A NOVA TENDÊNCIA

0

O senador José Almeida Lima (PSDB) e o deputado federal João Fontes (PDT) caminham para uma composição política, que tende a oferecer uma nova opção para o eleitorado em 2006. Nas conversas que tiveram, durante uma reunião, da qual participaram o deputado estadual Luiz Garibalde, empresários Max Andrade e Gilson Figueiredo, e o superintendente do Sebrae, José Guimarães, foi definido o rumo que essa nova tendência adotará junto à sociedade sergipana. Hoje haverá uma nova reunião, acrescida de nomes como Antônio Samarone, Vovô Monteiro e Marcélio Bomfim, com o objetivo de consolidar uma identidade enquanto grupo, que envolva pessoas que já estavam filiadas ao PSDB e, logicamente, ao PDT.

 

Para que se consolide essa composição, é natural que se exija total convergência em todos os pontos. O primeiro deles é a necessidade de formação desse grupo, para servir de alternativa na disputa pelo Governo do Estado em 2006. Há, concretamente, a idéia de fusão dentro desse projeto que tem posições bem definidas. O pessoal concorda que essa nova tendência política tem que se apresentar de forma clara, sem subterfúgios, diante da sociedade sergipana, para que não deixe dúvidas do rumo que pretende adotar, na conceituação dos seus objetivos e propósitos. Já ficou decidido que esse novo grupo fará oposição sem arrodeios ao Governo do Estado, à Prefeitura de Aracaju e ao Governo Federal.

 

O grupo que se reuniu para ampliar os rumos em busca de mudanças estruturais na política de Sergipe, decidiu que não há qualquer perspectiva de entendimento, dentro desse projeto, com as forças que compõem o bloco petista. E de forma muito absoluta ao Partido dos Trabalhadores propriamente dito, ao segmento liderado pelo ex-governador Albano Franco, ao grupo que tem à frente o deputado federal Jackson Barreto, além de um complemento, que é o PCdoB, “que não é um partido, mas apenas uma sigla”, como definiu um dos membros dessa nova composição política. Quanto ao Partido Liberal e o PSB, que hoje dão suporte a essas forças, dentro da teoria de que a política é dinâmica, podem mudar de posição, desde que reconheçam que o modelo adotado pelo presidente Lula é desastroso e retrógrado. As duas legendas serão bem aceitas, dentro de um entendimento com essa força que está surgindo na política sergipana.

 

Com relação ao Governo do Estado, o senador Almeida Lima disse que “não temos nenhuma aliança, porque ela chegou ao fim quando não se fez um entendimento em 2004. Além disso, não estamos participando do Governo. Vamos fazer oposição e ficar distantes”. Almeida Lima acrescentou que o governador João Alves Filho (PFL) tem o seu projeto para 2006. “Nós temos outro projeto. Mas isso não quer dizer que os dois grupos fiquem impedidos de se cruzar, sabendo que não abro mão de minha candidatura ao Governo do Estado. Estaremos abertos ao diálogo, não vamos fechar as portas à classe política, não vamos delimitar um campo restrito, a não ser com esse grupo do PT”, disse o senador.

 

Durante o encontro ficou bem definido que não haverá entendimento com o ex-governador Albano Franco, porque isso seria compactuar com o Governo que ele executou durante oito anos. Há interesse em mostrar, de forma clara, como foi o período de Governo de Albano: “estamos entrando para valer. Se alguém tiver interpretando isso como antecipação de campanha, não concordo, mas será assim”, declarou Almeida Lima. No encontro que terá hoje, o grupo manterá essa linha de raciocínio, para mostrar que uma nova tendência vem surgindo, vai se fixar junto à sociedade e alterar os rumos de uma política que não representa os anseios da sociedade. Os objetivos estão traçados, a disposição aquecida e já vão entrar com todo gás para movimentar esse momento modorrento da política sergipana.

 

 

LICITAÇÃO

Pode ser lançada uma grande licitação de cartas marcadas onde empresas locais estão sendo preteridas e terão grandes prejuízos. O problema vai se tornar maior porque a empresa de outro estado que vai ganhar a concorrência já está trabalhando na cidade.

 

MOVIMENTO

Há, inclusive, um movimento de empresas de Sergipe, incluindo o sindicato, esperando esta licitação, para adotar as medidas cabíveis. Vão procurar a imprensa, o Ministério Público, parlamentares da oposição, para que denunciem o fato. Vai ferver…

 

ENTREVISTA

Durante a entrevista de ontem, o governador João Alves Filho (PFL) deu uma boa notícia aos servidores: “não haverá hipótese do estado não cumprir o salário mínimo de 300 reais”.

Disse, entretanto, que ainda não tem um grupo de estudos sobre o novo salário, porque isso só vai acontecer no mês de abril.

 

AGRESSÃO

A partir de agora, qualquer auxiliar do Governo que fizer críticas públicas a um colega, será demitido um ou outro. Foi o que disse o governador João Alves Filho, acrescentado que as discussões devem ser internas e por interesse do estado. João exige a unidade da equipe.

 

TRANSPOSIÇÃO

Quanto à transposição o governador João Alves Filho lembrou que fez manifestações contra ela desde quando o projeto foi tratado no Governo FHC. “Não me recordo de nenhuma notícia da presença do deputado Francisco Gualberto contra a transposição naquela época” disse.

 

DEMISSÕES

Durante a reunião uma repórter perguntou se os secretários da Comunicação, Carlos Batalha, e da Segurança, Luiz Mendonça, seriam demitidos. O governador foi rápido na resposta: “os dois nunca tiveram tão fortes e seguros no Governo” Desmentiu, assim, todas as especulações.

 

REUNIÃO

A reunião entre o governador João Alves Filho e o presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra (PT) aconteceu com os dois mais descontraídos. Segundo o deputado federa José Carlos Machado (PFL), todas as questões que o governador falou, Dutra se mostrou receptivo.

 

SOBRE GÁS

O governador João Alves Filho levou a reivindicação para que a Petrobras expandisse a distribuição de gás natural para as cidades do interior. José Eduardo explicou que não podia porque o Sergipe está em débito com a Petrobras e João Alves respondeu que a estatal deve muito mais a Sergás.

 

PROPOSTA

José Eduardo, então, propôs a criação de uma comissão formada por técnicos da Petrobras e do estado, para analisar essa questão. Será feito um levantamento criterioso para saber quem deve mais: A Petrobras a Sergipe, ou Sergipe a Petrobras.

 

VIRGÍLIO

O deputado João Leal (PL-BA) ligou para José Carlos Machado (PFL), anunciando que o candidato independente à presidente da Câmara Federal, deputado Virgílio Guimarães (PT), virá a Aracaju quarta-feira. Quer conversar com o prefeito Marcelo Déda, os deputados federais e fará uma visita ao governador João Alves Filho.

 

BOATO

Não passou de boato – de péssimo gosto aliás – a denuncia de ameaça da colocação de uma bomba no prédio da Secretaria das Finanças do Município. Apesar do tumulto provocado e nada ser encontrado, a Polícia continua investigando de onde partiu o telefonema.

 

CANDIDATO

O secretário de Finanças, Nilson Lima (PT) pode ser candidato a deputado federal. Vai depender de como o partido analisar a questão. Nilson Lima diz que está sendo estimulado a candidatar-se e no momento apropriado vai ouvir o que diz o partido.

 

PARTICIPAÇÃO

O secretário Nilson Lima lembra que desde 1986 que o Partido dos Trabalhadores tem votação expressiva na disputa pela Câmara Federal. Acrescenta que hoje o PT em Sergipe não tem representação na Câmara Federal e ele pretende preencher essa vaga em 2006.

 

Notas

 

VALADARES

O senador Antônio Caros Valadares (PSB) avalia que o governo estaria criando números de conveniência para ter aprovação popular do projeto de transposição do rio São Francisco, do qual ele se manifesta contrário, desde que não haja a revitalização, para o que ele tem emenda aprovada no Congresso. Segundo dados divulgados, a vazão do São Francisco seria de 360 m³ por segundo. Mas o número real seria de 240 m³ por segundo. Além da distorção de dados científicos a vazão do rio é insuficiente para o projeto.

 

COMPROMISSO

A deputada estadual Lila Moura(PFL), declarou ontem que aguarda o compromisso do governador João Alves Filho (PFL), em apoiá-la para ocupar uma das secretarias da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa, cuja eleição começa a movimentar parlamentares e a provocar conversas de bastidores. Lembra que a fidelidade sempre foi característica do governador a amigos e partidários. Daí ela acredita que contará com João Alves para a composição da Mesa Diretora, que será votada no próximo dia 2 de fevereiro.

 

ESTÂNCIA

O prefeito de Estância, Ivan Leite (PSDB), está preocupado com o montante de dívidas herdado do seu antecessor Jovani Bento, que garante ter deixado dinheiro em caixa para o seu sucessor. Realmente Bento deixou algum dinheiro na conta da Prefeitura, mas não dá para pagar 1% da dívida. Jovani Bento assumiu a Prefeitura em 1998 como uma esperança popular de fazer uma administração arrojada e voltada para a inclusão social. Entra na relação de um dos piores prefeitos que Estância já experimentou.

 

É fogo

 

O leitor Renato acha uma coisa horrível o adesivo que diz: “Visite Aracaju e tome uma multa”. O pior é que está nos carros dos sergipanos.

 

Mostrando indignação, Renato diz que “depois falam que o turismo não dá certo aqui. Também, com um povo desse”!

 

O deputado José Carlos Machado já disse que se o líder José Carlos Aleluia (PFL-PE) não for candidato, ele vota em Virgílio Guimarães para presidente da Câmara.

 

O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) teve que mudar o número do seu telefone celular. É que o anterior foi clonado em São Paulo.

 

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) viaja a Brasília na próxima quarta-feira, para ver como está a discussão em torno da eleição de presidente da Câmara.

 

Jorge Alberto disse que a tendência é seguir a orientação do partido, mas pode também optar por uma escolha pessoal. Jorge se dá bem com Virgílio Guimarães (PT).

 

O prefeito Marcelo Déda (PT) pode viajar amanhã, de férias, aproveitando o final de semana. Está confirmada sua presença na Marquês de Sapucaí.

 

Marcelo Déda sanciona hoje a lei de licitação do transporte público em Aracaju, durante entrevista que concederá à imprensa.

 

O ex-prefeito de Itaporanga D’Ajuda, César Mandarino, vai assumir a direção do Projeto Califórnia II.

 

No rastro do crescimento da economia, o setor de combustíveis recuperou as vendas no ano passado, deixando para trás um período de queda após o racionamento de energia elétrica em 2001.

 

A Receita Federal pode cancelar o CPF de cerca de sete milhões de contribuintes no início de fevereiro.

 

O governador João Alves Filho (PFL) vai passar o final de semana tratando da eleição da mesa diretora da Assembléia Legislativa.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários