ALBANO PODE VOTAR EM DÉDA

0

Que me perdoem os incrédulos, mas estou cada vez mais convencido que as conversas de bastidores entre o PFL e o PSDB sergipanos têm avançado. Os sinais são claros. Só não vê quem não quer. Aliás, tem gente que gosta mesmo de se enganar. Ou de ser enganado.

As declarações de ontem do governador João Alves Filho de que uma aliança com o ex-governador Albano Franco não é uma coisa impossível, já que nacionalmente os seus partidos devem caminhar juntos rumo à Presidência da República, deram a tônica do provável discurso de campanha. E serviram também como um recado direto a seus correligionários pefelistas aqui no Estado. Ou seja: João já está avisando a todos que poderá, sim, fazer uma aliança com Albano. Deixou claro que não são inimigos figadais e, sutilmente, que é ele quem decide no partido.

Entre os pefelistas, principalmente aqueles que gozam da intimidade do casal João e Maria, sabe-se muito bem que a “dificuldade” do governador em convencer a senadora Maria do Carmo a recuar de sua candidatura à reeleição é algo que não existe. É mero folclore. Maria é sem dúvida alguma a mais forte candidata à vaga, mas é uma mulher extremamente inteligente e afinada com o marido na “hora do vamos ver”. A capacidade de avaliação política do casal é algo impressionante. Não é à toa que estão no poder há tanto tempo. Sempre unidos, João e Maria já avaliaram as possibilidades de vitória com a presença do PSDB de Albano no palanque. E vão fazer de tudo para compor não somente com o PSDB como também com outros partidos importantes no quadro eleitoral.

Politicamente, o que seria mais interessante para eles? Mais 8 anos no Senado para Maria do Carmo Alves ou mais 4 anos no governo para João Alves Filho, com a caneta na mão e força para traçar uma estratégia política para outros 15 anos no poder? Não há muito o que pensar.

No caso de Albano Franco, a situação não é diferente. O astuto ex-governador do PSDB reconhece as facilidades que terá pela frente caso Maria do Carmo abra mão de sua candidatura ao Senado. E esse é hoje o único obstáculo para atingir seus propósitos. Albano dorme, sonha e acorda pensando no Senado Federal e nas formas de conseguir seu intento com facilidade, sem ter que gastar muito (Ele jura de pés juntos que está em dificuldades e a revista IstoÉ desta semana aponta os motivos). Portanto, independente de nós acreditarmos na choradeira de Albano, claro está que uma aliança com João – às claras ou não – é algo que inevitável.

Quanto ao jovem e promissor amigo Marcelo Déda, tenho plena certeza que Albano Franco vai ficar na torcida (60%) e, quem sabe, como forma de ajudá-lo, poderá até lhe dar o seu voto pessoal. Mas não passa disso.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais