Absurdo na Polícia Militar

0

Quem acompanha este espaço sabe da luta que vem encampando para que o governo do Estado cumpra (pelo menos) alguns pontos defendidos na campanha eleitoral, entre eles, acabar com as práticas nocivas existentes na administração públicas. Um deles é o uso dos veículos públicos. A coluna vem publicando, quase que diariamente, abusos cometidos com veículos, principalmente por servidores da SSP.

 

Pois bem! Pode sentar caro leitor. Imagine um carro locado pelo Estado, com chapa fria, sendo usado por um filho de um coronel. É verdade. No dia 5 de dezembro, perto da ponte da Coroa do Meio, no sentido centro, próximo ao retorno, ocorreu uma colisão na traseira de um veículo. O motorista do veículo que sofreu a colisão – um amigo de mais de 30 anos e filho de pessoa que faz parte do governo – desceu do carro para conversar com o outro motorista que provocou o acidente. Isso por volta das 19h. Do veículo que bateu na traseira – um astra prata, da ST Locadora – descem dois jovens que iam para a Faculdade Fama. O amigo motorista disse que não tinha problema se resolvesse os danos causados. Logo após chegou um amigo dos jovens de apelido “Baiano”, que informou que o jovem não tinha habilitação e tudo seria resolvido porque o pai do jovem é o coronel da PM, Antônio dos Santos. Acertaram o conserto do veículo e tudo mais. Passados alguns dias e sem solução o motorista prejudicado ligou para o pai do jovem que atendeu com grosseira e ameaças.

 

O motorista prejudicado foi na ST locadora e foi informado que o veículo – o astra prata com placa fria – é realmente alugado pelo Estado e que o coronel é conhecido no local como “bate bate” porque em um mês foram seis colisões provocadas pelo filho dele.

 

E agora Kércio Pinto? Não dá nem para cobrar do comando da PM, que é conivente e ausente. O governador, com certeza, não aceita esses abusos. E mais. Não adianta tentar passar que o carro não era locado ao Estado. É a pura verdade. Aliás, se não fosse por qual motivo usava uma placa fria? Ou mais, um coronel da PM não iria gastar mais de 50% do salário mensal para locar um veículo. Não é essa a polícia que Sergipe quer, com certeza não é essa a atitude da maioria dos policiais que é correta e séria.

 

Homologação do concurso da SEED e SEAD

Foi publicada no diário oficial do estado, datado do dia 10 de dezembro, a homologação do concurso da SEED e SEAD devidamente assinada pelo secretário de administração Jorge Alberto.

 

AL: Mesmice não aconteceu, por enquanto

Ontem, 13, os deputados estaduais encerraram o período legislativo aprovando diversos projetos, porém muitos enviados pelo Executivo nos últimos dias ficaram de fora numa clara intenção de que o governador faça a convocação extraordinária. Entre os projetos que não foram votados estão o que cria o fundo de financiamento previdenciário, o do regime jurídico das fundações e o da parceria no combate a violência, entre outros.

 

Segurança Pública: desafios e perspectivas I

Interessante o artigo do delegado Paulo Márcio, publicado no último dia 11 no Jornal da Cidade. No artigo, com o título “Segurança Pública: desafios e perspectivas”, o delegado aborda a criminalidade como fenômeno social, através da exclusão social, principalmente nas regiões metropolitanas e grandes centros urbanos. “Assim, não é difícil deduzir que, tanto em Sergipe quanto nos demais estados da federação, prevenir e combater a criminalidade de modo eficaz requer a superação de uma gama enorme de desafios que, com pequenas variações de uma para outra unidade federativa, são, na essência, os mesmos: a) reestruturação do aparato policial; b) implantação de uma política penitenciária verdadeiramente humanista e em oposição ao modelo atual, meramente segregacionista; c) valorização do espaço local nas ações preventivas de violência e criminalidade, vale dizer, inclusão dos municípios no sistema estadual de segurança pública, maximizando o papel estratégico desse ente federativo na adoção de medidas sociais e urbanas de caráter preventivo; d) integração entre as agências policiais, os órgãos de justiça criminal e a sociedade civil, por meio de uma gestão participativa da segurança pública; e) diminuição da pobreza e das desigualdades sociais”.

 

Segurança Pública: desafios e perspectivas II

Paulo escreve sobre o planejamento estratégico da segurança pública de Sergipe e relata: “Não há dúvida de que, a partir do próximo ano, com um orçamento elaborado em seu próprio governo e um conhecimento bem mais aprofundado sobre as questões relativas à Segurança Pública, Marcelo Déda, dando continuidade ao que já vem fazendo com muito empenho, envidará todos os esforços para fazer cumprir, uma por uma, as ações constantes do planejamento estratégico, algumas delas já iniciadas este ano. No tocante à questão policial, é imperioso destacar que a valorização das carreiras profissionais é um dos temas mais delicados e urgentes. Enfrentá-lo, portanto, exigirá, tanto do governo quanto das entidades de classe, muito diálogo, equilíbrio e bom senso, pois se, de um lado, não se pode exigir beatitude de quem expõe a vida diariamente e não consegue viver com dignidade, de outro há que se ter em conta que a capacidade orçamentária do Estado é limitada, porquanto adstrita às balizas fiscais legalmente impostas a todos os entes federados”.

 

Anúncio de melhorias no sistema de transporte adiado

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, adiou para a próxima semana o café da manhã para divulgar as melhorias que serão realizadas no transporte coletivo da capital. A data, o horário e o local serão confirmados na próxima semana. A meta da Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), por meio de parceria com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp), é conscientizar a população para o respeito ao idoso, aos Portadores de Necessidades Especiais (PNEs) e oferecer um melhor tratamento aos usuários do transporte público. (Secom/PMA).

 

Leitor esclarece festas na Sarney I

De um leitor: “Há dois dias consecutivos leio em sua coluna reclamações sobre as festas ocorridas em um bar na Rodovia José Sarney. Estão reclamando como se essas festas ocorressem todos os finais de semana. Acontece que elas não ocorrem mais que um vez ao mês e ficando até meses sem ocorrer. Disseram até que os tapumes da festa invadem o passeio. Gostaria de saber qual o passeio que ali existe e se há realmente uma quantidade expressiva de pessoas que se utilizam desse passeio. Nos dias das festas a SMTT bloqueia a pista para que os carros não passem em frente ao local da festa, garantindo assim maior segurança aos foliões que transitam em frente ao bar onde acontece a festa”.

 

Leitor esclarece festas na Sarney II

Continua o leitor: “Na matéria de hoje, 13, um leitor fala de moradores da Aruana e Robalo que irão fazer protestos caso as festas continuem a acontecer. Acontece que essas festas ocorrem em um bar que fica muito distante da Aruana, impossível até mesmo de se escutar uma música sequer. E quanto aos moradores do Robalo, pode até mesmo escutar algum barulho, mas certamente nada que se faça incomodar, uma vez que a Casa de Show Miami Hall está próximo ao Bairro 13 de Julho e Jardins e até hoje não vi nenhuma reclamação por parte dos moradores desses bairros quanto ao barulho provocado por essas festas”.

 

Bloqueio nas festas da Sarney prejudica moradores I

De um leitor: “Sobre essas festas que são realizadas na rodovia José Sarney, eu não poderia ficar calado. Na última sexta feira, 7, foi realizado o “Luau do Nana”. Com o objetivo de relaxar durante o fim de semana, eu, minha namorada e mais dois casais de amigos nos dirigimos à casa de praia, que fica no condomínio Viva Vida, logo depois do local da festa. Fomos pela avenida Melício Machado para fugir do trânsito, quando chegamos próximo ao trevo de acesso à rodovia José Sarney, três policiais da Companhia de Policiamento Rodoviário (CPRv), resolveram fazer um bloqueio. Cerca de 30 minutos depois de parados no bloqueio (o meu carro era o segundo e o dos meus amigos estava logo atrás) resolvemos explicar ao policial que iríamos para a residência do nosso amigo e não para a referida festa. Para nossa surpresa a resposta do preparado Policial foi “deixem seus carros aí e vão à pé, quando a festa acabar voltem para pegar seus carros”. Ou seja, eu teria que parar meu carro em um local escuro, andar pelo menos 5 km, ir dormir tranqüilo, e depois voltar lá pelas 6 horas da manhã, andar mais 5 km para pegar meu carro. Isso tudo por causa de uma festa particular que atrapalha a vida de todo mundo”.

 

Bloqueio nas festas da Sarney prejudica moradores II

Continua o leitor: “Dois pontos: 1 – A atitude do policial, que eu esqueci de perguntar o nome, já que ele não estava devidamente identificado na sua farda, demonstra o despreparo e total falta de respeito com o cidadão, que paga seus impostos e vê naquele momento cerceado o seu direito de ir e vir. Um policial descompromissado com o bem estar da população e que deveria sentir vergonha de vestir a farda daquela honrada Instituição. Aos meus amigos policias, desculpas, mas o cidadão de bem que se depara com a arrogância e ignorância daquele senhor, acaba dando, cada vez mais, descrédito à polícia; 2 – Até quando os moradores daquela região terão que suportar ver 3 rodovias interditadas pela Polícia, que deveria buscar o bem comum, mas naquele momento esta a serviço de interesses privados?”.

 

MP tem que disciplinar essas festas

Somente uma intervenção do MP pode resolver o problema destas festas na Sarney. Não para acabar, mas para disciplinar. Começa pela necessidade de uma infra-estrutura melhor, principalmente segurança, passando pelo respeito aos moradores da área, no que diz respeito ao acesso às suas residências. Uma festa particular não pode intervir no dia-a-dia de uma comunidade. Aquela área, que é de expansão, além da comunidade nativa, tem hoje dezenas de condomínios. Não é mais uma zona de veraneio, como no passado recente. Hoje muita gente mora no local.

 

Sinalização não é da SMTT

A sinalização colocada na Avenida Santos Dumont – orla de Atalaia – os redutores de velocidade, (alguns dizem que são verdadeiros quebra-molas), são de responsabilidade do Governo do Estado. Como também o semáforo colocado em frente ao Petroclube.

 

Leitor defende sinalização na orla I

De um leitor: “Não sei se você sabe o porquê da colocação dos quebras-molas na orla de Aracaju, pelo que estou sabendo tudo culminou com o atropelamento de uma só vez envolvendo mais de 6 pessoas, na Passarela dos Caranguejos, sem falar nos três que aconteceram em frente ao clube. Durante o ano existem vários acidentes com apenas danos materiais em toda a orla, acredito que essa foi a grande e forte razão para ter que se reduzir a velocidade naquela área. Como os motoristas não respeitam os limites de velocidades impostos pela lei, principalmente após um dia na praia e muitos além do cansaço da praia com algumas cervejinhas, é necessário que o governo tome algumas medidas, muitas das vezes enérgicas. O porquê que um semáforo em frente ao CEPE (Petroclube). Em toda a extensão da praia existem pontos de descida e por coincidência o primeiro ponto após o hotel Parque dos Coqueiros é o que fica em frente ao CEPE e as pessoas que estão naquela região utilizam aquela descida, ou seja, não é só por causa dos freqüentadores do clube e outro grande motivo é que no clube tem segurança e um controlador de trânsito que dá uma assistência nos finais de semana, isso faz com que as pessoas estacionem seus carros na área por acreditarem que, como se tem aqueles trabalhadores por ali seus carros estão mais seguros, realmente o número de freqüentadores ali é alto”.

 

Leitor defende sinalização na orla II

Continua o leitor: “Mesmo com os tais quebra-molas (olhos de gato), os motoristas não respeitam aquela passagem de pedestre, aliás, são poucos os que realmente respeitam alguma passagem de pedestre e também durante a semana não se tem controlador de trânsito para auxiliar as pessoas. Aquele semáforo é acionado por toque e tem um tempo mínimo para um novo acionamento, justamente para deixar o fluxo do trânsito fluir. Eu particularmente acho muito justo se colocar um semáforo em frente a AABB, pois já tive um grande amigo que perdeu seu filho de 13 anos bem em frente àquela associação, e um outro que sua filha de nove anos passou 23 dias na UTI. Portanto Senhor, o que devemos realmente é orientar aos motoristas para que passem devagar, para que não cortem, não só seus pneus, mas nenhuma pessoa, nenhuma criança, nenhum jovem ou idoso. Lembre-se você também é um pedestre”.

 

Frase do Dia

“A impunidade não salva da pena e castigo merecido; retarda-o para o fazer mais grave pela reincidência e agravação das culpas e crimes subseqüentes”. Marquês de Maricá.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários