A ponte e a política

0

O advogado Ricardo Leite já foi candidato a prefeito de Aracaju. Uma aventura de um jovem, que pretendia entrar para a política pelo caminho mais tortuoso. Entre os seus projetos, destacava-se uma ponte que ligava Aracaju a Barra dos Coqueiros. Uma coisa meio futurista, que muito pouca gente levou a sério, porque à época não se tinha uma visão de expansão turística, que descobrisse um litoral norte pouco freqüentado, mas de imensa beleza natural. Talvez isso já tivesse se fixado na mente do então candidato, mas não mereceu a repercussão que hoje vem obtendo, através do início da construção, pelo governador João Alves Filho, cujo projeto integrou o seu programa de Governo. É verdade que o sonho de Ricardo Leite se deu há mais de dez anos, mas, certamente, o início da construção dessa ponte lhe faz constatar que a ousadia não era uma utopia.

 

O governador João Alves Filho (PFL) fez uma festa, ontem, com uma carreata pelas principais avenidas de Aracaju, para exibir ao público os primeiros equipamentos para o início das obras. Foi uma manifestação, com muitos fogos e um show com a cantora Amorosa. Esta é a segunda obra de toda a história das três administrações do governador João Alves Filho, que se faz uma exposição de material, como a que ocorreu ontem. A primeira foi com a adutora do sertão. Aracaju assistiu o desfile de dezenas de caminhões transportando tubos de um bom diâmetro, para levar água aos sertanejos e agora é a tão falada ponte, que criou tanta polêmica e certamente ainda vai servir para muitos discursos dos mais variados segmentos políticos, inclusive do próprio Governo.

 

De qualquer forma, a ponte tem uma influência política muito grande. Doze meses depois de João Alves Filho assumir o Governo, um dos seus mais próximos auxiliares fez uma declaração realista: “se João Alves Filho não construir a ponte Aracaju/Barra, pode amarrar as chuteiras, porque não disputará outra eleição”. Não é que o governador foi eleito porque prometeu construir uma ponte que liga uma cidade dormitório à Capital, mas porque passaria a ser um dos discursos mais fortes dos seus adversários. Na oposição, entre alguns parlamentares, o comentário era inverso: “João Alves Filho quer construir a ponte para se fortalecer na disputa pela reeleição”. E houve, realmente, um trabalho político de bastidores, para que todos os obstáculos fossem criados, com o objetivo de impedir a construção dessa ponte. É preciso reconhecer, que uma obra dessa vai modificar a estrutura de Aracaju, inclusive favorecendo a especulação imobiliária, que fará da praia que vai da Barra até Atalaia Nova uma das orlas que terá o metro quadrado mais caro do Estado. E é preciso preparar a cidade para isso.

 

Durante o jantar que ofereceu ao vice-presidente da República, José Alencar (PL), segunda-feira passada, no Palácio de Veraneio, o governador João Alves Filho mostrou um vasto programa de construções em todo o Estado e impressionou a Alencar. Depois, numa conversa informal, João declarou que o prefeito Marcelo Deda vai ter que trabalhar muito para chegar ao Governo do Estado. Ficou claro que, só a partir de agora, com recursos já definidos e um organograma traçado, é que o governador João Alves Filho vai iniciar as obras do seu Governo, a partir exatamente do início da ponte, que ocorreu ontem, e que se transformou em um desafio. Ninguém tenha dúvida que ainda se encontrarão alguns obstáculos, com a oposição fazendo o seu papel legítimo de criticar a obra. Mas isso será uma outra história, que terá de ser contada por sua equipe de marketing.

 

O deputado federal Jackson Barreto (PTB) já divulgou que mais importante que a construção da ponte é a realização de um programa social, que melhore a situação do homem do campo. Está claro que essa preocupação é de todos, porque não se pode desenvolver uma região, principalmente o litoral, sem sustentar uma política de inclusão social, capaz de evitar esta distorção que o brasileiro sempre assistiu. Segundo o programa exibido para o vice José Alencar, o volume de obras para o sertão é grande. Maior do que a construção da ponte. Entretanto, será exatamente a ponte que servirá de referencial eleitoral dentro de mais dois anos, quando o governador João Alves Filho tentar a reeleição, mesmo que os problemas do sertão tenham se reduzido.

 

ACERTO

O presidente da Emsetur, Ary Leite, já havia conversado com os manifestantes que estiveram em frente do prédio ontem, para efetuar o pagamento do débito hoje. Disse que não entendeu porque algumas pessoas levaram um boneco do governador João Alves Filho e três homens saíram de dentro de um carro preto, para acabar com a manifestação.

 

SEGURANÇA

Ary Leite foi à Secretaria da Segurança solicitar que houvesse uma investigação para saber que se infiltrou no meio do pessoal, que inclusive já sabia que ia receber dinheiro hoje. Ary acha que foi uma manifestação organizada, com objetivos políticos. Segundo a Emsetur, o debito é com o pessoal da Vila do Forró, num total de R$ 75 mil.

 

BOSCO

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) disse que está esperando uma decisão da Executiva Nacional do partido, sobre a filiação do senador José Almeida Lima. Bosco disse que Almeida Lima lhe comunicou que deseja ser candidato majoritário em 2006: “não sei como ele vai comandar o partido”.

 

COMUNICADO

Como presidente regional do PSDB, Bosco Costa disse que não recebeu nenhum comunicado da Executiva Nacional sobre as mudanças. Anunciou que quando houver uma definição, ele vai ouvir os membros do partido, para saber como cada um deles pretende se comportar.

 

SEMELHANÇA

O governador João Alves Filho (PFL), em termos de sucessão municipal de Aracaju, tem o mesmo comportamento do seu antecessor Albano Franco (PSDB). Apesar de ter dois candidatos aliados, um diretamente incentivado por ele, como Susana Azevedo (PPS), se mantém absolutamente neutro sobre o assunto.

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) enviou oficio ao Ministério dos Transportes, pedindo a reinício das obras de duplicação da BR-101 e acesso de Aracaju a Itabaiana. Valadares, inclusive, enviou fotografias da BR-101, mostrando a situação da rodovia, dos viadutos inacabados e do perigo de trânsito entre Aracaju a Pedra Branca.

 

RESPOSTA

Através do Denit (ex-DNER), o Ministério dos Transportes comunicou ao senador Valadares que as obras da rodovia encontram-se paralisadas por decisão do Tribunal de Contas da União. No mesmo ofício avia que “o projeto de duplicação, devido ao tempo decorrido, está sendo revisado para posterior aprovação e repactuação dos preços”.

 

PROCESSO

O processo que trata do reinício das obras da BR-101 já está com o ministro Marcos Vilaça, do Tribunal de Contas da União. As contas já tiveram seus preços repactuados e agora o pessoal vai ao ministro, para tentar que ele avalie e envie para o Congresso, a fim de reiniciar as obras.

 

CONVITE

Usando da amizade com o ex-governador Albano Franco, o vice-presidente da República, José Alencar (PL) insiste em levá-lo para o seu partido. Dentro do seu estilo, Albano Franco nunca diz sim, mas também não recusa: “é sempre um talvez, quem sabe, vamos esperar mais um pouco…”

 

QUESTÃO

Internamente o Partido Liberal fica alvoroçado com a possibilidade da filiação de Albano Franco: “o pessoal do partido pode se sentir sem espaço”, disse um liberal. Alguns deles acham que essa filiação daria uma balançada na legenda, porque muita gente poderia deixa-la. Mas o pessoal de Albano se filiaria…

 

RETORNO

A bancada federal que viajou a Brasília para um esforço concentrado, está retornando a Sergipe sem dar um único voto a qualquer projeto. A oposição está obstruindo todas as sessões da Câmara, em razão da crise entre o senador Tasso Jereissati e ministro do Governo Lula.

 

GOVERNO

O governador João Alves Filho (PFL), durante o jantar que ofereceu ao vice-presidente José Alencar (PL), reforçou o convite ao deputado Heleno Silva para integrar o Governo. Também no jantar, o governador confidenciou para um empresário que “as obras do meu Governo vão começar agora”. E continuou: “se Marcelo Deda pensa que terá o Governo fácil, está muito enganado”.

 

IBOPE

O candidato a prefeito pelo PRP, José Renato Sampaio, revela que a pesquisa Ibope foi realizada com apenas quatro programas de televisão, dois dos quais dos majoritários. Admite que há uma tendência para o segundo turno, porque Marcelo Deda já chegou ao limite de crescimento e os demais candidatos têm muitas falhas a mostrar.

 

FABIANO

O deputado Fabiano Azevedo (PTB) participou, animado, do comício do prefeito Marcelo Deda, candidato à reeleição pelo PT, ontem à noite, no Bugio. Fabiano acha que Deda ganha no primeiro turno. A banda Psirico fez o show do comício, na base da amizade com Fabiano Oliveira.

 

 

Notas

 

MUDANÇAS

A fonte é segura e integra a equipe do governador com muita força: depois das eleições haverá mudanças na equipe de Governo. Será de forma estrutural. Pode acontecer no início de 2004, mas João Alves Filho está querendo um grupo de auxiliares mais vibrante, audacioso e que tenha entusiasmo pelas mudanças. Há muitas queixas, às vezes do próprio governador, por uma certa comodidade de setores da equipe de Governo. Como os dois próximos anos serão de muitas obras e inaugurações, será preciso que haja uma mudança na equipe.

 

PROJETO

O projeto da água em Sergipe é extenso e não será realizado se setores do Governo não arregaçar as mangas, se entusiasmar pela causa e levantar a bandeira do otimismo, com perseverança, para que as coisas andem para valer e saiam do papel. Com a mudança pode entrar muita gente nova na política. Segundo opinião de pelo menos dois auxiliares, tem secretário demonstrando cansaço – ou fastio – na Pasta em que se encontram. Não propriamente pelo poder, mas pelas atribuições que são naturais para se manter usufruindo dele.

 

REPETIÇÃO

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) foi à solenidade de entrega da Medalha Aperipê ao vice-presidente José Alencar, segunda-feira, no Teatro Tobias Barreto e lá viu de quatro a cinco auxiliares que já foram do Governo João, permaneceram no Governo Albano e hoje continuam no Governo João. É uma demonstração de que há uma continuidade administrativa, que precisa urgentemente ser modificada, porque há troca de comando, mas a tropa permanece quase a mesma. Lógico que há comodismo e falta de criatividade.

 

É fogo

 

A deputada Susana Azevedo, candidata à Prefeitura pelo PPS, passou a tarde de ontem gravando, mesmo com uma forte gripe.

 

Susana Azevedo está há quatro dias à base de remédio, inclusive injetável, para tentar ficar em pé. Teve febre e está com o corpo mole.

 

O voto contra ao projeto de reforma administrativa, dado pela deputada Susana Azevedo, lhe criou problema político junto a setores do Governo do Estado.

 

O secretário da Fazenda, Max Andrade, também passou a manhã muito abatido. Está acometido de forte gripe.

 

O candidato do PMDB, deputado Jorge Alberto, está em Brasília, participando do esforço concentrado desta semana.

 

Só que esse esforço concentrado foi um blefe, porque não se votou em absolutamente nada. Seria mais lucrativo para o candidato ter permanecido em Aracaju.

 

Do alto dos seus 53% de preferência, segundo pesquisa do Ibope, o prefeito Marcelo Deda, candidato à reeleição, não pode colocar sapatos altos.

 

O candidato do PRP, José Sampaio, diz que o presidente Lula quer colocar mordaça no Ministério Público e controlar a imprensa e a cultura.

 

A ligação do conjunto Augusto Franco ao Sol Nascente, através de uma ponte, será uma das maiores obras de qualquer um dos candidatos que seja eleito prefeito.

 

O deputado federal João Fontes (Psol) apresentou emenda ao orçamento com recursos destinados à construção da ponte.

 

A burocracia e a complexidade da legislação colocam o Brasil entre os piores paises do mundo, para abrir e tocar negócios.

 

O Brasil, entretanto, é um dos mercados emergentes mais transparentes no que se refere à publicação de dados financeiros das empresas de capital aberto.

 

Por Diógenes Brayner

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários