A Justiça falha quando tarda

0

A Justiça Eleitoral voltou a manter a cassação do deputado federal Bosco Costa (PL), acusado de abuso do poder econômico nas eleições de 2018. Esta é a terceira vez que os magistrados do TRE votam para cassar o parlamentar, porém Bosco continua exercendo o mandato tranquilamente. Não se quer aqui culpar a corte sergipana pela demora do veredito final, pois ela está cumprindo regiamente o que manda a Lei, dentro dos prazos legais. Mas fica difícil convencer o cidadão leigo sobre essa demora em cassar o réu em definitivo. A primeira condenação de Bosco ocorreu em setembro de 2019. De lá pra cá, a Justiça se ocupou duas vezes em rejeitar embargos de declaração do acusado. Acobertado pela legislação, o deputado vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral contra esta a última decisão. Ou seja, até ser julgado em definitivo, o mandato de Bosco Costa já estará no final ou pode até ter terminado. Alguém duvida disso? Plagiando o advogado fluminense Sérgio Tostes, “a esperança do cidadão é que as decisões da Justiça sejam tomadas com a rapidez que os tempos modernos exigem”. Aliás, é também deste causídico a seguinte ressalva: “Uma conhecida máxima – a Justiça tarda, mas não falha – caiu em desuso. Nos dias de hoje, a Justiça que tarda é uma Justiça que falha”. Misericórdia!

Pouca serventia

Enquanto o Ministério da Saúde anunciava, ontem, o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), posava para a fotografia assinando uma carta de intenções com o Instituto Butantan para apalavrar a compra de 300 mil doses da vacina. Além da foto para a imprensa, o evento de assinatura da carta por Edvaldo não deverá ter lá tanta serventia, pois, diante do que anunciou o governo federal, o instituto paulista não terá imunizantes para atender ao pedido da Prefeitura. Vixe!

Oposição elogia

E a assinatura da carta de intenções visando a compra de vacinas pela Prefeitura de Aracaju rendeu, ao menos, elogios a Edvaldo Nogueira. Pelas redes sociais, senador Alessandro Vieira (Cidadania) parabenizou o gestor pela iniciativa. O cidadanista aproveitou para fustigar o governador Belivaldo Chagas (PSD), que “preferiu se eximir da responsabilidade e depender exclusivamente do governo federal. Essa demora representa prejuízo na economia e na saúde dos sergipanos”, criticou Vieira. Ah, bom!

Mais cerveja

A cervejaria Ambev vai investir R$ 90 milhões para implantar uma nova linha de produção na fábrica da Brahma, em Estância. Após assinar o protocolo de intenções com a direção da cervejaria, o governador Belivaldo Chagas (PSD) disse que “é como se fosse uma outra fábrica”. Previsto para ocorrer em 2021, este aporte financeiro aumentará em mais de 50% a capacidade produtiva de líquidos na indústria. Hoje, a fábrica de Estância já produz uma boa parte das cervejas puro malte, como a Brahma Duplo Malte, a Skol Puro Malte e a Bohemia. Aff Maria!

Comigo não, violão!

E o jovem Jonas Vidal (PT), eleito vereador em Boquim, quer distância do senador Rogério Carvalho e do deputado federal João Daniel, principais lideranças petistas em Sergipe. O distinto não esquece que o diretório estadual do partido foi contra a coligação feita por ele e pelo vice-prefeito eleito de Boquim, Chicão Almeida (PT). “Agora, Rogério me inclui na relação dos petistas eleitos. Peço ao senador que, quando for fazer essas contas, tire o meu nome da lista”. Arre égua!

Fábrica de monstros

Trancafiar um adolescente em um local sem higiene e cheio de outros garotos infratores não é ressocializá-lo. Seguramente, os jovens colocados nos Centros de Atendimento ao Menor espalhados pelo Brasil sairão de lá pior do que entraram. Já está provado que, ao retornarem às ruas, os “hospedes” destes infectos depósitos humanos vão extravasar a raiva dilapidando o patrimônio alheio e ceifando as vidas de inocentes, pois onde foram encarcerados não lhes ensinaram a viver socialmente. Mãe do Céu!

Com que cara?

Pergunta que não quer calar: qual a moral do governo de Sergipe para proibir festas e outras aglomerações populares, após ter fechado os olhos para as passeatas, carreatas e comícios realizados na campanha eleitoral? Ou alguém soube de algum evento político proibido pelo governo porque estava contribuindo com a propagação da Covid-19? É preciso deixar claro que a classe política é a principal responsável pelo agravamento da pandemia em Sergipe. Desconjuro!

Festa restrita

A diplomação do prefeito, vice e vereadores eleitos em Aracaju será, hoje à tarde, no auditório do Tribunal Regional Eleitoral. Devido a pandemia da Covid-19, só terão acesso ao local da festa os eleitos, poucos convidados e algumas autoridades. Por falar nisso, os advogados do PSC ainda não conseguiram derrubar a liminar suspendendo as diplomações dos vereadores eleitos Fábio Meireles e Sávio Neto de Vardo da Lotérica. A decisão judicial contra ambos se fundamentou em indícios de fraudes sobre a cota de candidaturas femininas do partido em Aracaju. Marminino!

Kit covid

Procuradores da República em Sergipe e em outros quatro estados enviaram ofício ao Ministério da Saúde questionando a distribuição do “kit covid”, ao custo de R$ 250 milhões. O documento indaga sobre quais medicamentos compõem o tal “kit”. Em caso positivo, os procuradores pedem que sejam fornecidas cópias dos estudos realizados, mencionando as evidências científicas sobre a eficácia, a efetividade e a segurança dos medicamentos, produtos ou procedimentos oferecidos. Crendeuspai!

Sem aperreio

Derrotado ainda no 1º turno da disputa pela Prefeitura de Aracaju, o petista Márcio Macedo afirma que cada pleito tem sua história. “Nós apresentamos um projeto de cidade e cumprimos o papel nesta eleição. Agora, é ter calma e defender nosso legado, nossa história, estruturar o partido”, discursa Márcio. Ele ressalta que o PT saiu vitorioso em Sergipe “e agora é ter tranquilidade até a próxima eleição”. Então, tá!

Recorte de jornal

Publicado no jornal Correio de Aracaju, em 17 de janeiro de 1913

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais