Almeida aguarda

0

O senador José Almeida Lima (PDT) tem conversado pouco sobre a mudança de legenda. Em Brasília, revelou para um dos colegas que vai dar mais um tempo para tomar uma posição definitiva. Em Sergipe, entretanto, os seus aliados consideram que houve uma batalha perdida, mas que virão outras mais ferrenhas, que podem lhes ser favoráveis. A verdade é que o senador ainda espera uma nova solução do tucanato, porque a reunião que teve em Brasília, há 20 dias, não tinha caráter oficial. Foi apenas uma conversa em que se chegou à posição desejada por um pequeno grupo do PSDB. Uma coisa é certa: Almeida não pretende se manter em um partido pequeno e está disposto a esperar mais um pouco, dentro de uma estratégia em que o silêncio pode ser uma solução, para concluir depois o seu projeto político, que visa sua candidatura ao governo do estado em 2006.

 

Ontem houve uma reunião da Executiva Nacional do PSDB, na sede do partido, em Brasília. A princípio se imaginou que a questão da filiação de Almeida Lima fosse lembrada pelo grupo que o deseja. Mas isso não ocorreu. Segundo o presidente do Diretório Regional do PSDB em Sergipe, deputado federal Bosco Costa, a reunião ateve-se a posições do partido em relação à reforma política. A maioria dos integrantes da legenda acredita que até o final do ano o Governo envia o projeto de reforma política para votação no Congresso Nacional e o PSDB já se prepara para oferecer emendas e se contrapor a algum ponto. Revelou, por exemplo, que a verticalização interessa ao Partido dos Trabalhadores e ao PSDB e a bancada tucana vai se manter unida na discussão de um tema que é importante para a democracia brasileira. Teria sido esse o principal assunto tratado na reunião da Executiva Nacional, que o parlamentar sergipano revelou sem reservas.

 

Entretanto, nos bastidores da política, comenta-se que o PSDB vive uma pequena crise interna, mesmo que seja uma das legendas mais unidas no Congresso Nacional. Minas Gerais e São Paulo estão disputando o comando nacional dos tucanos e cada grupo tende a se fortalecer, através de conquistas de diretórios nos estados. Evidente que o PSDB será o partido que disputará, com capacidade de polarizar, uma disputa com o Partido dos Trabalhadores. E a Presidência da República é o ponto crítico da questão. São Paulo defende a candidatura do governador Geraldo Alkmin, enquanto Minas Gerais está de pé em favor do governador Aécio Neves. Lógico que são posições legítimas e democráticas, mas se trata de uma disputa que vence quem tiver melhor posição na Executiva Nacional. Ontem, circulou a informação de que o prefeito eleito de São Paulo, José Serra, retornaria à Presidência Nacional do PSDB, hoje nas mãos do vice, senador mineiro Eduardo Azeredo.

 

Foi exatamente o PSDB liderado pelo presidente em exercício, mineiro Eduardo Azeredo, ao lado do amigo pessoal Tasso Jereissati, senador pelo Ceará, que participou da reunião que aconselhava a entrada do senador Almeida Lima no partido, mas sem o comando, que continua em mãos do grupo liderado pelo ex-governador albano Franco.

 

Segundo ainda comentários de Brasília, o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM) e o senador Antero Paes de Barros (MT), membros do grupo paulista, defendem a filiação do senador Almeida Lima no tucanato, dando-lhe a liderança do partido. Foi exatamente Arthur Virgílio quem levou Almeida Lima para um jantar com o presidente nacional do partido, José Serra, em um luxuoso apartamento de um dos mais importantes empresários do país. É absolutamente certo que lá ficou definida a filiação do senador sergipano no PSDB, o que deveria ocorrer logo depois das eleições municipais. Dois argumentos prevaleceram para essa posição: o fortalecimento do PSDB no Senado e a tendência do grupo liderado por Albano Franco, em Sergipe, se unir ao Partido dos Trabalhadores e sequer disputar o governo do Estado.

 

Com o retorno de José Serra ao comando do partido, o grupo que deseja a filiação de Almeida Lima voltará a trabalhar para isso, dentro de uma discussão muito mais ampla da conversa que houve na reunião anterior. Essa perspectiva, com certeza, anima aliados e o novo grupo político que está em formação no Estado.

 

ALMOÇO

O presidente da Federação dos Diretores Lojista, empresário Max Andrade, almoçou ontem com os membros da CDL de Lagarto.

Estavam com ele os empresários Gilson Figueiredo e o presidente do Sebrae, José Guimarães. O ex-prefeito Jerônimo Reis também participou do encontro.

 

TRABALHO

O empresário Max Andrade, como presidente da Federação, está almoçando com diretores lojistas de várias cidades do interior sergipano.

Ele já disse que esteve muito tempo afastado do pessoal, quando assumiu a Secretaria da Fazenda, e agora pretende reunificar os seus companheiros.

 

GILSON

O secretário adjunto da Indústria e Comércio, Gilson Figueiredo, vai manter o pedido de demissão do cargo, já entregue ao governador João Alves Filho.

Ainda hoje, Gilson Figueiredo terá audiência com o secretário José Alves Neto, para confirmar o pedido de demissão, de forma irredutível.

 

ITAPORANGA

A prefeita eleita de Itaporanga D’Ajuda, Gracinha Garcez, está encaminhando ofício ao prefeito César Mandarino, para dar início ao processo de transição.

Gracinha quer analisar a situação da Prefeitura, ver questões financeiras e controle funcional. Espera que o prefeito atenda.

 

GILMAR

O deputado estadual Gilmar Carvalho já está em casa e sente apenas dores nas costas. Terá que implantar dois dentes, perdido no acidente.

Ontem à tarde Gilmar Carvalho fez uma visita ao motorista do veículo da TV Sergipe e vai estrear o seu programa na próxima segunda-feira.

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) entrou com projeto de lei no Senado Federal criando a Escola Técnica do Petróleo.

O objetivo é qualificar a mão de obra para o trabalho na área em todo o Brasil. A sede da escola será em Aracaju.

 

DECIDIDO

O Diretório Regional do PPS em Sergipe apóia a posição do deputado federal Roberto Freire (PPS) de se afastar do Governo Lula e fundir com o PDT.

Apenas o presidente do Diretório Regional, deputado federal Ivan Paixão, defende a posição do partido do jeito que está, como quer o ministro Ciro Gomes (PPS).

 

CANDIDATO

O secretário de Finanças do município, Nilson de Lima (PT) será o candidato do partido a deputado federal, com o apoio do prefeito Marcelo Déda.

Segundo um integrante do bloco de oposição, este acerto foi feito para que Nilson retirasse o seu nome como candidato a vice-prefeito na candidatura à reeleição de Déda.

 

RECONHECIMENTO

Um líder dos esportes em Sergipe, que hoje faz oposição ao Governo, reconheceu que o governador João Alves Filho marcou pontos, junto à juventude estudantil, ao reabrir os Jogos da Primavera.

Lembrou que há 10 anos os jogos foram suspensos, porque o ex-governador Albano Franco não quis realizá-los, para não lembrar uma iniciativa do Governo Valadares.

 

DEMISSÃO

Um secretário de estado já está com o pedido de demissão pronto e deve apresentar ao governador até o início de dezembro.

O objetivo é integrar um novo grupo político. O afastamento terá repercussão no mínimo idêntica à saída do empresário Max Andrade, da Secretaria da Fazenda.

 

CHAPA

O senador José Carlos Valadares (PSB) e o deputado federal Jackson Barreto (PTB) estariam sugerindo o nome do ex-prefeito Jerônimo Reis (PTB) para vice-governador.

Em contrapartida, querem que os Reis abram mão de candidaturas proporcionais para a Assembléia e Câmara Federal.

 

LIBERAL

O ex-governador Albano Franco (PSDB), acompanhado dos deputados Ulices Andrade e Bosco Costa, almoçou com o deputado Sandro Mabel (PL), em Aracaju.

Durante uma boa conversa, Albano avisou aos dois deputados sergipanos que: “Sandro quer nos levar para o Partido Liberal”. Mabel passou dois dias em Aracaju…

 

HELENO

Em Brasília, o deputado Heleno Silva (PL) disse ao seu colega Sandro Mabel que pode até discutir a filiação de Albano Franco e seu grupo no Partido Liberal.

Mais deixou bem claro que “se o grupo vier para comandar, saio da legenda”. Heleno lembra que foi ele que construiu o Partido Liberal em Sergipe.

 

BANCADA

A bancada federal de Sergipe reuniu-se, ontem, em Brasília, para discutir a questão das emendas orçamentárias. José Carlos Machado (PFL) continua como coordenador.

O governador João Alves Filho terá um encontro hoje com Machado, em Brasília, para falar das prioridades do governo. À noite João segue para São Paulo.

 

Notas

 

SECA-I

O deputado federal, Heleno Silva (PL), requereu ao ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, a disponibilização urgente de recursos para socorrer a população do semi-árido que já começa a passar sede. “No meu estado, Sergipe, por exemplo, várias cidades já decretaram situação de emergência”, avisou.

Segundo Heleno “para surpresa do nordestino, não existem recursos para tratar casos de emergência e calamidade no Orçamento da União destinado à defesa civil nacional, ligada ao Ministério da Integração Nacional”, denunciou.

 

SECA-II

O Heleno Silva informou que, mesmo com a edição de medida provisória alocando recursos para resolver o problema, a verba não sairá em tempo hábil. “Mais uma medida provisória vai entrar na fileira das tantas que trancam a pauta da Casa, em virtude de um problema político do governo”.

O deputado explicou que geralmente a defesa civil trabalha com o Exército na distribuição de água por meio dos carros-pipa, mas a burocracia e a falta de recursos no Orçamento vão prejudicar ainda mais esse atendimento.


SECA-III

A seca no sertão sergipano é terrível embora exista água nas barragens, mas imprestáveis para consumo humano. Em Canindé do São Francisco, os habitantes do povoado Curituba estão percorrendo mais de 25 quilômetros, em um caminhão de coleta de lixo, para lavar roupas pessoais à beira do São Francisco.

Na sede do município de Canindé do São Francisco também está faltando água constantemente, porque o Deso não está bombeando o suficiente para manter a população abastecida, enquanto a Prefeitura cruza os braços.

 

É fogo

 

O encontro que o governador João Alves Filho (PFL) teria com deputados e secretários acontecerá na próxima semana.

 

Faltam menos de 60 dias para a realização do Pré-Caju 2005, que este ano começa bem mais cedo. De 13 a 16 de janeiro.

 

O Governo do Estado só está pagando aos seus credores depois de concluída a folha de pagamento.

 

A vereadora eleita Tânia Soares (PCdoB) está disposta a disputar a presidência da Câmara Municipal.

 

Haverá muitas surpresas dentro do PFL no próximo ano. O governador João Alves Filho precisa reiniciar as reuniões das segundas-feiras.

 

A deputada estadual Susana Azevedo ainda está estudando a possibilidade de disputar uma vaga na Câmara Federal.

 

Políticos admitem que as discussões sobre a sucessão estadual só esquentam mesmo depois dos festejos juninos.

 

Já no mês de outubro haverá a chamada dança dos partidos. Os candidatos vão procurar se acomodar onde tiver melhor condição de disputa.

 

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) inicia o mês de dezembro no plenário do Senado Federal.

 

O novo reitor da Universidade Federal de Sergipe, professor Josué Modesto Passos Sobrinho tomará posse dia 22. Substitui o professor José Fernando Lima.

 

Os deputados Adelson Barreto (PTB) e Ana Lúcia Menezes (PT) foram os primeiros parlamentares a comparecer no João Alves Filho par ver Gilmar Carvalho.

 

A professora Ana Lucia Menezes, de forma coerente, elogiou o corpo clínico do Hospital João Alves Filho.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais