A questão do BNDES

0

A questão do empréstimo do BNDES a Sergipe, para construção da ponte Aracaju/Barra, deve ter chegado ao fim. É possível que terça-feira – 3 de janeiro – tudo esteja assinado e o dinheiro depositado até a sexta-feira. Para que isso acontecesse houve muita discussão e interferência até do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e o consentimento final do presidente Lula. Até chegar ao Planalto houve muitas conversas e contrariedades, que tiveram início com um encontro entre o deputado federal José Carlos Machado (PFL) e o superintendente da SMTT, Bosco Mendonça, em Brasília. Os dois almoçaram na terça-feira da semana passada e Bosco disse que a Prefeitura de Aracaju pretendia fazer um convênio com o governo do estado, para financiamento da estrutura viária da cabeceira da ponte. Segundo Bosco, não bastaria apenas um protocolo de intenção, como o que fora enviado pelo prefeito Marcelo Déda ao Palácio dos Despacho – inclusive protocolado – no mês de agosto.

 

O deputado José Carlos Machado sugeriu a Bosco que retornasse a Aracaju no mesmo dia e, já na quarta-feira, promovesse uma reunião de técnicos do estado e do município, para a elaboração do convênio que deveria ser assinado entre Marcelo Déda e João Alves Filho. Machado entrou em contato com o secretário da Infra-estrutura, Luiz Durval, para que facilitasse o encontro dos técnicos, junto com o secretário do Planejamento, Sérgio Fontes. Os dois tentaram uma conversa com o vice-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), porque Marcelo Déda se encontrava em uma reunião no Recife, não houve êxito. Na terça e quarta feiras José Carlos Machado tentou um contato com Marcelo Déda e não foi possível. Um dia ele estava em reunião e no outro em confraternização com jornalistas, o que era verdadeiro.

 

José Carlos Machado deixou o hotel em Brasília, quarta-feira passada, e ao gabinete do líder do PFL na Câmara, Rodrigo Maia. Relatou todas as tentativa de uma conversa para que fosse feito o documento: “lamentavelmente não foi possível”, disse Machado. Os dois – Machado e Maia – foram conversar com o líder do PFL no Senado Federal, José Agripino, e combinaram que não votariam os créditos do governo federal por acordo. O problema foi criado, porque faltavam 18 créditos importantes. O assessor do ministro Jaques Wagner, da Coordenação Política, telefonou às 15 horas para saber o que estava acontecendo e foi informado da questão que envolvia o empréstimo do BNDES a Sergipe. O deputado José Carlos Machado, logo após o telefonema do Ministério, foi chamado ao gabinete do presidente do Congresso, Renan Calheiros. Quando chegou lá já estavam o líder José Agripino, o senador Artur Virgílio (líder do PSDB), deputado Rodrigo Maia, senadores Romero Jucá, Paulo Octávio e Fernando Bezerra, líder do PT.

 

A discussão continuava em torno do empréstimo para Sergipe, que estava acertado, mas não saía. O senador José Agripino advertiu: “O BNDES só vai fazer isso se o presidente Lula autorizar”. Sugeriu-se então que Renan Calheiros desse um telefonema para o presidente do BNDES, Guido Mantega, e tentasse resolver o problema. Ligação feita resposta imediata: “Isso só depois de falar com o chefe (Lula)”. Alguns minutos depois Mantega retorna a ligação e Renan passa o fone para José Agripino: “senador não se preocupe, amanhã (5ª feira) ou no máximo terça-feira (03/01) assinaremos o contrato e a liberação do dinheiro sairá imediatamente”. O PFL pediu o aval de Renan e foi dado na hora. Antes de chegar ao gabinete de Renan Calheiros, o deputado Machado recebeu telefonema de Marcelo Déda: “Soube que você está chateado comigo”, disse-lhe o prefeito. “Claro, desde terça-feira que tento falar com você e não consigo”.

Agora, realmente, as coisas estão mais tranqüilas. Ontem, Sérgio Fontes ligou para Machado e comunicou: “está tudo concluído, só falta o governador João Alves e o prefeito Marcelo Déda assinarem o convênio”. Evidente que se não houvesse essa desenvoltura do deputado Machado, com certeza o empréstimo ainda estava dependendo de um sinal do presidente Lula.

 

 

DÉDA

O prefeito Marcelo Déda (PT) disse, ontem, que desde agosto está protocolado no Palácio dos Despachos solicitação de abertura de entendimento para formalização de um convênio.

Acrescentou que a única posição sua em relação à ponte foi a de exigir os recursos necessários para a questão viária na cabeceira.

 

TELEFONEMA

Déda confirmou o telefonema do senador Arthur Virgílio (PSDB) e lhe informou que da parte da prefeitura não existe nenhum impedimento em relação ao empréstimo do BNDES.

Disse que apenas exige a assinatura de um convênio entre governo e município para liberação de recursos para construção da integração viária.

 

POLICHINELO

Marcelo Déda disse que isso não é segredo de polichinelo, é fato que pode ser constatado através da solicitação protocolada em palácio.

Déda disse ainda que a Prefeitura aceitou pagar as desapropriações da avenida Euclides Figueiredo e fazer o asfaltamento de outra avenida, com recursos próprios.

 

RENAN

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), ligou para o presidente do BNDES, Guido Mantega, e pediu que liberasse o empréstimo para a ponte Aracaju/Barra.

Ouviu a seguinte resposta: “Isso só depois de falar com o chefe”, referindo-se ao presidente Lula. Aconteceu na quarta-feira.

 

RETORNO

Quinze minutos depois Guido Mantega retorna para o presidente Renan e transmite certamente a resposta que ouviu “do chefe”.

Renan passou o telefone para o senador José Agripino e ouviu a voz de Mantega: “amanhã (quinta-feira) ou no máximo terça-feira (03-01) o empréstimos estará sendo depositado”.

 

GASODUTO

O relatório do deputado federal José Carlos Machado (PFL) para o orçamento da Petrobrás para o próximo ano, já foi aprovado.

Machado incluiu no orçamento R$ 30 milhões para construção de extensões do viaduto para Itabaiana e Lagarto.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) disse ontem que só vai conversar sobre composições a partir de janeiro: “há muito tempo para isso”.

Acrescentou que é preciso conversar muito com as bases do partido, para que todos tomem uma decisão e todo mundo acompanhe.

 

RICARDO

Quanto ao empresário Ricardo Franco, o ex-governador Albano Franco disse que ele se mostra animado e realmente disposto.

Admite que Ricardo tem maior tendência para o executivo, já que atua diretamente na área de administração empresarial.

 

LEITE

O prefeito de Estância, Ivan Leite (PSDB), já divulgou o nome que apoiará para deputado estadual: Gilson Andrade.

Ivan, entretanto, não deixou claro quem apoiaria para o governo do estado, embora mantenha bom relacionamento com João Alves Filho.

 

CONSTRUÇÃO

O governador João Alves Filho autorizou ontem o reinício das obras da primeira etapa do projeto Jacaré-Curituba.

Será construída uma adutora para abastecimento da área ocupada por 800 famílias assentadas pelo Incra, no município de Poço Redondo.

 

CAIXA-2

Serão criadas em todos os estados, delegacias da Polícia Federal especializadas no combate à lavagem de dinheiro e outros crimes financeiras.

O Ministério da Justiça quer que as delegacias estejam funcionando para as eleições de 2006 e apurem a prática de caixa dois.

 

CONSELHO

Candidato que está habituado a práticas desonestas e corruptas de adquirir mandatos, inclusive em Sergipe, precisa ter muito cuidado.

Os policiais federais vão trabalhar a partir de denúncias e investigar campanhas que gastem acima do normal.

 

PARCERIA

O prefeito Marcelo Déda, durante a inauguração da avenida Oviedo Teixeira, nos Jardins, exaltou as parcerias que tem feito com o grupo liderado por João Carlos Paes Mendonça.

O empresário João Carlos doou à Prefeitura de Aracaju a importância de R$ 700 mil, para obras importantes.

 

REAÇÃO

Prefeitos dos 74 municípios que terão seus orçamento reduzidos para recompor os valores pedidos por Canindé do São Francisco não vão cruzar os braços.

Através das associações de prefeitos vão entrar com mandados judiciais para derrubar a decisão do Judiciário, acatado pelo Tribunal de Contas.

 

 

Notas

 

MUDANÇAS

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Caputo Bastos, deu prazo até 15 de janeiro de 2006 para que os partidos encaminhem propostas definitivas de alteração da legislação eleitoral. Caputo Bastos informou que o calendário eleitoral será publicado muito breve no Diário da Justiça.
A verticalização deverá ser examinada pelo TSE em fevereiro, que pode reinterpretar a legislação, e, assim, rever a decisão de fevereiro de 2002, pela qual as coligações no plano federal devem ser repetidas nos estados.


REFORMA
A PEC 446/05, do deputado Ney Lopes (PFL-RN) terá que ser alterada mais uma vez. O texto original permitiria que as mudanças eleitorais sugeridas, desde que aprovadas até 31 de dezembro deste ano, poderiam valer para as eleições de 2006. Como a votação será em janeiro, perde a validade de data.

A proposta prevê a listas pre-ordenadas nas eleições proporcionais, a criação de federações partidárias e financiamento público. O senador Jorge Bornhausen (PFL-SC) quer reduzir a duração e os custos das campanhas.

 

CASSAÇÃO

A Câmara analisa o Projeto de Lei do deputado Carlos Nader (PL-RJ), que propõe a cassação do registro dos hipermercados, supermercados e estabelecimentos similares que comercializarem produtos cuja origem não possa ser identificada. “O projeto vai subsidiar ações para coibir o roubo de cargas no País”.
Pelo projeto, o estabelecimento terá o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) cancelado se mantiver produtos sem a devida escrituração fiscal, sem as notas fiscais respectivas ou com notas fiscais fraudadas.

 

 

É fogo

 

O nome do PSB para vice-governador na chapa de Marcelo Déda é o deputado estadual Belivaldo Chagas.

 

O PSB topa até discutir nomes e debater a melhor chapa, só não aceita veto. É o que diz o senador Antônio Carlos Valadares.

 

O governador João Alves Filho (PFL) só vai discutir política depois dos festejos de final de ano. Talvez apenas em março.

 

Fabiano Oliveira avisa que todos os camarotes do Pré Caju já foram vendidos. Mostra-se muito animado com a prévia retornando para a Beira Mar.

 

Até o momento na se fala em convocação extraordinária da Assembléia Legislativa. Mas vai acontecer em janeiro, podem aguardar.

 

O senador José Almeida Lima (PMDB) está se preparando para a campanha eleitoral do próximo ano. Está na disputa pelo governo.

 

O ex-deputado Leopoldo Souza está projetando retornar à política e talvez dispute um mandato em 2006.

 

A cúpula nacional do PDT deverá conversar com o governador João Alves Filho, que tem interesse em formar uma aliança com o partido em Sergipe.

 

Engana-se quem pensar que o ex-governador Albano Franco está sem fazer política. Podem ter certeza que ele não pára.

 

A prefeita de Itabaiana, Maria Mendonça (PSDB) participou da confraternização do PSC, quinta-feira passada.

 

O prefeito Marcelo Déda participou, quinta-feira, do almoço de confraternização dos prefeitos da região do Cotinguiba, do qual ele é integrante.

 

Déda viaja hoje para um descanso de uma semana fora de Aracaju, mas retorna no próximo sábado e participa do reveillon na praia de Atalaia.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais