Academia Sergipana de Medicina – 20 anos na História

0

  A médica e psicanalista Déborah Pimentel foi a primeira mulher a presidir a Academia Sergipana de Medicina e a primeira a ser reeleita para a

Acadêmicos em sessão de posse

função. Nos seus dois mandatos  à frente do sodalício, de 2005 a 2010, ele deu posse ao endocrinologista Raimundo Sotero de Menezes na Cadeira 40 – Patrono: Israel  Bonomo e ao coloproctologista Marcos Aurélio Prado Dias, na Cadeira 39 – Patrono: João Gilvan Rocha, em 2006; ao otorrinolaringologista Jeferson D’Avila Sampaio, na Cadeira 7 – Patrono: Carlos Firpo; ao oncologista José Geraldo Dantas Bezerra, na Cadeira 10 – Patrono: Edelzio Vieira de Melo, ao cardiologista Marcos Almeida Santos, na Cadeira 21 – Patrono: Abreu Fialho e ao dermatologista Fedro Menezes Portugal, na Cadeira 22 – Patrono: Aloysio Andrade, todos no ano de 2007;
  Em 2008, foram empossados o otorrinolaringologista Marcelo da Silva Ribeiro, na Cadeira 5 – Patrono: Canuto Garcia Moreno; o mastologista Virgílio Fernandes Araújo, na Cadeira 8 – Patrono: Clóvis Conceição; ao neurologista Roberto César Pereira do Prado, na Cadeira 12 – Patrono: Eronides Carvalho, ao médico do trabalho Paulo Amado Oliveira, na Cadeira 20 – Patrono: José Thomaz D’Ávila Nabuco; à reumatologista Elizabete Tavares, na Cadeira 24 – Patrono: Júlio Flávio Leite Prado  e  em 2009 foi a vez da médica anestesista Maria Helena Domingues Garcia, na Cadeira 23 – Patrono: Juliano Simões. 
  Ainda na administração da acadêmica Déborah Pimentel foi aprovado, em Assembleia Geral Extraordinária realizada em 28 de novembro de 2007, o novo Estatuto Social e o Regimento Interno e em 2009 foi comemorado o centenário do patrono Edelzio Vieira de Melo. Um ponto a destacar foi a conferência sobre a Vida e a Obra de Delmiro Gouveia, proferida pelo acadêmico alagoano Geraldo Vergetti.
  Outro registro marcante em 2009 foi a comemoração do 15º aniversário de fundação da Academia, oportunidade em que a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos lançou o Selo comemorativo à efeméride, em momento único e esplendoroso. O mandato de Déborah foi concluído de forma exitosa com o lançamento, em 2010, do Dicionário Biográfico de Médicos de Sergipe, uma obra inédita em todo o país e que obteve extraordinária repercussão. Tive a felicidade, ao lado dos colegas Antônio Samarone e Petrônio Gomes, de ser um dos coautores da obra. Em 2015, a sua segunda edição, revista e ampliada, deverá será lançada, contando, novamente, com o patrocínio da Universidade Tiradentes, que entendeu de imediato, desde o primeiro momento, a importância da obra, viabilizando sua publicação. Tal gesto de magnitude e respeito à Medicina de Sergipe coincidiu com o lançamento do seu curso médico e agora, com o patrocínio da segunda edição, da formatura da primeira turma, que vai acontecer no final deste ano.
  Gentil e elegante também foi a decisão da Reitoria em denominar as suas salas de aula com  os nomes de todos os membros titulares da Academia Sergipana de Medicina. Uma distinção e reverência dignificantes. Nas comemorações do 20º aniversário da Academia, ocorridas no final do ano passado, a participação da notável instituição de ensino genuinamente sergipana, foi ressaltada e reconhecida. Ainda nessa profícua administração, a Academia comemorou o centenário de nascimento do patrono Lourival Bomfim, em noite memorável.
  Déborah Pimentel foi sucedida na presidência por Fedro Menezes Portugal, que comandou a entidade de 2010 a 2014, sendo o segundo presidente a ser reconduzido por seus pares. Entre as suas realizações destacamos as comemorações do Jubileu de Ouro da Faculdade de Medicina de Sergipe, ocorrido em 2011, quando foram homenageados os professores pioneiros, especialmente o professor Antônio Garcia Filho, com a inauguração de sua herma nos jardins do Hospital Universitário. Colóquios, seminários, sessão solene conjunta da Academia de Medicina com a Academia de Letras e o Concerto do Jubileu, com a Orquestra Sinfônica de Itabaiana, fizeram parte da vasta programação comemorativa, que teve o apoio integral da UFS, Unimed e Somese.
  Na sua administração, Fedro empossou  o cirurgião cardíaco Vollmer Bomfim, na Cadeira 16 – Patrono: Hercílio Cruz e o dermatologista Emerson Ferreira da Costa, na Cadeira 24, vaga com a morte da acadêmica Elizabete Tavares, ocorrida em 2011. 
  Foram ainda comemorados os centenários de nascimento dos patronos Carlos Melo, Roosewelt Dantas Menezes, Lucilo da Costa Pinto, Lauro de Brito Porto e Benedicto Guedes e realizado uma sessão solene em homenagem póstuma aos médicos Marcos Aurélio Prado Dias e Gilton Machado Rezende. Em outubro de 2013, graças ao empenho do presidente Fedro Portugal, foi reativada a Sociedade Brasileira de Médicos Escritores – Sobrames Sergipe. Foi na sua gestão que aconteceram as noites gloriosas da Cirurgia, da Ginecobstetrícia e da Pediatria, homenageando vultos das três especialidades. Duas ilustres personalidades abrilhantaram sessões solenes da Academia em 2012 e 2013: o médico e padre Anibal Gil, da UERJ  e Genival Veloso de França, da Paraíba, respectivamente.  As administrações de Déborah Pimentel e Fedro Portugal foram das mais operantes na história dos vinte anos da Academia, com muitas celebrações e posses, que ajudaram a consolidar cada vez mais a entidade no contexto da vida médica, cultural e histórica do Estado.
  Finalmente, em 2014, foi empossado no comando da entidade o médico Paulo Amado Oliveira, em cuja gestão se encontra comungados o entusiasmo e a dedicação, razão pelas quais suas realizações já podem ser contadas. E é exatamente o que farei na próxima semana, dando por encerrada essa série que rememora a trajetória de 20 anos da Academia Sergipana de Medicina.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários