“Adesão de Jerônimo”, por Diógenes Brayner

0

Enfim o martelo foi batido. Depois de exaustivas conversas e de um trabalho lento para convencer ao grupo qual o caminho que considerava melhor para o bloco político, foi que aconteceu a adesão ao governador João Alves Filho. Enfim, o grupo liderado pelo prefeito Zezé Rocha e Jerônimo Reis, em Lagarto, selou a vinculação política, sem provocar traumas. Até mesmo o deputado Walmir da Madereira, que se mostrava arredio à idéia da união, foi à tribuna da Assembléia Legislativa praticamente para aceitar e lembrar, que no acordo, os Reis não terão candidato a deputado estadual. De sua casa, o ex-prefeito José Raimundo Ribeiro reclamou porque não foi comunicado antecipadamente pelo governador João Alves Filho (PFL) da definição para o entendimento e, como já havia dito anteriormente, reafirmou que não sobe no mesmo palanque que os seus antigos adversários em Lagarto. Fora essas declarações já esperadas, tudo parece bem e tanto Jerônimo quanto João Alves disseram que não havia interesses por cargos, mas benefícios que satisfizessem os interesses do povo do município.

 

O ex-deputado Jerônimo Reis, que está deixando o PTB e ainda não revelou o partido que acomodará o grupo, tentou falar ontem com o deputado federal Jackson Barreto. O telefone chamou até desligar, mas ninguém atendeu: “não sei se foi porque ele (Jackson) estava distante do telefone, ou porque não quis atender”, disse. Jerônimo, entretanto, vai insistir em um contato com Jackson. Acha que ele foi correto com os seus correligionários, dentro dos seus limites de influência junto ao Governo Federal: “lógico que o deputado não tem a força do prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, junto ao Palácio do Planalto”, considerou. O ex-prefeito Jerônimo Reis queixa-se da falta de atenção para com Lagarto na resolução de certos problemas e necessidades da população. Fez um acordo para que Marcelo Déda, através de um contato com o presidente Lula, ajudasse o prefeito Zezé Rocha. Inclusive houve a promessa de tocar obras paralisadas desde o governo FHC, mas até o momento não se viu nenhuma resposta.

 

Outra queixa do grupo político dos Reis em Lagarto é sobre as emendas do orçamento deste ano, porque o bloco da oposição não colocou emenda individual para o município. Uma das coisas, entretanto, que mais fortaleceu a composição com o governador João Alves Filho foi Lagarto ter perdido a unidade da Universidade Federal de Sergipe, ganha por Itabaiana. Para Jerônimo a questão da faculdade foi uma decisão política e lembrou que ela seria boa para a região, inclusive favorecendo ao senador Antônio Carlos Valadares, pela proximidade com Simão Dias: “não temos nada contra a instalação da faculdade em Itabaiana, mas em Lagarto a população culpa o prefeito e seu grupo político”, explicou. Hoje vinculado ao Lagartense, o ex-prefeito Jerônimo Reis comparou a política com o futebol: “não existe diferença. Um time só consegue alguma coisa com vitórias e ninguém tenha dúvida que o gol de uma administração, de um comando político, é a obra que ele faz para o seu povo”.

 

O governador João Alves Filho festejou o retorno dos Reis para uma composição política e classificou a decisão como um “entendimento de velhos amigos”. De qualquer forma, dentro de uma visão eleitoral, o governador marca um bom tento em trazer o grupo de Lagarto para o seu lado, sem perder o deputado Walmir da Madeireira e nem os Ribeiros. Segundo um dos seus assessores, ele está trabalhando para novas conquistas e outros nomes fortes estão muito próximos e podem surpreender. É praticamente a primeira adesão, que causou um certo estrago no grupo oposicionista, que começa a sofrer certas baixas, num momento em que tem muita necessidade de manter a unidade, sem dispersão.

 

Não quer dizer que isso antecipe qualquer posição em relação ao pleito de 2006, mas cria um bom ânimo na base do governo, porque não se pode desprezar a força eleitoral de Lagarto, principalmente se o município realmente vier sem divisões, mesmo que João tenha que subir em palanques diferentes.

 

 

CANDIDATO

O senador José Almeida Lima (PMDB) é candidato a governador de Sergipe nas próximas eleições: “vou trabalhar meu nome na convenção do partido”, disse. A decisão foi tomada através de consultas individuais, inclusive com o presidente da sigla, Benedito Figueiredo, deputado federal Jorge Alberto e outros membros do PMDB.

 

CORETO

“Sergipe terá outro coreto. Terá uma terceira e nova opção”, disse Almeida Lima depois de anunciar sua candidatura ao Governo do Estado. Acrescentou que na próxima sexta-feira o PMDB fará novas filiações, agregando nomes importantes da capital e interior.

 

DISCURSO

Almeida Lima mandou imprimir o discurso que fez denunciando o escândalo do envolvimento de José Dirceu e seu assessor Waldomiro Diniz. Vai mostrar que foi vítima de uma tentativa de desqualificação e deboche, mas que agora o seu discurso está se confirmando.

 

APOIO

O grupo liderado pelo prefeito de Lagarto Zezé Rocha já integra o bloco político do governador João Alves Filho desde ontem à tarde. O anuncio aconteceu à tarde no Palácio dos Despachos, cujo auditório ficou pequeno para acomodar lideranças políticas que apoiaram a adesão.

 

AGRICULTURA

O ex-deputado federal Sérgio Reis (sem partido) assume a Secretaria da Agricultura ainda esta semana, substituindo a Etélio Prado. Isto já tinha sido acertado há algum tempo. A posse ainda não está marcada, mas pode acontecer ainda hoje à tarde, dependendo do governador João Alves Filho (PFL).

 

JERÔNIMO

Aproximadamente 18 prefeitos e dezenas de vereadores compareceram à casa de Jerônimo Reis, sábado passado, para comemorar seu aniversário. João Alves Filho esteve presente e conversou demoradamente com o ex-senador Francisco Rollemberg, contra o qual disputou o primeiro turno das eleições em 2002.

 

GORETE

A deputada suplente Gorete Reis vai ocupar uma cadeira na Assembléia Legislativa. Assumirá por 120 dias, em lutar de Walker Carvalho. Walker já deveria ter saído antes, mas esperou o momento adequado para faze-lo. Walquer se afasta para assumir a Secretaria do Trabalho.

 

CABO ZÉ

O ex-prefeito José Raimundo Ribeiro (Cabo Zé) está esperando que João Alves Filho lhe comunique oficial a composição com os Reis. O governador já havia antecipado as conversas e disse que a família Ribeiro não será obstáculo ao entendimento, mas não subirá no mesmo palanque dos Reis.

 

VERTICALIZAÇÃO

O deputado federal Ivan Paixão (PPS) admite que a grande questão dos partidos é a questão da verticalização. Ela sai ou não sai? É a grande dúvida. Disse isso ao presidente do partido, Roberto Freire, sexta-feira passada em Aracaju. Com a crise na Câmara e o risco de não haver votação, “não se tem mais segurança de nada”, disse.

 

VAI FICAR

Ivan Paixão já se decidiu que ficará no PPS e admite que o partido tem que rediscutir a questão do lançamento próprio de candidato a presidente, cujo nome seria o de Roberto Freire. Para Ivan, com a verticalização isso gera um grande problema, porque o partido terá que manter suas coligações regionais.

 

SUSANA

A deputada Susana Azevedo (PPS) acha que se não cair a verticalização haverá até o fim de alguns partidos em Sergipe. Ela não quis antecipar em qual partido pretende ingressar, mas ficará até a decisão final sobre a reforma política. Ela pode desembarcar no PSC.

 

SEM FORÇA

O PTB ficará sem nenhuma força em Sergipe, mas continuará vinculado ao deputado federal Jackson Barreto, que está pronto para ingressar no PCdoB. Os deputados Fabiano Oliveira e Adelson Barreto também se preparam para deixar o PTB e ingressar noutras legenda. Fabiano deve pousar no ninho tucano.

 

DEBATE

O presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, chega hoje a Aracaju para participar de um debate sobre “Crise Política e os Rumos do Governo Lula”. A discussão é uma iniciativa do Comitê Estadual do partido em Sergipe. O evento será realizado na Assembléia Legislativa, a partir das 19 horas.

 

QUESTÕES

O debate promovido pelo PCdoB responderá questões como: para onde caminha a crise? Será que o PT sobreviverá? É a luta pelo poder que leva à crise? Também será um dos preparativos para o 11º Congresso Nacional do PCdoB na etapa Municipal, que acontece dia 17 de Setembro, e Estadual, que ocorrerá nos dias 23 e 24.

 

EMOCIONADO

O advogado Wellington Mangueira (PPS) fez um relato emocionado das torturas que ele e sua mulher sofreram nos porões da ditadura. Foi às lágrimas várias vezes e comoveu os telespectadores. Wellington e Laura são símbolos da luta contra o regime militar em Sergipe.

 

 

Notas

 

VERTICALIZAÇÃO

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) acha que se a verticalização cair vários parlamentares podem mudar de partido. Entretanto, não se mostra otimista quando à sua aprovação: “devido as CPIs e as medidas provisórias do governo que trancam a pauta de votação a Reforma Política não sai do lugar”. O prazo para que a Câmara e Senado aprovem a reforma é até o dia 30 e já se está no meio do mês e não há sinalização para votação. “A menos seja prorrogado por Emenda Constitucional, não acredito que isso ocorra”, concluiu o senador.

 

NEPOTISMO

A comissão especial da Câmara Federal, que analisa a conhecida PEC do Nepotismo, realiza hoje a votação do parecer final do relator da matéria, deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP). A proposta proíbe as autoridades de todos os poderes de contratarem parentes consangüíneos ou por afinidade até o segundo grau. O relatório do deputado Faria de Sá estende a proibição para contratação de familiares até o terceiro grau. O relatório proíbe o nepotismo também nas empresas prestadoras de serviços e para servidores da administração pública.

 

MEDICINA

O Projeto de Lei 840/03, do deputado Elimar Damasceno (Prona-SP), que institui o exame de ordem como condição prévia para o exercício da Medicina, será o foco da audiência pública que a Comissão de Seguridade Social e Família realiza hoje. O debate foi solicitado pelo relator da proposta, deputado Jorge Alberto (PMDB). O objetivo da proposta é diminuir a ocorrência de erros médicos, mas Jorge Alberto quer analisar a medida com cautela porque a nova obrigação atingirá milhares de estudantes que estão prestes a concluir o curso de Medicina.



É fogo

 

A deputada Susana Azevedo está de malas arrumadas para deixar o PPS e ingressar em uma nova legenda. Será de apoio ao governador João Alves Filho.

 

O pessoal aliado do prefeito Marcelo Déda se mantém animado com a sua candidatura ao governo do estado em 2006.

 

O deputado federal Ivan Paixão ficou impressionado com a popularidade da deputada Denise Frossard em Aracaju.

 

Segundo Ivan Paixão, por onde ela passou distribuiu autógrafos, inclusive com estudantes, que repetiram frases suas falas na CPI.

 

“Algemar o preso é uma norma nossa e nós gostamos de fazer isso”, a frase é do delegado da Polícia Federal que prendeu o filho de Paulo Maluf.

 

O auditório do Palácio dos Despachos ficou superlotado na solenidade da declaração de apoio do prefeito de Lagarto, Zezé Rocha, ao governador João Alves Filho.

 

A reforma política, que não sai do lugar, tem preocupado muitos parlamentares que buscam alternativas partidárias para as eleições.

 

O jornalista Núbem Bomfim, que apresenta um programa em defesa do consumidor na TV-Atalaia, pretende disputar um mandato no próximo ano.

 

O governador João Alves Filho e o secretário de Comunicação, César Gama, foram recebidos pelo diretor da “IstoÉ”, Domigos Alguzaray.

 

A área técnica do Ministério do Planejamento recomendou o veto ao reajuste salarial dos servidores públicos e outras medidas incluídas na LDO.

 

O governo brasileiro, com mais de uma centena de empresas privadas, colocará em marcha na próxima semana uma audaciosa ofensiva comercial no Oriente Médio.

 

A Receita Federal do Brasil divulgou nota em que contesta a suposta criação de “trens da alegria”, por conta da criação do órgão.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários