Abraço de afogados

0

Derrotados nas últimas eleições, o ex-governador João Alves Filho (DEM) e o deputado federal Albano Franco (PSDB) voltaram a se aliar para comandarem juntos a campanha do presidenciável José Serra (PSDB) em Sergipe. Nada demais se ambos não tivessem trocado pesadas farpas até o último dia 3, tendo a senadora e esposa de João, Maria do Carmo (DEM), afirmado que o que pensa sobre Albano é impublicável. Isso sem falar nas cobras e lagartos lançadas pelo deputado federal Mendonça Prado (DEM) contra o político tucano. Ao se juntarem agora, os dois deixaram claro que fazem qualquer coisa para não serem alijados do poder, o que acontecerá se Serra for derrotado pela petista Dilma Rousseff. Portanto, a reaproximação de João e Albano assemelha-se ao desesperado abraço de afogados.

Projeto Pijama

Deverá chegar à Assembléia nos próximos dias um projeto do Governo reestruturando a Polícia Militar. Comenta-se nos corredores do Palácio de Despachos que a propositura prevê uma drástica redução do número de coronéis. Pelo menos 12, dos atuais 30 oficiais com maior patente, seriam mandados para a reserva remunerada. A última vez que se reformou em bloco coronéis da PM foi no governo Albano Franco (PSDB).

Gado na vitrine

A Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) abre amanhã as inscrições para a 69ª Exposição de Sergipe, que acontecerá em Aracaju de 7 a 14 de novembro próximo. Os pecuaristas interessados em inscrever seus bovinos, equinos, caprinos e ovinos deverão providenciar antes xerox do registro do animal e pagar a taxa de inscrição.

Contra a Câmara

Os vereadores aracajuanos estão por aqui com o secretário municipal da Saúde, Antônio Samarone. É que ele teria prometido prestigiar ontem a sessão especial para comemorar o Dia do Médico, mas não apareceu nem mandou representante. Diferente de Samarone, a secretária estadual da Saúde, Mônica Sampaio, participou da sessão. Embora já tenha sido vereador, o auxiliar do prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) não engole as críticas dos parlamentares à política municipal de saúde.

Moção de apoio

Apesar de Samarone, a Câmara de Vereadores aprovou ontem uma moção de apoio ao prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) em virtude dos ataques de grupos políticos que visam enfraquecer a credibilidade da atual administração municipal. “Os vereadores de Aracaju acreditam na capacidade, habilidade e virtudes de Vossa Excelência, aprovando sua administração e dispondo-nos a auxiliá-lo e a lutar ao seu lado pelos ideais de justiça, igualdade e cidadania, princípios esses tão particulares à sua pessoa”, diz o texto dos vereadores.

Formação indígena

O Ministério Público Federal recomendou à Secretaria de Estado da Educação que contrate professores indígenas para a escola da aldeia Xocó, localizada em Porto da Folha, no sertão sergipano. A recomendação lembra que a Resolução nº 03/99 do Conselho Nacional de Educação (CNE) prevê que os professores indígenas podem lecionar enquanto realizam a sua própria formação.

Novo recurso

A Procuradoria Regional Eleitoral não se conformou com a decisão do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral, que absolveu a senadora Maria do Carmo e o ex-governador João Alves Filho. Os dois foram acusados de usarem a estrutura da Secretaria da Educação na eleição de 2006. No recurso, o procurador Ruy Neto Mello afirma que os dois utilizaram o banco de dados da Secretaria para ter acesso aos endereços dos estudantes e enviar cartas a eles pedido votos. O procurador pede a cassação do mandato de Maria e a condenação de João Alves.

Mais ônibus

Empresas de transporte coletivo que servem à Grande Aracaju adquiriram 14 novos ônibus. Todos os veículos possuem assentos especiais, de cor amarela; GPS, que facilita a ação da recém inaugurada Central de Trânsito da SMTT; e bloqueio de portas, além de serem equipados com sistema que garante acessibilidade às pessoas com deficiência.
Até janeiro de 2011, mais 34 novos ônibus entrarão em circulação na capital. Tomara que com a chegada desses novos coletivos o serviço melhore.

Como e dorme

Como será que se sente o eleitor ao saber que os deputados e senadores eleitos, alguns a peso de ouro, só “trabalham” três dias por semana? Diferente do operário, que acorda cedo, todos os dias, para enfrentar uma jornada de trabalho de oito ou mais horas, os come e dorme do Congresso vão à Brasília na terça-feira, dão uma ‘enrolada’ e retornam aos seus estados na quinta-feira à noite. Além de terem praticamente todas as despesas pagas, ainda recebem uma grana preta no final do mês. Portanto, quando essa turma briga para se eleger, não está pensando no trabalhador, mas nas mordomias.

Do baú político

Em 1978, os três candidatos da Arena ao Senado foram para a campanha sabendo que os dois que perdessem ganhariam bons cargos públicos. O segundo mais votado seria indicado prefeito de Aracaju e o outro ocuparia uma função na esfera federal. Apurados os votos, Passos Porto elegeu-se com 84.500 votos, tendo Heráclito Rollemberg ficado na segunda posição com 66.336 votos. Logo após o pleito, ele foi nomeado prefeito da capital. O médico estanciano Paulo Amaral obteve a terceira votação (11.298) e ganhou a superintendência do Inamps em Sergipe. Após tomar posse, Passos Porto foi procurado por um jornalista que quis saber a sua impressão sobre o Senado e ele, naquele seu jeito bonachão, não titubeou: “Melhor do que o Senado só o Céu.”.

Confira mais novidades do Brasil e do mundo

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais