Ajuda providencial

0

O Ministério da Saúde prometeu ontem uma generosa ajuda para minorar o grave problema da saúde pública em Sergipe. Reunido com o governador Jackson Barreto (PMDB), o ministro Alexandre Padilha garantiu o seguinte: aumentar em R$ 5 milhões o repasse mensal para o estado, que hoje é de R$ 16 milhões; antecipar R$ 100 milhões do Teto Financeiro da Média e Alta Complexidade; e liberar 17 viaturas novas para o Samu. A ajuda não tira a saúde da grave crise em que se encontra, mas permite ao governo respirar mais aliviado. Com a antecipação dos R$ 100 milhões será possível pagar parte das dívidas do setor e, consequentemente, obter crédito para adquirir novos insumos. Aguardemos, portanto, que o ministro cumpra o prometido rapidamente.

Defesa

A Associação Comunitária Áurea Ribeiro, de Lagarto, defendeu-se da acusação de não ter justificado como gastou R$ 400 mil recebidos da Assembleia. Representada judicialmente pelo Ministério Público, a entidade diz ter certificado de regularidade emitido pelo Legislativo. Mais contundente foi o deputado estadual Gustinho Ribeiro (PSD). Ele alega que a denúncia visa desgastá-lo politicamente, pois é parente de diretores da associação. Então tá!

Abandono

Os sergipanos residentes no interior estão entregues à própria sorte, pois a presença da polícia é coisa rara. Bom exemplo disso é Aquidabã, onde apenas três PMs são responsáveis pela segurança de 35 mil habitantes. Pior: para prestar uma queixa, o cidadão tem que se deslocar até Muribeca ou Propriá, pois não existe delegacia em Aquidabã. É mole, ou quer mais?

Piso ameaçado

Reunidos ontem, 62 prefeitos sergipanos decidiram convidar o Sindicato dos Trabalhadores em Educação para discutir sobre o piso salarial dos professores. Os administradores garantem não ter condições de reajustar os salários com base no piso da categoria. Não negam que o benefício é justo, mas, se pagarem aos professores, deixarão de honrar outros compromissos tão importantes quanto. E agora?

Vê se pode

O governo estadual alega não dispor de recursos para reajustar os salários dos servidores, mas continua nomeando protegidos para cargos em comissão. Chega ao absurdo de pagar mais de R$ 3 mil a um comissionado que jamais compareceu ao local de trabalho. Será que o governador Jackson Barreto sabe disso?

Sacanagem

Marginais atearam fogo no laboratório de informática de uma escola municipal situada na zona norte de Aracaju O incêndio destruiu 19 computadores e 100 laptops novinhos que eram usados pelos professores e alunos. Os arrombadores fugiram sem deixar pistas e levaram alguns poucos objetos. Uma lástima!

Palestra e café

E quem estará em Aracaju na próxima segunda-feira é o historiador Valter Pomar (PT). Vem proferir palestra sobre a conjuntura nacional, realidade latino-americana e a necessidade de uma ampla reforma política no Brasil. Será às 20h na sede da CUT. Na terça pela manhã ele participa de um café da manhã com a imprensa na Casa do Poeta, ali na Praça Tobias Barreto.

Prêmio

Estão abertas as inscrições para a sexta edição do Prêmio Sebrae de Jornalismo. A iniciativa reconhece as melhores reportagens, com foco nos pequenos negócios, veiculadas em 2013. Serão premiados trabalhos de jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas de todo o país, além de um prêmio especial para prestigiar um profissional da imprensa com o título de Jornalista Parceiro do Empreendedor. Participe!

Rolezinho

E você, vai participar do rolezinho convocado para amanhã no Shopping Jardins? Lembre-se que recentemente os seguranças daquele centro de compras mataram um cidadão a porradas, e que uma jovem foi estuprada no banheiro do shopping. Portanto, se está pensando em ir ao rolezinho, cuidado para não ser a próxima vítima.

Do baú político

Aracaju é hoje a capital de Sergipe por causa de um preconceituoso discurso proferido pelo major Botocudo no engenho Jesus, Maria e José, em Laranjeiras. Segundo o padre Filadelfo Jônatas de Oliveira, em seu livro ‘Registros dos Fatos Históricos de Laranjeiras’, aquele município foi objetivo das cogitações do presidente de Sergipe, Ignácio Barbosa, para ser a capital da província. Isso não aconteceu por motivos políticos e, talvez, por causa do célebre brinde no banquete em homenagem ao presidente. É que, saudando Ignácio Barbosa, o major Botocudo declarou “conhecer bem toda a sua família, composta de honrados e dignos mestiços, todos de almas brancas”. Ao ouvir aquilo, o presidente retirou-se precipitadamente do recinto, deixando desiludida a noiva, jovem branca e prendada. Desgostoso e envergonhado, Ignácio Barbosa deu com os costados no povoado de Santo Antônio. Gostou das praias e transferiu a capital de São Cristóvão para Aracaju.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais