Acordo e apoio

0

É certo que o deputado federal João Fontes (PSol) é muito bem informado. Embora tenha deixado o Partido dos Trabalhadores, ele está enfronhado com tudo que acontece nos bastidores da política, seja em Sergipe, seja em Brasília. Como defende causas e não tem problema de ordem pessoal com ninguém, conversa com todo mundo, independente da camisa partidária. É do tipo “si y gobierno, soy contra” (desculpem o portinhol), entretanto dialoga com todos os segmentos do poder, embora não concorde com absolutamente nada que eles digam. Na visão de João Fontes, existe um acordo fechado em Sergipe, que envolve o governador João Alves Filho, Marcelo Déda, Albano Franco, Jackson Barreto, Almeida Lima e outros. Uma panelada indigesta para qualquer estômago.

 

João Fontes considerou, e tem revelado isso dentro do seu estilo, inclusive sem grosseria e em alto nível, que o ministro de Coordenação Política, Aldo Rebelo (PCdoB) veio a Aracaju exclusivamente selar o que ele chama de acordão, cuja orientação parte do Palácio do Planalto. O que aconteceu, entretanto, foi uma troca de gentilezas. O governador João Alves Filho, acompanhado do deputado Ivan Paixão (PPS), fez uma visita ao ministro em seu gabinete no Palácio do Planalto, onde conversaram inclusive sobre o apoio que o governador vem dando aos projetos do presidente Lula da Silva, através de Ivan. Quando o deputado soube que o ministro Aldo Rebelo estava visitando capitais do Nordeste, como Recife, Maceió e Aracaju, telefonou para ele e, em nome do governador João Alves Filho, o convidou para um café da manhã no Palácio de Veraneio.

 

Conversou-se sobre muita coisa, inclusive política, mas principalmente sobre as diferenças regionais que hoje é um dos discursos do presidente Lula, que passou a falar o que João Alves Filho vem dizendo, desde quando tiveram um mal entendido, em razão da Reforma Tributária, no Centro de Convenções. Depois do café, Aldo Rebelo cumpriu o compromisso de visitar seus correligionários e o prefeito Marcelo Déda, enquanto João Alves Filho viajou para tratar de interesses do Estado junto ao Banco do Nordeste.

 

Nisso tudo uma coisa é absolutamente certa: o governador João Alves Filho não faz oposição ao Planalto e está abrindo a porta dos Ministérios. Evidente que a reabertura do diálogo com Ciro Gomes e o entrosamento com alguns ministros fazem parte de um processo de aproximação política, visando a sua administração no estado. Ninguém tenha dúvida que nos contatos entre o presidente Lula e o senador Antônio Carlos Magalhães, não se pode imaginar a ausência de João Alves Filho. Mesmo que o PFL, que tem o comando de Jorge Bornhause, não concorde com o apoio de um grupo que pode acompanhar ACM, ele se dará porque existe interesse das partes.

 

João Fontes analisa que o governador João Alves Filho acompanhará a ala dissidente do PFL, que ficará com o presidente Lula, mesmo que tenha que se filiar a outro partido. Nisso o deputado deve ter razão: em 2006 o PFL deve verticalizar em torno de Fernando Henrique Cardoso, possível candidato a presidente da República pelo PSDB. João não votou e nem votará no ex-presidente e já fez opção por Lula, principalmente agora que o presidente começou a se dirigir, até com veemência, às desproporções regionais, que sempre foi um discurso proferido pelo governador João Alves Filho, desde o primeiro mandato. Entretanto, o deputado João Fontes tem certeza que João e Déda estarão juntos nas eleições majoritárias de 2006, podendo sair até candidato ao Senado Federal.

 

Isso é verdade, porque dentro do Partido dos Trabalhadores fala-se que o candidato ao Governo será o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT). Mas o pessoal que fala isso quer que Marcelo Déda cumpra o mandato de prefeito.

 

Uma coisa é indiscutível: João Alves Filho, em que partido esteja, será candidato à reeleição. Se há entendimento em Brasília, existirá confronto em Sergipe, porque o prefeito Marcelo Déda (PT) – ou José Eduardo Dutra – disputam o governo do estado com o apoio da oposição, mesmo que não seja mais esse grupo que constituiu um bloco único neste pleito municipal. Aqui não terá acordo e o que se põe em discussão é como ficará o presidente Lula, também candidato à reeleição, que tem dois aliados disputando o mandato de governador, mesmo que um deles seja compadre. Evidente que será outra história, como toda eleição, inclusive porque o senador Almeida Lima está assumindo o PSDB e terá compromisso com outro grupo e disposição para tentar o governo ao lado de descontentes de todos os grupos.

 

Será uma eleição no mínimo movimentada…

 

MOVIMENTO

O deputado estadual Gilmar Carvalho (PV) retorna à Assembléia na segunda-feira e já vai abrir um movimento contra a transposição do rio São Francisco.

Um dos objetivos, segundo o deputado federal João Fontes (PSol) é voltar a fechar o tráfego na ponte que liga Sergipe a Alagoas, em protesto contra a transposição.

 

DOM LESSA

O deputado federal João Fontes está esperando o retorno de Dom Palmeira Lessa para conversar com ele, a fim de que a igreja entre nesta luta contra a transposição.

Os prefeitos de cidades do baixo São Francisco também serão convocados a participar do movimento e trabalhar para a interdição da ponte.

 

CANAL

O rio São Francisco será transportado para estados do Nordeste Setentrional através de dois mil km de canal. Será o maior rio artificial do mundo.

Segundo Augusto Bezerra só tem igual, em termos de obra, a ponte Rio/Niterói e a própria hidroelétrica de Xingo. Quanta gente não vai enriquecer com isso?

 

POLÍTICA

O deputado Augusto Bezerra acha que a transposição é uma definição política: “são compromissos com as empreiteiras”.

Já está à disposição R$ 1 bilhão para as obras, enquanto apenas R$ 20 milhões estão reservados para a revitalização: “é um absurdo”.

 

ESPAÇO

O deputado federal João Fontes deveria ocupar um espaço na televisão, aparecendo no programa do candidato do PRP. José Renato Sampaio.

Chegaram a sentar para discutir o programa e o deputado iria fazer denuncia do acordão e da transposição. Depois avaliou e considerou que desobedecia à orientação do partido.

 

CONTRAPONTO

João Fontes e outros membros do PSol estão viajando o país para arregimentar 30 parlamentares que façam oposição ao Governo dentro do Congresso.

Acha que esse pessoal será o contraponto para o crescimento da senadora Heloisa Helena (PSol), como candidata à Presidência da República.

 

RELAÇÃO

O ministro do Desenvolvimento Nacional, Ciro Gomes (PPS), e o governador João Alves Filho (PFL) estão se dando muito bem e trocando experiências.

Os dois têm discutido questões técnicas, falado sobre as desigualdades regionais e o Fundo de Desenvolvimento Regional.

 

IVAN PAIXÃO

Essa aproximação foi feita através do deputado federal Ivan Paixão (PPS), que conseguiu anular os desentendimentos que os dois tiveram no início do Governo.

Segundo Paixão, em política a versão é maior que o fato e hoje João Alves e Lula da Silva falam a mesma linguagem, em termos das desigualdades regionais.

 

ADUTORA

João Alves Filho trabalha, através do ministro Ciro Gomes, a construção da Adutora do Agreste, tendo como agente financeiro um banco japonês, com contrapartida do Estado.

Técnicos japoneses e do Ministério já estiveram no local que será construída a adutora.

Com a adutora, 100% dos domicílios de Sergipe terão água potável. O presidente Lula pode anunciar que essa conquista também aconteceu em seu Governo.

 

BOSCO

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) disse ontem que a disputa pela Prefeitura de Itabaiana está muito acirrada entre Maria Mendonça e Carlinhos da Atlética.

Bosco considera que é muito difícil fazer um prognóstico neste momento e acha que até a abertura das urnas ninguém terá certeza do resultado

 

APOSTAS

Na bolsa de apostas pela Prefeitura de Aracaju, o maior volume de palpites é de que o prefeito Marcelo Déda (PT) ganha no primeiro turno.

Mas também sobe o índice de que há um estacionamento no crescimento do prefeito e, forçando mais um pouco, pode haver segundo turno.

 

JACKSON

O deputado Jackson Barreto (PTB) responde a Pedrinho Valadares, que o chamou de desclassificado: “desclassificado é ele que tem a marca de traidor do tio, que o fez gente”.

E continua: “Pedrinho Valadares precisa explicar como adquiriu dois apartamentos e uma fazenda”. (obs. Plenário não servirá mais de ponte para troca de insultos entre os dois).

 

CONCURSO

O deputado Gilmar Carvalho (PV) vai propor, ainda este mês, uma CPI pra apurar os concursos em Sergipe. Quer o apoio da OAB.

O parlamentar lembra que vários concursos realizados em Sergipe foram anulados, todos eles por suspeita de irregularidades.

 

CARREATA

Na próxima terça feira o presidente regional do Partido Verde, Gilmar Carvalho, vai reunir todos os candidatos a vereador pelo partido, para uma carreata.

Ele estará à frente e em cada parada haverá um comício relâmpago. O objetivo e incentivar o voto nos candidatos da legenda.

 

PROIBIDO

O TRE determinou que o prefeito Marcelo Déda (PT), candidato à reeleição, retirasse os outdoors que têm ao fundo obras realizadas pela Prefeitura de Aracaju.

Também será proibida a exposição do Samu atendendo a pessoas, de praças, avenidas e da orlinha. O TRE julgou procedente ação da coligação da candidata Susana Azevedo (PPS).

 

Notas

 

VALADARES

Ao eleger o senador Antônio Carlos Valadares (PPS) como uma das “cabeças” do Congresso o DIAP analisou que ele é um parlamentar atuante, de perfil progressista. Considerou que no exercício do seu mandato, Valadares tem combinado o interesse regional com os temas de amplitude nacional.

Segundo o DIAP, Valadares vem se revelando um grande articulador, defensor da revitalização antes de qualquer transposição do rio São Francisco e que apóia criticamente o Governo Lula, destacando-se como debatedor.

 

ELEIÇÕES

A partir de hoje faltam, exatamente, 23 dias para as eleições municipais em todo o país. A partir desta semana, todos os candidatos devem incrementar suas campanhas, na tentativa de superar seus adversários. Faltam exatos três finais de semana, quando os candidatos promovem maior movimentação em seus municípios.

Em Aracaju a campanha tender a melhorar o ritmo. O prefeito Marcelo Déda (PT) para manter ou melhorar o percentual para ganhar no primeiro turno e os demais candidatos na luta para assegurar o segundo turno.

 

GUALBERTO

A princípio, o deputado estadual Francisco Gualberto (PT) tem posições firmes contra a transposição do rio São Francisco, tendo em vista que a revitalização é o principal assunto a ser debatido, tendo em vista que é visível o desgaste do rio, principalmente em sua foz, onde já se percebe a mistura com as águas do mar.

Segundo Gualberto, um técnico do próprio Governo federal admite que são necessários, no mínimo, dez anos para revitalizar o São Francisco, como replantar as matas ciliares e promover o tratamento do esgoto das cidades ribeirinhas.

 

É fogo

 

A TV-Sergipe vai promover, dia 30, uma quinta-feira, o debate entre os candidatos à Prefeitura de Aracaju.

 

A coordenação dos candidatos já está com as regras do debate e ainda vão discutir com a produção da emissora.

 

O debate pode ser decisivo para muita gente que, até o momento, ainda não escolheu o seu candidato à Prefeitura de Aracaju.

 

O prefeito Marcelo Déda vai encerrar a sua campanha no dia 29 próximo e ficará apenas com o debate do dia 30.

 

Professores de Pacatuba, que tem como prefeita Diva Santana, candidata à reeleição, querem receber seus salários e outros direitos adquiridos.

 

Dois professores de Porto da Folha, que lideravam protestos pelo atraso de pagamento, foram presos pelo delegado de Porto da Folha.

 

O deputado Antônio Santos (PSC) disse que a tragédia da Rússia é um alerta, para que o homem se volte para Deus.

 

O deputado Renato Sampaio está explorando o fato de Marcelo Déda se desincompatibilizar do cargo e entregar a Prefeitura a Edvaldo Nogueira (PCdoB).

 

Segunda e terça-feira os deputados federais e senadores embarcam para Brasília, para participar de mais um esforço concentrado do Congresso.

 

A Receita Federal liberou às 15 horas de ontem a consulta ao quarto lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física de 2004 (ano base 2003).

 

O presidente da Argentina, Néstor Kirchner anunciou que seu governo não vai liberar o mercado automotivo para o Brasil.

 

O presidente da CUT, Luiz Marinho, quer a participação do Governo na negociação de um pacto social para dar sustentabilidade no crescimento econômico.

 

Por Diógenes Brayner

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais