AL tem medo do próprio umbigo

0

  Ontem, 08, o presidente da Assembléia Legislativa, Ulices Andrade (PDT), mostrou como o Poder Legislativo de Sergipe vem sendo omisso nos últimos meses com as questões que atingem autoridades e que deveriam ser fiscalizadas pelos deputados estaduais. Ao constranger publicamente o deputado professor Vanderlê, Ulices Andrade mostrou que a Assembléia Legislativa pretende ficar cega, surda e muda, quando o assunto for a investigação das denúncias envolvendo a Operação Navalha, a Deso e alguns conselheiros do Tribunal de Contas.

 Ulices quis jogar a questão para o município de São Cristóvão, esquecendo ele que a Assembléia não tomou providências com a Operação Navalha, cujo o conselheiro Flávio Conceição, foi escolhido por unanimidade pelos deputados estaduais, num acordo que todos dizem que envolveu a eleição de Ulices Andrade para presidir o Poder Legislativo. Ulices não quer se “indispor” com o TC, ele e a grande maioria dos deputados têm razões de sobra para isso. Quer transformar o caso como se fosse paroquial, apenas de São Cristóvão, quando o plenário da AL se cansa de debater temas paroquiais dos municípios de Lagarto, Itabaiana e mais recentemente Pirambu.

 Uma CPI da Deso seria ótima. Uma CPI passando o TC a limpo seria melhor. Aliás, falando-se em TC alguém sabia que alguns deles foram chamados para “conversar” com a ministra Eliane Calmon que finaliza o processo da Operação Navalha?

 E tem mais, enquanto a maioria dos deputados é omissa, nos bastidores tem gente do próprio parlamento tentando impor seu nome em caso de afastamento definitivo do conselheiro Flávio Conceição. O acordo passa por muita coisa, entre elas a entrega do colégio eleitoral do parlamentar para um jovem que deseja chegar a Assembléia. A resistência – por enquanto – é do governador Marcelo Déda, que não deseja falar em sucessão no TC, quando não existe vaga ainda, mas já confidenciou para alguns auxiliares que se por acaso tiver que indicar um nome não aceitará pressão e será um nome técnico. Está certo é preciso acabar não só com o “tomá lá da cá” no TC, mas diminuir também o tamanho do “rabo preso”, que deixa alguns deputados apavorados.

 

 

Na “jugula” do governador

Quais sãos “os mesmos direitos” que o empresário Edvan Amorim pregou ontem, 08, na emissora de rádio de propriedade dele, ao governador do Estado? Amorim quer a todo custo que o governador “converse” com os deputados estaduais André Moura, César Mandarino e João das Graças. E de quebra o irmão dele, o deputado federal, Eduardo Amorim.  Um auxiliar do governador ficou abismado com o que ouviu. Tem gente que jura que foi a cobrança de uma fatura. É mole? E depois falam em fidelidade partidária e tudo mais. Lembrou Flávio Conceição, aquele conselheiro envolvido na Operação Navalha, que nas conversas gravadas pela PF, disse em bom tom que iria colocar “na jugular” do governador.

 

Publicidade no governo anterior

A coluna está concluindo um relatório sobre gastos com publicidade no governo anterior. Vai mostrar, entre outras coisas, que tinha gente, que montou uma estrutura para receber dos cofres governamentais a bagatela de R$ 500,000,00 (quinhentos mil), mensais, por conta da fatura política. Algo bastante surrealista para um Estado como Sergipe.

 

Existe sim, algo de podre…

De um leitor: “por mais boa vontade que tenhamos em apreciar com otimismo as coisas que se passam no Brasil, nas áreas política e social, não podemos negar que existe sim, algo de podre nas áreas política e social.E   não adianta dizer que sempre existiu coisas erradas, desvios de dinheiro público e tudo o mais, inclusive o cinismo de certos políticos, mas atualmente a impunidade e esse cinismo atingiu o máximo, virou coisa rotineira e vem sendo absorvido em certas áreas, perigosamente.São os casos nacionais a exemplo de Renan que tripudia da decência, com sua tropa de choque, da qual faz parte um tal Salgado que já vive envolvido em irregularidades financeiras e infelizmente um sergipano para se beneficiar com o diretório de um partido.E o valerioduto mineiro do tucanato, que parece que vai virar pizza.E o troca-troca de partidos, que tudo mundo sabe que é ditado por interesses imediatos e que, mesmo proibido, vão encontrando brechas. E tantas coisas mais, a exemplo da corrupção nas prefeituras, inclusive nas sergipanas. Dinheiro público que escorre pelo ralo da impunidade. E esse prende e solta.E esse cassa e não cassa.E os tribunais de contas e assembléias legislativas que parecem alienadas da realidade e nem parecem atingidas por nada!Tudo isso deixa um estranho odor de coisa podre no ar…”

 

 

O PT de Socorro existe?

De um leitor:  “Venho por meio deste solicita de vossa senhoria uma informação sobre o PT de Nossa Senhora do Socorro/SE. Pois sou morador há mais de 5 anos deste município  e nada vejo sobre esse partido, uma cidade tão perto da capital, onde ai o PT é super organizado, aqui gostaria de tem informações sobre: quem é o presidente, onde fica a sede, terá candidato a prefeitura enfim, gostaria que esse partido desse as caras”.

 

Desrespeito com os portadores de deficiência I

De um estudante da Fanese: “Gostaria de usar seu espaço para fazer uma denúncia de desrespeito aos portadores de deficiência física que são alunos da Faculdade de Negócios de Sergipe – FANESE.Como é de conhecimento de todos, até o final de 2006 a referida instituição de ensino funcionava integralmente no segundo piso do Shopping Riomar e lá estão instalados elevadores para deficientes físicos, um no Shopping e outro na área ocupada pela Fanese.No início do período letivo de 2007/2, alguns cursos de graduação em tecnologia (tecnólogos) foram transferidos para o antigo colégio Miguel de Cervantes, hoje Núcleo de Pós-Graduação da Fanese, situado na mesma avenida Delmiro Gôuveia, cerca de 100m do Shopping Riomar”.

 

Desrespeito com os portadores de deficiência II

Continua o estudante:O problema é que o prédio não tem condição nenhuma de atender aos alunos deficientes físicos, pois não possui rampas de acesso e nem elevadores para deficientes físicos. Para que nossos colegas cadeirantes ou com outro tipo de deficiência de locomoção possam subir as escadas e chegar as salas de aula, é preciso que funcionários da instituição ou mesmo nós alunos subam as escadas com a cadeira de rodas nos ombros, colocando em risco a saúde do colega e a nossa, pois, existe o risco de um tombo da escada que pode machucar seriamente aos que querem ajudar e ao próprio cadeirante.Existem pelo menos três alunos com deficiência física estudando neste prédio e é um desrespeito o que esta instituição de ensino particular  dita de “Excelência e Qualidade” vem fazendo com esses alunos que pagam suas mensalidades e possuem seu direito de ir vir garantido por lei. O desrespeito ao Deficiente Físico está se tornando algo banal na FANESE”.

 

 

Governo realiza 2º grande leilão de bens móveis

O Governo do Estado realiza nesta terça-feira, 9, e na quarta-feira, 10, o segundo grande leilão de bens móveis do Estado. Esta é uma ação da gestão patrimonial do Governo, que tem como objetivo reverter os bens inservíveis em recursos. O evento será realizado em duas etapas. A primeira, no auditório do Banese, localizado à Avenida Augusto Maynard, a partir das 9h desta terça-feira. A segunda, na sede do Departamento Estadual de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Dehidro), localizada à Rua T, nº 103, no Conjunto Lourival Batista, Bairro América, a partir das 9h de quarta-feira.Os lotes leiloados são bens que o Estado já fez uso, mas que hoje se encontram inutilizados. “Esta é uma maneira de renovar os equipamentos, carros, máquinas e utensílios que não têm mais utilidade para o Estado. Isso se reflete no padrão de qualidade que o governador Marcelo Déda vem imprimindo à sua gestão”, afirmou o secretário da Administração, Jorge Alberto.Mais informações podem ser obtidas no Departamento Central de Patrimônio do Estado, pelo telefone (79) 3213-1094, ou diretamente no Galpão da Secretaria de Administração, onde ocorrerá o leilão, pelo telefone (79) 3241-5523.

 

 

Regime Próprio de Previdência Social

O Regime Próprio de Previdência Social de Sergipe (RPPS/SE), administrado pelo Ipesprevidência, completa um ano de implantação no próximo dia 10 de outubro. O RPPS, da mesma forma que o Regime Geral de Previdência Social (RGPS), gerido pelo INSS, é previsto pela Constituição Federal e possibilita que o Estado tenha o controle orçamentário, financeiro e patrimonial da situação previdenciária de seus servidores. Para comemorar a data, o Ipesprevidência irá promover uma solenidade às 16h, na Secretaria de Estado da Administração.

 

Reconstrução do Estado de Sergipe

De um leitor:Fazendo um paralelo com a política de reconstrução na União, notemos que aí ocorreu um consenso de diversas representações sociais e políticas resultante hoje em diversas frentes de trabalho e investimentos com resultados que beneficiam a classe empresarial e trabalhadora, estas pela geração de empregos e aumento salarial e aquelas que obtendo crédito e referenciada nos fundamentos da economia, nunca antes conseguido no Brasil, aplicam seu capital com competência e libertas da nefasta e viciada elite empresarial parasitária montadas no Estado para favorecer projetos que afastavam a livre concorrência de fato. Em Sergipe o processo de superação da herança viciada das oligarquias que extorquiam o patrimônio público, já teve seu começo com as diversas medidas de moralização na aplicação dos recursos públicos pelo governo estadual, porém os resultados  necessitam de maior envolvimento dos representantes da sociedade civil para construção de uma realidade de oportunidades para todos a médio prazo. Para tanto, vamos superar o imediatismo de projetos pessoais ou de grupos e não coadunar com as práticas de setores que atrasam a mudança. Vejamos o estado de ânimo do Ministério Público(diversas ações contra o Estado) saindo do sono profundo em que se encontrava nos governos anteriores e, ainda, ao lado da Assembléia Legislativa,  não concretizaram o cumprimento da lei de responsabilidade fiscal resultando na inviabilização de recebimento de mais recursos para investimentos sociais pelo Estado, qual seja, por exemplo, no soldo dos policiais e professores”.

 

 

Movimento quilombola realiza manifestação  

A adoção do artigo 68 das ADCT (Ato das Disposições Constitucionais Transitórias) de 1988, estabelecendo o direito à terra das comunidades rurais remanescentes de quilombos, reacende um movimento importante de comunidades rurais que vêm lutando pela legalização da posse de suas terras. No entanto, apesar da lei, dezenove anos se passaram e pouco se avançou na regularização da posse das terras das Comunidades no País, e particularmente, no Estado de Sergipe. Em 2004 foi criado pelo governo Federal o Programa Brasil Quilombola, com recursos constantes na lei orçamentária, cujo Plano Plurianual 2005-2007 totaliza  R$130. 026.977,00.  No Programa, várias ações para as comunidades quilombolas são mencionadas. Contudo, o que se verifica na realidade quilombola no Estado de Sergipe é um verdadeiro abandono em termos de ação governamental. Tal abandono se exemplifica pela falta de acesso, de várias comunidades, aos serviços básicos.Diante dessa situação, as Comunidades Remanescentes de Quilombo do Estado de Sergipe iniciará no dia 10 de outubro, às 8:00, no Mercado Municipal Albano Franco (próximo ao Clube do Vasco) uma série de Manifestações intitulada OUTUBRO NEGRO. A manifestação do dia 10 de outubro tem como objetivo reivindicar e negociar com os poderes públicos as principais pautas das Comunidades quilombolas.

 

 

Construções irregulares em condomínio

De um leitor: “Responsável por fiscalizar construções, a Emurb parece ignorar que no Condomínio Parque Diamante no Ponto Novo há uma série de construções irregulares. São “garagens” feitas por alguns moradores. Além de tais garagens não terem nenhum tipo de oficialização, também descumprem a lei até porque se constituem invasões, haja vista que é área coletiva dos prédios sendo utilizada por uns poucos”.

 

Falta de segurança em Lagarto

No último sábado a coluna denunciou o uso do gol novo da PM, por um oficial pegando o filho no colégio militar. Por coincidência a única identificação é que era do 7º Batalhão de Polícia Militar. Sabe da onde? De Lagarto, onde ontem, 08, vereadores foram pedir mais segurança ao secretário Kércio Pinto. Enquanto os veículos são usados de toda forma o desgaste só sobra para o governador.

 

Fábio Henrique é pré-candidato em Socorro

O radialista Fábio Henrique transferiu seu título para o município de Nossa Senhora de Socorro, na grande Aracaju, com a finalidade de ser candidato a Prefeitura do Município. A decisão foi tomada por acreditar na necessidade de um trabalho sério e em prol da população. O anúncio da mudança de domicílio foi durante o seu programa, Liberdade Sem Censura, onde declarou que “estou colocando meu nome à população de Socorro, mas quem decidirá se serei candidato ou não é o povo”. Fábio Henrique disse que a transferência aconteceu na última sexta (dia 5), no turno da tarde, e que sua candidatura é um projeto de partido, que ninguém conseguirá fazer política com carreira solo.

 

Validade dos passes-escolares convencionais encerra-se dia 30 de outubro

A data limite da validade do passe-escolar convencional é 30 de  outubro. Por isso, os estudantes que não compareceram à escola no dia  que as equipes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros 

de Aracaju – SETRANSP – e da Superintendência Municipal de Transportes  e Trânsito – SMTT – realizaram a entrega, devem comparecer à sede da  SMTT, localizada no Distrito Industrial de Aracaju (DIA), e retirar  sua carteira. A lista completa dos estudantes cujas carteiras estão no  local está disponível no site www.maisaracaju.com.br. “Ainda é grande  o número de estudantes da rede pública e particular que não compareceu  para retirar seu Cartão Mais Aracaju Escolar. É importante que todos  fiquem atentos, pois, a partir do dia 1º de novembro, os ônibus não  mais aceitarão os passes-escolares em papel”, alerta José Carlos  Amâncio, superintendente do SETRANSP. Boa parte dos 55 mil cartões confeccionados já foram distribuídos nas  universidades e escolas da rede pública e particular da capital  sergipana. Na Universidade Federal de Sergipe – UFS – e na  Universidade Tiradentes – Unit – a entrega dos cartões ainda não foi  concluída. A distribuição está sendo realizada de acordo com  calendário que obedece a uma ordem alfabética baseada nos nomes dos  estudantes. É só conferir no site www.maisaracaju.com.br

 

 

Resposta do ex-prefeito de Lagarto I

Resposta do ex-prefeito de Lagarto, Cabo Zé a um e-mail publicado ontem neste espaço: “Meu caro jornalista Cláudio Nunes. Como leitor assíduo de sua coluna na Infonet e em respeito à verdade e à inteligência do povo sergipano e, particularmente, do povo lagartense, gostaria de responder à nota intitulada “Lagartense desabafa sobre situação política”, onde o meu nome é citado em algumas oportunidades e cujo conteúdo o ilustre jornalista publicou neste dia 8. A nota diz, entre outras coisas, que o deputado Valmir Monteiro “prometeu que entregaria o comando do PR no município ao seu neo-aliado Cabo Zé, mas parece que os irmãos Amorim não toparam a parada. O Cabo Zé recorreu à direção estadual do PTN, partido pelo qual disputou a eleição para prefeito em 2004, para não ficar à toa como tem estado”. A verdade: Sobre o PR, não houve promessa de me entregar o partido, mas ele me foi oferecido pelo empresário Edvan Amorim, a quem agradeci e disse que conversaria com o deputado Valmir sobre o assunto. Quanto ao PTN, continuo ainda seu filiado. Sobre “Cabo Zé estar à toa” digo apenas que cuido e trabalho normalmente todos os dias nas minhas empresas (Rádio FM Eldorado, Jornal Gazeta dos Municípios e Trio Eldorado) e fazendo política, como sempre fiz em boa parte da minha vida”.

 

Resposta do ex-prefeito de Lagarto II

Continua Cabo Zé: “Quanto ao “velho e cansado Cabo Zé que procura subestimar seus adversários” digo que me acordo, todos os dias, à 5 horas da manhã e nunca durmo antes da 22 horas. E mais: meus adversários políticos continuam sendo tratados com o mesmo respeito de sempre. Já quanto aos “despachos diários no gabinete do 4º andar da Assembléia, e de ter emplacado um neto na assessoria de Valmir Monteiro e vários outros em órgãos do Estado”, pediria à leitora que citasse nominalmente essas pessoas e apresentasse os referidos contra-cheques dos mesmos, para que todo Sergipe ficasse sabendo, em vez de estar fazendo levianas acusações sem provas. Sobre uma possível candidatura de meu filho Júnior Ribeiro nas eleições do próximo ano, isso é assunto a ser discutido somente no próximo ano. Agora, dizer que eu e meu sobrinho Luiz Augusto Carvalho Ribeiro (Pupinha), juntamente com o deputado Valmir, estamos trabalhando “para tomar o PT das mãos de companheiros como Juquinha, Flamarion Déda, Hernandes, Roberto do Tanque e o professor Reginaldo” é sinal claro de desespero, de falta do que fazer, do que falar e, sobretudo, é uma demonstração clara de que quem realmente escreveu esta carta ao jornalista Cláudio Nunes não passa, ele, sim (e não ela) de um “politocozinho” de quinta categoria e que se vale de outras pessoas para traduzir em palavras suas idéias. Enquanto a leitora diz que “as forças que deram vitória a Marcelo Déda em 2006 aqui em Lagarto estão dispersas e politicamente desprotegidas, algumas até mesmo esconjurando, e que as cartas, nesse como em outros governos, estão sendo dadas pelas ratazanas mais vorazes da política sergipana”, tenho a dizer que o primeiro e grande responsável pela vitória de Déda em Lagarto foi o povo lagartense e o seu desejo de mudanças. Da nossa parte, coube fazer com que os meus fiéis eleitores entendessem essa nova mensagem. Por isso, fomos à luta e, em reconhecimento, o próprio governador Déda já deixou claro para esse mesmo povo de Lagarto, por mais de uma vez, a importância do nosso papel no processo sucessório em que ele foi vitorioso”.

 

Resposta do ex-prefeito de Lagarto III

Finaliza o ex-prefeito:As duas últimas citações da leitora no que diz respeito à “rejeição ao nome de Cabo Zé é sentida em todos os cantos da cidade e que o acerto entre ele e o deputado é mal visto e criticado às escancaras até mesmo por aliados do parlamentar social-cristão” é querer subestimar, mais uma vez, a inteligência dos lagartenses. Essa resposta quem vai dar é o povo de Lagarto nas eleições do próximo ano, quando, mercê de Deus, estarei participando de mais uma eleição no meu querido município, desta vez, junto com o deputado Valmir Monteiro e com o total apoio do governador Marcelo Déda. Não precisamos apelar nem para Maquiavel e muito menos para Freud para entender que “a eleitora” que escreveu a carta ao nobre jornalista Cláudio Nunes preferiu destacar mais o seu “boneca” tanto na forma de escrever como na de se esconder num pseudônimo que, certamente, gostaria de usar publicamente, mas que não tem coragem ou, ao menos, vergonha na cara. Quero dizer ainda que não se atira pedras em árvore que não dá frutos. O Cabo Zé pode não ser uma árvore muito frondosa, capaz de abrigar sob sua sombra todo o povo de Lagarto, mas tem voto suficiente para continuar sendo uma de suas lideranças mais expressivas. O resultado das últimas eleições municipais mostrou isso, na medida em que eu tive 14 mil votos dos meus fiéis amigos (sem gastar quase nada, porque não tinha) em detrimento dos 8 mil votos obtidos por Valmir Monteiro, na época meu adversário político e que contou com apoio e condições financeiras durante todo o processo sucessório em Lagarto. Finalmente, tenho humildade suficiente para admitir hoje o erro que cometemos, eu e o Valmir, ficando distanciados um do outro e deixando aqueles que não amam Lagarto assistindo de camarote a nossa degladiação, enquanto eles tinham como certa a vitória. Um erro, aliás, que certamente não vamos cometer mais”.

 

Frase do Dia

 “Os discursos de humildade são matéria de orgulho para as pessoas gloriosas, e de humildade para as pessoas humildes” .Pascal.

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários