ALBANO E A TRAGÉDIA DO PSDB SERGIPANO

0

Depois de passar dias e dias atanazando a vida do PT e PFL sergipanos com a sua profunda – e talvez genética – indecisão, finalmente, hoje, o ex-governador Albano Franco, líder maior do PSDB em Sergipe, vai convocar a imprensa para uma coletiva, às 11 horas, na sede do partido, na qual irá anunciar o rumo da legenda nas próximas eleições de outubro. Albano Franco deverá dizer a todos os presentes que o PSDB vai caminhar sozinho, sem qualquer tipo de aliança com João Alves ou Marcelo Déda. E que ele, Albano, será candidato a deputado federal.

 

A decisão de Albano Franco não decorre da falta interesse das partes envolvidas nas negociações. Muito pelo contrário. O PT tem feito de tudo para trazê-lo para seu palanque. Até mesmo a candidatura ao Senado do ex-presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, fora rifada, mais uma vez, nos últimos dias, para acomodá-lo. No caso do PFL também não houve maiores problemas. Nas conversas mantidas na quinta-feira, no apartamento do secretário Tácito Faro (cunhado de Albano), o governador João Alves chegou a concordar com todos os itens propostos para um amplo acordo entre os partidos. Até mesmo a indicação do suplente da senadora Maria do Carmo Alves pelo PSDB fora revista e aceita. Tudo do jeitinho que o ex-governador queria.

 

O problema é que, na avaliação de Albano Franco, nenhum dos dois – PT e PFL – oferece garantias palpáveis ao PSDB. Não há confiança. Ou seja: além da palavra empenhada dos principais líderes desses partidos, nada mais lhe garante que não haja uma traição em massa dos liderados de Déda e João, na hora do “vamos ver”. Albano tem receio de ser traído ao longo do percurso da campanha, ficando de mãos atadas e sem condições de recuar estrategicamente. Sem saída pela direita ou pela esquerda.

 

Por outro lado, dentro do próprio PSDB, já existe clima idêntico entre seus liderados. Portanto, por que sofrer tamanha desmoralização? É melhor caminhar sozinho, lutar muito para tentar se eleger (por conta da dificuldade dos votos de legenda) e torcer para que haja um segundo turno em Sergipe.  Sim, Albano Franco vai trabalhar arduamente para que haja segundo turno nas próximas eleições. Essa será a forma de valorizar ainda mais o seu passe. Se é que já não esteja hiper-valorizado.

 

Quantos aos demais companheiros de partido… Ah! Que pena! Vai ser uma tragédia. Mas ele bem que tentou ajudá-los.

 

 


O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários