, Augusto Franco e Arnaldo Garcez foram indagados por Castelo Branco porque o nome de Lourival não constava da lista tríplice? Entendendo o recado do ditador, os três abriram mão do governo. No mesmo ano, Leandro e Augusto foram eleitos, respectivamente, para o Senado e a Câmara Federal, porém nunca esqueceram a rasteira que levaram do aliado político.

 

Resumo dos Jornais 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários