Alguém tem que ceder

0

O secretário da Administração, Ivan Paixão (PPS) apressou-se em explicar que a decisão de cortar o ponto dos professores que estavam em greve foi do seu colega da Educação, Gilmar Mendes. Explicou que o secretário tem poderes para isso, sem precisar consultar o governador João Alves Filho. Evidente que o engenheiro Gilmar Mendes ainda raciocina como se estivesse presidindo uma empresa pública como o Deso. Sem a mínima experiência política, está querendo administrar uma Secretaria difícil e importante como a Educação, abandonando a concepção de que se trata de uma pasta meramente política. Ninguém discute a capacidade e até o doutorado de Gilmar Mendes em administração. Todos reconhecem o bom técnico que é. Mas, até mesmo dentro da equipe de Governo, alguns assessores da área política fazem restrições ao seu estilo. Está claro que alguém tem que ensinar, ao secretário da Educação, a ginga política para tratar de assunto tão delicado, como o setor educacional, e saber dialogar com servidores politicamente bem orientados. O corte de pontos dos professores faltosos incorreu num equívoco político lamentável, porque foi bem utilizado pela classe para explorar a sensibilidade da sociedade. Até mesmo nas mais rígidas empresas privadas, dentro de um acordo mais amplo, não se corta ponto do trabalhador. Nos entendimentos, apaga-se tudo e começa a viver um novo momento. Como a maioria dos membros do corpo docente é formada por mulheres, um corte salarial às vésperas do dia das mães, não era recomendável. A barraca pedindo alimentos em praça pública, toda essa apelação do sindicato classe, que também não deixa de ser uma ação política, terminou provocando um sentimento de solidariedade aos professores, pela sociedade. E seria natural que isso acontecesse, porque Gilmar Mendes precisa entender que a Secretaria da Educação não pode ser levada com uma administração que obedeça aos trâmites de uma empresa técnica. Evidente que o pensamento do secretário Gilmar Mendes sobre a organização do Estado é outro. Mas o Estado não é nenhum secretário, exclusivamente, e o regime é democrático. Pois bem, os professores estão aí, com uma nova greve, que prejudica a todos. É ruim para o Estado, mau para os professores e péssimo para os alunos. Há necessidade de entendimento de ambas as partes, para que não se mantenha esse clima de intransigência. Mas, acima de tudo, tem que prevalecer o bom senso, a responsabilidade e, o que é mais importante, o diálogo sereno e franco, para que se chegue a uma satisfação ampla e atenda as necessidades de quem recebe e as dificuldades de quem paga. Para que isso aconteça é preciso que as partes cedam em alguma coisa. A greve não pode ter tonalidade política, buscando o enfraquecimento de alguma tendência partidária. Todos têm que sentar com vontade de solucionar o problema, dentro de um clima de civilidade e respeito. Sem isso, perdem todos, já que a sociedade também sabe distinguir o que é abuso e o que é direito. Só não entende as aulas paralisadas e os alunos com o semestre praticamente interrompido. O diálogo é a melhor prática, mas o secretário Gilmar Mendes tem que assimilar essa lição política, de que não se faz acordo agredindo o salário de ninguém, porque não existe nenhuma vantagem nisso, já que o objetivo e trazer os professores à escola. Evidente que se trata de um impasse difícil e não é possível acreditar que todos estejam torcendo para pelo pior, mas é bom insistir que a greve é um direito e tem legitimidade, mas sem esquecer que ela sempre será o último recursos, principalmente quando prejudica estudantes pobres, que, em sua maioria, não pode pagar às escolas particulares. É por essa gente humilde, que tem na Educação a única forma de esperança, que se deve dialogar à exaustão e chegar a uma dedução que seja bom para todos. Nesse momento, a vitória não tem que ser política. O melhor é vencer a razão. BOA NOTÍCIA O governador João Alves Filho, antes de viajar, reuniu com o seu staff para tratar sobre a greve dos professores e o corte do ponto. Uma boa notícia: Já está decidido que o Estado vai devolver os dias cortados aos professores. Acontecerá dentro de mais alguns dias. AUDIÊNCIA Uma comissão do Sintese esteve, ontem, com o presidente da Assembléia Legislativa, Antônio Passos para solicitar que ele consiga uma audiência com o governador. O pessoal não quer levar pauta de reivindicação, mas apenas explicar a situação. Antônio Passos resolveu intermediar a audiência, que só será possível na sexta-feira. BELIVALDO O deputado Belivaldo Chagas (PSB) disse, ontem, que os professores não estão indo à sala de aula, porque alguns não têm o dinheiro do transporte. Belivaldo acha que se houver um entendimento para sustar o corte dos salários, o pessoal pode retornar às escolas. DEVOLUÇÕES Uma fonte influente do Governo disse que o corte no salário abrangeu professores com licença prêmio, licença gestante e até quem não fez greve. Esse pessoal, em grande quantidade, está comparecendo à Secretaria da Educação para comprovar seu estado funcional. De qualquer forma, haverá devoluções. DÉDA O prefeito Marcelo Déda desembarcou, ontem à tarde, da viagem que fez à Paris e Barcelona. Lideranças políticas de todos os partidos aliados estavam no aeroporto. Perguntado sobre o vice, Marcelo Deda disse que isso estava sendo tratado pelos partidos e logo, logo o nome seria anunciado. SAMARONE O vereador Antônio Samarone (PDT) lembrou que é professor da UFS e relatou que a situação, no setor educacional, é grave também a nível federal e municipal. Segundo Samarone, “em Aracaju nós ficamos boquiabertos com a relação de crianças que ficaram sem estudar, por falta de sala de aula”. GILMAR O deputado Gilmar Carvalho (PV) fez um apelo ao secretário da Educação, Gilmar Mendes, para que não corte os dias de greve dos professores. “Mesmo quem ganha bem, como os deputados, quando sofre um corte de 50% no salário, como aconteceu com os professores, passa por dificuldades extremas”, disse. MACHADO O deputado federal José Carlos Machado (PFL) disse que ouviu do seu colega Aleluia informação que interessa aos vereadores. Foi feito um acordo para votar todas as emendas da Câmara, inclusive o PEC que regula o número de vereadores por cidade. BENEDITO O presidente do PMDB, Benedito Figueiredo, está animado com a sua legenda. Diz que enquanto a maioria não tem candidato, “nós temos dois”. Benedito diz que não há nada definido e, mantendo a tradição, tudo se resolve de última hora e não tem prognóstico. ENCONTRO Sábado, à noite, o senador Almeida Lima teve uma conversa com os deputados José Carlos Machado e Mendonça Prado, e com os secretários Flávio Conceição e José Alves Neto. Aconteceu no Palácio de Veraneio e o encontro se deu por sugestão do senador, que queria aprofundar a discussão sobre as eleições para a Prefeitura de Aracaju. SUGESTÃO O deputado Mendonça Prado foi o único que insistiu para Almeida Lima disputar a Prefeitura de Aracaju. Ele não concordou… Durante as duas horas de conversa, não se chegou a uma única conclusão: o PFL não terá candidato à Prefeitura, mas dará apoio a algum partido do bloco governista. CAVALO Logo após a reunião, um dos secretários chamou Almeida Lima e disse que era a oportunidade dele retomar a Prefeitura: “o seu cavalo está selado, basta montar”, ofereceu. Almeida respondeu: “já estou montado em meu cavalo, com sela texana”. Acrescentou que o outro cavalo ele gostaria de ter montado em 2000. UM CANDIDATO Almeida Lima tem uma posição firmada: não será candidato e defende o lançamento de um único nome, que tenha apoio e participação na campanha de toda a coligação. Ninguém, na reunião, perguntou se ele tinha esse nome, entretanto Almeida revela que se quiserem uma alternativa, em oito dias ele leva. Haverá novo encontro sexta-feira… Notas VALADARES O senador Valadares confirmou que a posição do vereador Elber Batalha, de dizer que o PSB deve ter candidato próprio em Aracaju, é uma posição dele e não do partido, “Elber é assim, toda eleição cria uma polêmica, só que quando o partido decide ele segue sem problemas. O PSB vota em Deda e esta definido”. Valadares também falou da votação da Medida Provisória dos Bingos: votei contra os bingos, apesar do Jornal do Brasil on line ter dito diferente, foi um erro do jornal, sou contra bingo, por traz dele tem sempre o crime organizado. RESPOSTA O senador Almeida Lima (PDT) explicou seu voto contra a medida provisória dos Bingos, “não votei a favor dos bingos, votei pela inconstitucionalidade da MP, nunca para legalizar bingos. O Bingo Palace, por exemplo, foi reaberto com a derrubada da MP? Não! Então eu não votei pela legalização de bingo”. Lembrou que a senadora Idali Salvatti (PT-SC) tem projeto de lei para legalizar os bingos, a mensagem de Lula, no começo do ano legislativo, diz que é preciso legalizar os bingos para financiar os esportes. O PT só mudou depois do caso Valdomiro. CANDIDATO Depois da reunião realizada segunda-feira passada, o PDT está anunciando candidatura à Prefeitura de Aracaju. Almeida Lima havia dito que até o momento ninguém tinha se habilitado à disputa, mas o vereador Antônio Samarone e o deputado Garibalde Mendonça estão colocando seus nomes à disposição do partido. Os dois não têm problema de disputar a sucessão municipal, faltando apenas o partido voltar a se reunir para iniciar o trabalho de escolha. A partir de agora, o PDT pode tomar outro rumo, em termos de eleição municipal. É fogo O deputado federal Mendonça Prado (PFL) prevê o fim do Partido dos Trabalhadores, “com tantas mentiras que estão sendo evidencias com a passagem do PT no Poder”. Tem professor que “recebeu” salário, mas ainda ficou devendo ao banco, em virtude dos descontos que o Estado fez na remuneração dos grevistas. Ruy Pavan, representante da Unicef para Sergipe e Bahia se coloca à disposição dos deputados para dar informações dos convênios firmados com o Estado. A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) prestigiou a entrega do título de Cidadão Sergipano ao padre Gregório. Ao contrário de outras solenidades desse tipo, o padre Gregório mereceu uma boa presença de parlamentares. O deputado estadual Antônio dos Santos (PSC) tem aproveitado bem o espaço no rádio, para se firmar como liderança evangélica. O deputado estadual Walker Carvalho (PFL) está impressionado com o desrespeito de alguns bancos aos idosos, principalmente o Bradesco. O Governo não deverá aumentar o preço da gasolina antes do final de junho. Até lá, aguarda que a cotação do petróleo caia. Através de sai assessoria, o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, reforçou que não haverá aumento de gasolina. A pré-candidata à Prefeitura de Aracaju, Susana Azevedo (PPS) está concluindo o seu projeto de Governo para a Capital. O prefeito Carivaldo Souza (PSDB) ainda não decidiu quem será seu candidato na sucessão de Macambira. Diz que não tem pressa. As informações de Canindé do São Francisco são de que o candidato João Barbosa de Deus vem crescendo como candidato a prefeito daquela cidade. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários