A polícia que garante, a polícia que ameaça

0

Texto do jornalista Luiz Eduardo Costa, publicado no Jornal do Dia, do último final de semana. Para o leitor refletir:

Não deve ser essa a Polícia Militar de Sergipe que está nas emissoras de rádio falando através da boca dos que se apresentam como representantes da corporação armada.  A PM de Sergipe tem uma tradição de respeito a hierarquia e ao valores indispensáveis a uma organização regida por rigorosos mandamentos de respeito à lei, aos poderes constituídos, à sociedade democrática e às normas imutáveis que asseguram a disciplina e a coesão das organizações militares.

“Antes do corporativismo, do interesse particular, da ambição política tanto o funcionário civil como o militar, são obrigados a colocar em primeiro plano o interesse social”

Por ter armas na mão para a defesa da sociedade, os militares, mais do que os demais servidores públicos devem ter o cuidado de, em defesa de suas reivindicações, sempre se manifestarem com o comedimento necessário para que, aquilo que dizem, não possa ser interpretado como ameaça. Por melhor remunerados que venham a ser os trabalhadores sempre devem ter em mira reivindicações novas, que possam lhe assegurar um padrão de vida progressivamente melhor, desde que pautem aquilo que desejam pelo bom senso, pelo equilíbrio, pelo respeito às outras categorias, e também pela estrita observância as leis, mais rigorosas, quando se trata de militares, exatamente porque têm o direito constitucional de portar armas que, confiantemente, a sociedade lhe entrega. Isso vale para a Marinha, o Exército, a Aeronáutica, as policiais militares, e, de certo modo, também para a civil.

Antes do corporativismo, do interesse particular, da ambição política tanto o funcionário civil como o militar, são obrigados a colocar em primeiro plano o interesse social, exatamente porque, por definição, pertencem á categoria especial: são servidores públicos.

“ele não está somente desafiando o governo, ele está afrontando o povo que, em última análise, lhes paga os salários”

Quando um policial vai a um veículo de comunicação para anunciar a possibilidade de uma paralisação ou uma operação tartaruga durante os festejos juninos, quando mais se precisa da participação intensa da polícia, ele não está somente desafiando o governo, ele está afrontando o povo que, em última análise, lhes paga os salários. Não se discute aqui se as reivindicações são justas ou injustas, mas, sem duvidas, a forma de expressá-las vem sendo desastrosamente equivocada, tanto assim, que não são poucas as categorias de servidores que andam a olhar com muita má vontade para a polícia, cujos integrantes até poderão não estar satisfeitos, mas devem admitir que figuram entre os beneficiados pelos melhores salários do Brasil.

“Essa não pode ser uma tática inteligente de quem reivindica, da mesma forma como outros o fazem, todavia, sem ameaças e sem agressões”

Em meio a esse insensato e descomedido bate boca, que substitui lamentavelmente o diálogo civilizado, não pouparam sequer outros servidores públicos, e os procuradores do Estado foram tratados de uma forma se poderia classificar, no mínimo, de agressiva descortesia. Essa não pode ser uma tática inteligente de quem reivindica, da mesma forma como outros o fazem, todavia, sem ameaças e sem agressões. Enquanto isso professores, médicos, agrônomos, economistas, enfermeiros, engenheiros, percebem, em muitos casos, salários equivalentes a de um soldado. Não estamos desmerecendo, nem muito menos menosprezando as atividades do soldado, apenas mostrando a realidade salarial de um Estado que ainda não deixou de ser pobre, nem deixará de ser pelo menos nos próximos dez anos.

Licitação para locação de veículos
Há algumas semanas o blog vem estudando – com base em documentos – um problema surgido do nada na mais recente licitação realizada pelo governo estadual para locação de veículos. E com isso ela foi homologada com quem deu preço maior. O blog foi informado que a empresa que apresentou o menor preço – que dará uma econômica significativa ao Estado – ganhou uma liminar no TJ de Sergipe e até o Superior Tribunal de Justiça já deu decisão favorável. E agora?

Economia de cerca de R$ 10 milhões
O mais engraçado, para não dizer trágico é que a licitação realizada trouxe bons frutos para o governo estadual: dará uma economia de cerca de R$ 10 milhões durante todo o período. É muito dinheiro para um Estado que apresenta problemas financeiros. A pergunta que fica no ar: a quem interessa está confusão? Amanhã, 06, mais dados sobre o assunto.

PM/Corpo de Bombeiros. Perguntar não ofende
Apenas uma pergunta: O que aconteceu no Rio de Janeiro, envolvendo o Corpo de Bombeiros daqueles estado, esteve/está perto de acontecer aqui em Sergipe com a PM/Bombeiros, diante de tanta demonstração de indisciplina, de concessões e de omissões?

Maré no bairro 13 de Julho I
No último dia 23 de maio este espaço levantou a preocupação com a maré forte no trecho da Avenida Beira Mar, na 13 de Julho, do Iate Clube até a Academia Sport Conection. Os sinais de deterioração de algumas partes da balaustrada como também da calçada são significativos. No último sábado, uma equipe da Emurb estava no local recuperando um trecho da calçada que estava cedendo afetando a balaustrada.

Maré no bairro 13 de Julho II
O blog espera que os técnicos da Emurb tenham aproveitado que a maré estava seca no momento que trabalhavam no local e tenham feito uma avaliação do lado do rio, onde com certeza as águas da maré forte devem infiltrar no concreto e é necessária alguma providência urgente. Antes que algo grave aconteça no local.

Dr. Zé Rivaldo, candidato a prefeito?
Sarau Entre Amigos,  (Talk Show sergipano), idealizado, apresentado e produzido por Ludwig Oliveira. Talk Show – Programa (radio ou televisão) onde uma pessoa ou um grupo de pessoas se reunem e discutem vários tópicos que são sugeridos por um ou mais apresentadores. Geralmente, um talk show é uma espécie de "Conversação conversada" em oposição à "Conversação textual". Com a presença de um público (convidados) com direito a interação (manifestação), preponderando técnicas de descontração e informalidade, regado a bebida e comida. Acesse e veja: www.entreamigosnatv.com.br

TWETT

www.twitter.com/Gilbertotv   Enquanto Palocci na entrevista de ontem fingia falar a verdade, eu fingia acreditar.

www.twitter.com/WilliamFonseca o Brasil não pode cair nessa cilada de legalizar o uso da maconha. Não resolve nada e ainda dá moral aos que acham que usar droga é normal!

www.twitter.com/jc_insight  Um rede numa varanda e um cafuné… será que tem essa oferta no site Groupon ou no Peixe Urbano? compro agora.

www.twitter.com/valter_jornal  Aracajuana acaba de ganhar um avião de prêmios no Faustão. Muitos prêmios: dois carros, uma moto, R$ 45 mil, TVs…

DO LEITOR

Kartódromo e pista de motocross
Do leitor Virgílio Cardozo: “Sergipe tem coisas difíceis de entender. Tempos atrás, lutava-se para termos um cartódromo decente, depois, uma pista de motocross, ambos na orla. Conseguimos.Vieram um belo Kartódromo e por último, uma bela pista de motocross, ambos sucesso quanto a traçado e localização, mas, cadê os grandes eventos?É inadmissível que espaços públicos como estes se resumam a pequenos eventos vez ou outra e que não chegam juntos a meia dúzia durante todo o ano, quando na verdade deveria haver eventos o ano inteiro, buscar trazer o norte-nordeste, o brasileiro, etc. Se não se poder fazer, que se promovam parcerias com as Confederações de cada esporte, gente que entenda do ramo e onde se assumam compromissos nesse sentido, o de movimentar os locais propícios a competições.Por aqui, temos épocas do ano que chovem turistas: é Pré-cajú, é São João/São Pedro, Motofest em novembro, etc. Mas cadê os eventos nestas datas? Vamos pensar melhor a utilização destes locais, pois, não se vê a prática dos esportes como se devia; pelo menos, que se realizem eventos nestas ocasiões. É triste ver lugares como aqueles, propícios àqueles esportes, serem tão pouco utilizados. A localização é excelente e fomenta tudo quanto é atividade ligada ao turismo e afins; é uma reação em cadeia. Será que ficaremos sempre com aquela pecha de que as coisas somente funcionam do Rio Real para baixo. Cadê a logística!”

Avenida Melício Machado X Loteamento Aruana
Do leitor Kércio Silva Pinto: “Gostaríamos de homenagear a parceria entre a parabenizar a SEINFRA e a EMURB em buscar a recuperação da pavimentação da Av. Melício Machado, mas, na oportunidade, é imperioso lembrar aos nossos governantes de que o LOTEAMENTO ARUANA foi o primeiro empreendimento imobiliário na zona de expansão de Aracaju, e vive hoje em total abandono por parte do poder público. Vejamos: não há condições normais de tráfego de veículos, principalmente de ônibus pelas ruas esburacadas, tanto é que anos atrás foram “hasteadas” faixas na avenida Melício Machado e na erroneamente denominação “rodovia José Sarney”, que capeiam (escondem) o citado Loteamento dos turistas, denominando-o “BURACOANA”; vários empreendimentos comerciais foram fechados em decorrência da não trafegabilidade das vias e da deficiência na iluminação; e inexistência de praças e de área verde, quesitos obrigatórios nos empreendimentos imobiliários.Assim, estamos hoje sentido estar dentro de um invólucro charmoso, mas contendo em seu interior problemas graves que a sociedade não poderá visitar, formando, assim, um verdadeiro “planeta dos macacos”. Não perdemos a esperança e temos plena certeza que o Exmo. Senhor Prefeito, com apoio de um ou mais Vereadores, não findará o corrente ano sem a realização de obras estruturantes que colocarão a ARUNA no cartão postal de Aracaju”.

Campanha conta as muriçocas
Do leitor Rafael Dezen: “Estou entrando em contato para denunciar o problema que nós, moradores da Atalaia, Farolândia, Coroa do Meio, Robalo e Mosqueiro enfrentamos com as muriçocas.Todos os dias é a mesma coisa: tem muriçoca pela manhã em todos os cantos que você imaginar de uma casa e quando chega a noite ficamos refém de alguns grupos de muriçocas que parecem querer nos sequestrar.Deixamos de tentar exigir do prefeito que passem o fumaçe e resolvermos implorar a Deus para que nossa situação realmente possa mudar. Precisamos urgente da volta do fumaçe, queremos nossas vidas calmas, dignidade e poder receber visitas em casa novamente. Se o prefeito quiser provar se tem tanta muriçoca aqui na Atalaia posso oferecer minha casa pra ele. Ele pode passar o final de semana aqui, se aguentar mais de 4 horas de mosquito. E enquanto isso eu posso ir para o calmo e tranquilo apartamento dele na 13 de julho, viver a maravilha de não ser atormentado pelas muriçocas”.

Miséria, campanhas e tudo mais
Comentário de José Raimundo de Sousa: “Esta semana foi anunciado com ênfase até, o programa de erradicação da MISERIA, implantado pela presidente DILMA, com direito a festa no planalto central e tudo. Pois bem, quero ratificar que se não houver cuidado no fazer, cada ação dessas, pode o feitiço revirar sobre o feiticeiro. Sabemos que é preciso fazer algo, sim, distribuir renda sim, diminuir injustiças sim, mas dá esmolas a famílias as mil, sem cobrar a contrapartida que seria comprovação de adequação educacional principalmente, que seria criar os filhos num ambiente de religião, etc, etc.Porque o que se vê é o GOVERNO dando esmolas a torto e a direito, a mulherada nas novelas das 4 da tarde as 11 da noite, enquanto seus filhos e filhas indo pras drogas e para a prostituição ainda na adolescência, e as mães achando tudo normal, pois nas novelas ensina exatamente isso, e elas preferem perder os filhos pros crimes organizados e pras penitenciarias do que perder uma cena de novela.O que precisa fazer neste nosso BRASIL, 1-campanha de conscientização das pessoas, via TV, Radio e Jornal, 2- chamar todos estes meios de comunicação e dizer pra você continuar com a concessão terá que promover seu povo, educar a população com seu poder de chegar em todos, dizendo nossa campanha.3- criar um cartão, ou que modelo for, onde essas mães possam comprovar a cada três meses que seus filhos estão seguindo os preceitos educacionais e religiosos. E 4- que o próprio governo garanta a EDUCAÇÃO DE QUALIDADE, sendo este o ponto mais difícil, mas que para fazer um BRASIL melhor para tosos, com menos crimes, menos miséria, até o professor mais intransigente pensará duas vezes antes de fazer uma greve.E por fim, a dinheirama que os governos gastam dando ESMOLAS, se aplicados no setor produtivo das APLs, e no COMERCIO DA TERRA  de cada lugar, ao invés de ficar dando BILHÕES as multinacionais, tiraria o BRASIL deste estado de CRIMES,e desgraça,  em 20 anos. Porem se ficar só com paliativos, tipo: tapa aqui, tapa ali, tapa acolá, DAQUí aos mesmos 20 anos, ninguém poderá sair nas ruas sem um GUARDA COSTAS.PENSE NISSO”.

ARTIGO

Aracaju: uma cidade administrada sem planejamento – Nílson Lima*

A sensação de inoperância administrattiva que os cidadãos aracajuanos amargam no cotidiano, refletida na precariedade dos serviços públicos essencias que são ofertados ou controlados pela Prefeitura de Aracaju, bem como  na falta de resolutividade e criatividade para projetar e construir um futuro melhor – dada  a abundância de recursos disponíveis – é decorrente, fundamentalmente, da qualidade sofrível de sua  gestão, na medida em que despreza os instrumentos de planejamento, participação popular e de eficácia da administração pública.

Nesse sentido, cabe ressaltar a referência esclarecedora da forma de atuar que orienta a atual administração municipal , contida no  artigo escrito pela professora Lúcia Falcón, ex-secretária municipal de Planejamento e atual secretária de Planejamento e Investimentos Estratégicos do Ministério do Planejamento, com o título "A Força das cidades", publicado no Jornal da Cidade deste domingo, 5 de junho, ao chamar a atenção para a falta de utilização de instrumentos técnicos de planejamento pela Prefeitura de Aracaju.

No artigo, Lúcia informa que coordenou a elaboração de um plano para orientar o desenvolvimento da cidade nos dez anos seguintes. Diante de sua inexecução, ela questiona: "Após oito anos do plano, onde estamos?

Após lembrar que a lei do Estatuto das Cidades é datada de 2001, Lúcia responde com uma reclamação ainda mais contundente: "Após dez anos, por que ainda não temos nosso Plano Diretor nem os Códigos de Uso do Solo, Edificações, Posturas e Ambiental, embora tenhamos feito coletivamente com a sociedade os projetos de lei em 2005?".

Diante desse quadro desolador, a ex-secretária de Planejamento, aconselha o próximo prefeito ou prefeita a "pensar grande, na proporção da força que nossa cidade tem regionalmente", além de finalizar com um apelo simplesmente comovente: "Aracaju não tem mais nem um minuto a perder, diante da onda de crescimento benéfico que percorre a região Nordeste.

Em meio a declarações tão categóricas, por parte de alguém que conhece de perto a realidade retratada, resta aos cidadãos aracajuanos lamentar pelo tempo e os esforços que estão sendo desperdiçados, em face de uma gestão marcada pela apatia, improvisação e sem maiores compromissos com o futuro da cidade, mas, principalmente, que sejamos capazes de construir uma alternativa para resgatar e avançar na concepção de uma administração verdadeiramente participativa, planejada e  sintonizada com os ideiais da qualidade de vida, lastreada no desenvolvimento urbano equilibrado, em harmonia com a natureza e as necessidades coletivas do nosso povo.

*Presidente do PPS em Sergipe

Blog no twitter: www.twitter.com/BlogClaudioNun

Frase
“Quando o roubo o enriquece, o ladrão passe por homem de bem”. Thomas Fullher.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários