Alto lá!Basta!Até q ponto a insanidade estimulará mais e mais mortes?

0

                      Blog Cláudio Nunes: a serviço da verdade e da justiça
“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Brasil! Mostra tua cara, quem são os responsáveis por tamanho genocídio, causado por uma doença que pode, e deve, ser controlada por vacinas?

Certamente, a lista começa pelos evangélicos e católicos “vendilhões do templo”, seguida pelas grandes redes de jornais e televisão, que se aliaram a milicianos para esculhambar o Estado Democrático de Direito, transformando o País num puteiro para que a elite empresarial e política ganhe mais, e mais, dinheiro à custa da destruição de tantas famílias por mortes que deveriam ser evitadas, acaso o governo federal não tivesse sido assaltado por milicianos e psicopatas; sob o olhar conivente do Congresso Nacional, cuja maioria da Câmara dos Deputados é cúmplice do genocídio que já matou quase 500 mil brasileiros, que se soma à legião de sequelados pela COVID-19.

Tudo isso defronte ao STF que se “acovardou” na missão de guardião da Constituição da República!

Enfim, enquanto o País vive num cenário de apocalipse, preparando-se para a guerra civil, o protótipo de presidente alienista desfila por ruas e florestas, País a fora, dando o seu mau exemplo, como se pra ele e seus milicianos, desgraça pouca é bobagem!

Enfim, tudo isso tem sido possível, por causa da desgraçada elite financeira e política que assaltou o País, destruindo suas forças, como se fosse uma sucuri, que tritura os ossos da presa, para facilitar a sua deglutição!

Enfim, enquanto o País é destruído pela pior elite financeira e política de sua história, a “manada” de jumentos desfila pelas ruas para saudar o “mico” de um genocídio perverso e criminoso!

Até quando, vendilhões de templos?

Até que ponto a insanidade vai estimular mais e mais mortes?

Com a palavra a Procuradoria-Geral da República, cuja condescendência com esse estado de coisas, tem sido cúmplice com aqueles que destroem o País, mata sua gente com a falta de políticas públicas minimamente civilizatórias, que pudessem mitigar o genocídio escancarado, que nos põe em estado de perplexidade!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TV Sergipe não prestigia o forró sergipano Escolher Devinho Novaes (nada de pessoal) para representar Sergipe no São João do Nordeste da Rede Globo repercute negativamente. Cadê os o Trade turístico? Seus gestores? Têm medo da TV Sergipe? Sergipe o país do forró? Não respeita a memória do cantor Rogério e de tantos outros legítimos forrozeiros. Repercussão altamente negativa nas redes sociais. E a direção da TV Sergipe pensa que o forrozeiro sergipano é bobo. Anuncio uma programação local, mas para o São João do Nordeste, Deivinho Novaes, que canta o arrocha.  Boicote Já! Uma mensagem forte de apoio aos forrozeiros sergipanos do cantor Alcymar Monteiro:


Itabaiana: número crescente de casos de Covid-19 demanda novas restrições E o prefeito de Itabaiana, Adailton Sousa, preocupado com o número crescente de casos da Covid-19 no município, realizou, ontem, 31, uma reunião com a Secretária de Saúde, Priscilla Melo, e com todas as coordenadorias da área para discutir ideias e novas medidas de restrição para minimizar a proliferação do vírus.

Colaboração “Além das medidas, é necessário que a população colabore e tenha consciência do grave momento de pandemia que estamos vivendo. Siga as recomendações sanitárias para evitar a contaminação, como, por exemplo, o uso obrigatório de máscara, higienização das mãos e, principalmente, evitar aglomerações”, explicou o gestor.

Socorro: salários em dia Apesar de todas as dificuldades financeiras que apareceram nos últimos meses, a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro cumpriu com o compromisso de pagar em dia o salário do servidor municipal no dia de ontem, 31. Com isso, além de garantir uma segurança financeira ao trabalhador da gestão pública municipal, a prefeitura também colabora com a movimentação da economia do município, que favorece, de forma bastante significativa, o desenvolvimento e o fortalecimento do comércio de Nossa Senhora do Socorro.

Poço Verde: a partir de hoje, 01, meta de vacinar mais 1 mil poçoverdenses E ontem, 31, acompanhado de assessores e de diversos vereadores, entre eles o presidente da Câmara, vereador Rivan Francisco, o prefeito de Poço Verde, Iggor Oliveira, anunciou o avanço importante de fases na vacinação no município.  Foi traçada uma meta para vacinar 1 mil poçoverdenses que atuam em diversas áreas.

 Cronograma Na Praça da Juventude, a partir das 8h de hoje, profissionais da educação das redes municipal, estadual e privada. Também os motoristas do quadro efetivo municipal, além das merendeiras, vigilantes, professores contratados e colaboradores que prestam serviço às escolas municipais e profissionais que atuam na Secretaria Municipal de Educação. Já na rede privada, que estava até 35 anos, avançou paras todas as idades.

 Cronograma II Já na quadra da Escola Valadares, a partir das 8h, segunda dose para todos os poçoverdenses que restam se imunizar com a Coronavac, para com isso encerrar a segunda dose.  Na Clínica de Saúde da Família, Hospital municipal, a partir das 8h, pessoas sem comorbidades abaixo de 60 anos, iniciando a partir das pessoas com 59 anos.  Vacinação das pessoas que trabalham em transportes intermunicipais, que trabalham em Poço Verde. (Exemplo: Motoristas e Cobradores da Coopertalse, Coopervan e demais). Precisam procurar a Clínica, portando documentos pessoais e comprovação legal do posto de trabalho.

 Cronograma III A Prefeitura segue com a campanha acima de 18 anos de portadores de comorbidades. Cerca de 50 profissionais da saúde estão escalados para essa ação que abrangerá 57 e 58 anos na quarta-feira, 2 de junho, e a 2ª dose de quem tomou a Astrazeneca de 03 a 06 de março, 90 dias antes. “O nosso trabalho não para, vacinar o nosso povo é a maior meta e com fé em Deus e confiança, venceremos esse momento de calamidade pública imposto pela Pandemia do Coronavírus”, reforçou o prefeito.

Pedrinhas:  unidades móveis do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac atendem a população  O Sistema Fecomércio/Sesc/Senac chega à cidade de Pedrinhas, por meio de suas unidades móveis de atendimento à saúde, Sesc Saúde Mulher e OdontoSesc, para promover atendimento à população. As unidades estão instaladas na praça principal da cidade e começaram a atender as pessoas, dando suporte ao atendimento do serviço público de saúde municipal desde ontem, 31.

 Ordem O presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac, Laércio Oliveira, em companhia da diretora do Departamento Regional do Sesc em Sergipe, Aparecida Farias, assinaram a ordem de funcionamento do OdontoSesc e Sesc Saúde Mulher, junto com a prefeita da cidade Francileide Lima. Ao final da assinatura, a população cadastrada para receber atendimento odontológico, ginecológico e realização de exames de mamografia, começou a ser atendida.

 Pouco acesso Laércio Oliveira, destacou a importância das unidades móveis para a manutenção da saúde das pessoas, afirmando que a missão do Sesc é salvar vidas, por meio de sua atuação nos municípios. “Levar atendimento de saúde para as pessoas é importante nesse momento de pandemia. A população não tem facilidade de acesso para os serviços de saúde com celeridade nesses tempos de pandemia, e o Sesc complementa esse trabalho, dando apoio para o município, realizando atendimentos importantes para a busca do diagnóstico precoce de problemas como o câncer de mama e de colo do útero, além de oferecer tratamento completo de saúde odontológica para as pessoas. O trabalho preventivo de saúde é fundamental nesse momento, para ajudar a salvar vidas. Estamos cumprindo nosso papel social em ajudar as pessoas a ter qualidade de vida. Essa é a função e importância do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac na vida das pessoas”, afirmou Laércio Oliveira.


Sergipe tem cargo na CNM Primeira prefeita de Sergipe a assumir a titularidade do Conselho Fiscal da maior entidade municipalista do Brasil, a Confederação Nacional de Municípios (CNM), Silvany Mamlak tomou posse ontem, 31, em cerimônia realizada em Brasília-DF. Silvany foi eleita para o cargo em março. A chapa da qual participou é encabeçada por Paulo Ziulksoski e teve 98% dos votos válidos do processo.

Responsabilidade De acordo com Silvany, integrar o Conselho Fiscal de uma entidade tão importante como a Confederação Nacional dos Municípios traz ainda mais responsabilidade. “Carrego a responsabilidade não apenas de representar as prefeitas sergipanas, mas também de dar voz à presença da mulher no movimento municipalista, pois é nos municípios que a política pública realmente acontece”, afirmou. Para Christiano Cavalcante, presidente da Federação dos Municípios de Sergipe (FAMES), Silvany representa a competência necessária para auxiliar o movimento municipalista a crescer em Sergipe e em todo o Brasil.

Hospital de Glória ganhará leitos de UTI Covid-19 Após grande apelo do mandato da deputada estadual Janier Mota (PL), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) implantará, daqui a 60-90 dias, leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Regional de Glória – unidade hospitalar referência em atendimentos no Sertão Sergipano –, localizado na cidade de Nossa Senhora da Glória. Ontem, 31, a deputada estadual se reuniu com a secretária da SES, a enfermeira Mércia Feitosa, e foi informada desta importante implementação para o Hospital Regional de Glória.

Vitória “Essa é uma grande vitória do nosso mandato – diversas vezes apelei pela implantação de leitos de UTI no Hospital de Glória –, para atender toda população do nosso Sertão Sergipano, que não precisará mais se deslocar para outras cidades distantes, como Aracaju, para receber tratamento numa Unidade de Terapia Intensiva”, reforçou Janier Mota. De acordo com Mércia Feitosa, a Unidade de Terapia do Hospital de Glória será destinada para tratar pacientes com a Covid-19. “A implantação vai acontecer. Lá tem infraestrutura para isso e queremos dinamizá-la, já tem uma equipe visitando a unidade para fazer a implantação. Queremos atender a região do Sertão com estes leitos”, informa.

Prestes a se aposentar, conselheiro do TCE, visita a Alese O conselheiro Carlos Alberto Sobral deu seguimento ontem, 31, às visitas que tem feito a instituições públicas às vésperas de sua aposentadoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE). Desta vez, ele foi recebido pelo presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), deputado Luciano Bispo. “Fiz questão de me despedir de todas as instituições e personagens da vida pública sergipana que fizeram parte da minha trajetória e isso me trouxe até a Assembleia Legislativa”, comentou o conselheiro, destacando o bom relacionamento institucional que mantém com o presidente da Alese: “Desde a época da sua gestão como prefeito do município de Itabaiana, sempre mantivemos uma boa relação”. Para o deputado Luciano Bispo, é “lamentável” que a legislação vigente faça com que o conselheiro Carlos Alberto tenha que se aposentar no dia 24 do próximo mês de julho, quando completará 75 anos. (DICOM/TCE).

Entidades e professores universitários realizam oficina para a confecção de mapa dos novos bairros de Aracaju A Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB) – Aracaju, o Fórum em Defesa da Grande Aracaju, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro-Sergipe, juntamente com professores do Departamento de Geografia (DGE) e do Departamento de Arquitetura e Urbanismo (DAU), da Universidade Federal de Sergipe realizaram, na tarde do último sábado, 29, uma oficina para a confecção de mapas a partir de relatos de moradores nativos, especialmente focando na cultura, na arte, na ocupação laboral de cada um. A oficina aconteceu no Salão Paroquial da Igreja Santa Terezinha (padroeira do Robalo), no bairro São José dos Náufragos.

Fatos históricos e culturais Durante a oficina, moradores nativos – antigos e idosos – foram ouvidos, de forma que os fatos históricos das comunidades do Robalo, São José, Gameleira, Areia Branca e Mosqueiro, nas últimas gerações, foram levados em conta, para a definição dos limites de cada comunidade e, principalmente para que as relações culturais e históricas não fossem desrespeitadas. Além disso, outros elementos também foram extraídos, como o pertencimento, a afetividade, a religiosidade, as tradições, a cultura, os folguedos, conjunto de informações esse que comporá um minucioso relatório. Muitos moradores nativos foram orientados e levaram consigo registros históricos, como fotografias, documentos, assim como objetos e fantasias (vestimentas) ligados às práticas de cada um.

Impactos Pedro Murilo Gonçalves de Freitas é professor do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Sergipe, é também coordenador do núcleo de Sergipe do Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Brasileiro e representante do Fórum ANPARQ – Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Segundo ele, a ação foi importante para reconhecer, num primeiro momento, os impactos sobre essa transformação de bairros da Zona de Expansão para a cultura e identidade do Robalo. Diz que ao lado da verificação dos limites que de fato são vividos no cotidiano, algumas entrevistas também revelam importância de muitos lugares de memória ainda não reconhecidos como patrimônio cultural, no qual inventários frequentes e práticas de valorização das comunidades seriam ideias para toda Aracaju. “É preciso continuar esse trabalho e exigir um tratamento digno dos moradores antigos pelo Poder Público.” Arrematou.

Relatório técnico O presidente da Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB), Márcio dos Reis Santos, destacou que eles, com oficina, pretendem produzir relatório técnico que identifique os limites entre os povoados, a partir do que é realmente praticado pela população, uma vez que os moradores discordam dos limites impostos pela prefeitura. Além disso, segundo Márcio dos Reis, deve constar no relatório um inventário histórico, geográfico e cultural da área e de suas comunidades. “A oficina realizada nesta sábado foi muito importante, pois conseguimos obter várias informações relatadas por moradores e moradoras que são referências locais. A memória viva deve ser considerada em qualquer estudo desse caráter sobre a Zona de Expansão da nossa cidade”.

Preservação Joseilton Nery Rocha, coordenador do Fórum em Defesa da Grande Aracaju nos contou que testemunhou uma tarde indescritível da afirmação da identidade de comunidades tradicionais, bem como da luta pela preservação dos seus costumes. Segundo ele, os próprios nativos descreveram precisamente os marcos naturais e históricos que delimitam cada localidade. “E, assim, sob a luz de antigos pescadores, marisqueiras, catadores de coco, brincantes de reisado, músicos e lideranças comunitárias, a construção de um mapa que reflete seus olhares e faz contraponto com a absurda decisão do prefeito e de vereadores que não ouviram os nativos na alteração da delimitação dos lugares e divisão da Zona de Expansão em bairros, afrontando legislação e desrespeitando os costumes locais”.

Falta de diálogo Já para a professora do Departamento de Geografia da UFS, Campus de Itabaiana (DGEI/UFS) e representante da AGB-seção Aracaju no Fórum das Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro-Sergipe, Fabrícia de Oliveira Santos, os moradores ouvidos reconhecem a importância de mudanças, mas se forem para melhoria concreta das comunidades, questionam a falta de diálogo, de não serem escutados sobre o que pensam dessa transformação. “Se os limites impostos para a transformação das comunidades em bairros não os viram, eles se fazem ver e, e se farão visibilizados. Não são meros ocupantes de um lugar que podem ser movimentados como objetos, mas produtores de um espaço geográfico e de uma história singular que precisa ser respeitada”.

Depoimentos Entre os moradores antigos se destacaram marcadores de quadrilha junina, líderes de grupos folclóricos, como reisado e samba de coco, “chamador” de leilão (prática antiga de se gritar leilão em festas juninas, festas de padroeiros, entre outras festas, cujos prêmios são geralmente doados pelos moradores para o leilão servir para a aquisição de outros materiais ou para a organização de eventos), pescadores, marisqueiras e pequenos agricultores, aposentados. Ubiracy Suassuna, agente de saúde e morador do Mosqueiro, saiu da oficina se dizendo satisfeito. “Momento único, onde as comunidades se reuniram e foi feito um resgate histórico da povoação e seus progressos, consolidando os avanços necessários do mundo moderno, respeitando a história, costumes, cultura e preservando a autenticidade das comunidades envolvidas.”

Distanciamento Respeitando os cuidados com o distanciamento, foi convidada uma quantidade de pessoas que foi distribuída dentro do salão paroquial sem causar aglomeração e todos usavam máscaras. A ideia da oficina surgiu a partir da necessidade de se demonstrar que a Prefeitura de Aracaju e a Câmara de Vereadores, ao transformarem toda a Zona de Expansão em seis bairros, deixaram de observar uma série de elementos legais. O mapa resultado da oficina, como também os relatórios poderão servir de documento para convencer a Prefeitura de Aracaju e a Câmara Municipal a reverem a lei que transformou a Zona de Expansão em bairros. No encerramento da oficina, de forma espontânea, parte dos moradores improvisou uma apresentação com danças e cantos, que emocionou a todos os presentes.

Audiência Para José Firmo, presidente da Associação Desportiva, Cultural e Ambiental do Robalo (ADCAR), membro da coordenação do Fórum em Defesa da Grande Aracaju e integrante da comissão de moradores e moradoras do Robalo, a oficina teve dupla importância: ouvir os moradores para a confecção dos mapas e reacender a cultura. “Esta oficina que acabamos de realizar é um tapa com luva de pelica na Prefeitura e na Câmara Municipal de Aracaju, as quais deixaram de realizar as audiências, como manda a lei e ainda resgatamos os grupos culturais da região.”. Sobre as razões que levaram o Prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira e a maioria dos vereadores a mudarem os limites dos povoados da Zona de Expansão, transformando em seis bairros, Firmo diz ter uma tese. “O quanto mais estudamos sobre o assunto, mais entendemos que as forças que alteraram a Zona de Expansão para bairros, de forma ilegal, estão acima do Poder Executivo e do Poder Legislativo. São forças estranhas.”

PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018
Aracaju. Aldeia de São José dos Náufragos. O belo, imponente e desengonçado Anu-branco (Guira guira), posando para foto. Texto e foto Antônio Samarone.

EVENTOS ONLINE – É SÓ ENVIAR PARA DIVULGAR NESTE ESPAÇO

     

Celebrando a semana do meio ambiente, a OAB/SE, através da Comissão de Direito Urbanístico e Ambiental, tem o orgulho de promover no dia 01/06 a partir das 16h o Seminário da Advocacia Ambiental em Sergipe. Evento gratuito e com transmissão ao vivo através do nosso canal – www.youtube.com/oabse.

 

 

 

     

Nos dias 01, 08, 10 e 15 de junho realizaremos o II Colóquio Virtual Alusivo ao Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, e você é nosso convidado especial para este evento. Totalmente online e gratuito com transmissão ao vivo em todas as datas a partir das 19h em nosso canal – www.youtube.com/oabse.

 

 

 

 

Live sobre Água como Direito Humano em Aracaju, sábado, 05, às 19h No próximo sábado, 5 de junho, será celebradoo Dia Mundial do Meio Ambiente. Preocupada com a preservação ambiental, a vereadora Professora Ângela Melo tem apresentado diversas iniciativas de preservação da natureza e de cuidado com as águas e os ecossistemas de Aracaju. Com o objetivo de ampliar as discussões sobre a importância do direito à água, a parlamentar petista realizará na próxima sexta-feira, 04/06, uma Live com o tema “O caminho das Águas como Direito Humano em Aracaju”. A atividade terá início às 19h, com transmissão ao vivo pelos canais do Youtube e Facebook da vereadora. A Live terá como palestrantes Ana Consuelo Ferreira Fontenele, que é bióloga e geógrafa, mestra em agroecossistemas e doutora em geografia, com estudo sobre a política ambiental em Sergipe; e Sílvio Ricardo de Sá, técnico em química, tecnólogo em saneamento e presidente do Sindisan (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação e Distribuição de Água e Serviços de Esgotos do Estado de Sergipe). Conforme levantamento da Organização das Nações Unidas, 1 bilhão de pessoas não têm acesso à quantidade de água suficiente para o abastecimento mínimo diário (20 litros) próximo de casa; 1,6 bilhão vivem em lugares onde não há estrutura capaz de captar água devidamente; 2 bilhões vivem em área com escassez de água; 66% da população mundial vive em áreas com escassez de água ao menos um mês por ano; 2,4 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso a instalações sanitárias adequadas; e 1 bilhão ainda defecam ao ar livre. Quatro corporações empresariais (Nestlé, Danone, Coca-Cola e Pepsi-Cola) concentram mais de 50% da indústria da água em todo o mundo.


PELO E-MAIL nunesclaudio@infonet.com.br E FACEBOOK

OPINIÃO

Precisamos lutar contra o aumento do desemprego e da pobreza Por Marcos Pinheiro*

A pandemia de coronavírus acarretou em inúmeros males. Além da grande quantidade de vidas perdidas – um fato irreparável, diga-se – também há grandes prejuízos sociais, refletidos na crise econômica que a doença espalhou ao redor do globo. A miséria tem se espalhado no Brasil. E em Sergipe não tem sido diferente.

Um retrato desse cenário econômico negativo pode ser observado nos números crescentes do desemprego. Esta semana, o IBGE divulgou os dados mais recentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) tratando sobre o mercado de trabalho no primeiro trimestre de 2021. E os indicadores são preocupantes.

No País, a taxa de desocupação é de 14,7%, atingindo cerca de 14,8 milhões de brasileiros. Este é o maior número desde o início da série histórica, em 2012, quando a pesquisa começou a ser feita. Como Sergipe não é uma ilha, a estatística também ligou um sinal de alerta. A taxa de desocupação por aqui chegou a 20,9%.

Ou seja, 1/5 da população sergipana está sem trabalhar neste momento. Considerando os dados anteriores da pesquisa, entendemos que há uma escalada da falta de emprego, uma vez que no primeiro trimestre de 2020, a taxa de desocupação era de 15,5%. Entre outubro, novembro e dezembro do mesmo ano, era de 18%.

O PIB do Brasil foi jogado lá para baixo. Em 2020, o saldo foi de – 4,1%. Está claro que a pandemia foi determinante. Há mais de um ano que enfrentamos restrições que derivam queda da economia. O lockdown, adotado em algumas cidades, decretou o fechamento definitivo de muitas empresas. E a força de trabalho adotada por elas se viu, então, desempregada.

E pior: com a falência dos estabelecimentos, esses trabalhadores encontram poucas opções de recolocação. São pais e mães de famílias sem sustento durante a maior crise do último século. A consequência é o alastrar da miséria. Dados recentes da Fundação Getúlio Vargas (FGV) demonstraram que 12,8% da população ficou abaixo da linha de pobreza extrema.

Isso significa que cerca de 27 milhões de brasileiros sobrevivem com apenas R$ 246 por mês. O auxílio-emergencial vem para atenuar as dificuldades dessa fatia da população. Contudo, a melhor política social de todas é outra: o emprego. É preciso salvar o emprego, dando condições para que a economia se restabeleça e as empresas voltem a contratar.

Para isso, é preciso que todos se unam em prol desse objetivo. É hora de darmos as mãos, com um esforço nacional, conectando as prefeituras, governos estaduais e federal, organizações e o setor produtivo para criação de políticas que favoreçam a retomada da economia. Com incentivos e reformas profundas. Sem isso, dificilmente este cenário será revertido a curto ou médio prazo.

*Presidente da Acese e do Conselho Deliberativo do Sebrae Sergipe.

 

CAMPANHA

Movimento Polícia Unida dialoga sobre adicional de periculosidade com o senador Alessandro Vieira

O Movimento Polícia Unida, formado por entidades sindicais que representam as forças policiais de Sergipe, esteve reunido na segunda-feira, 31, com o senador Alessandro Vieira. O encontro teve como objetivo dialogar sobre a luta pelo adicional de periculosidade para policiais civis, policiais militares e bombeiros militares.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE), Adriano Bandeira, explicou ao senador a importância da pauta e que ela atende a todos de forma igualitária. “É um direito justo e constitucional. Já fizemos uma ata e entregamos ao Governo do Estado informando que somente sentaríamos à mesa juntos, sem desrespeito, querendo dialogar e construir alternativas. Com o adicional de periculosidade não abrimos mão de outros direitos sociais fundamentais que o Governo vem negando há anos, mas a gente quer construir a partir do adicional de periculosidade”, destacou Bandeira.

O diretor jurídico do Sinpol/SE, Ênio Nascimento, mencionou que a própria sociedade reconhece os perigos da atividade policial. “A sociedade entende que a Polícia exerce atividade perigosa, não somente na atividade diária, mas apenas pela razão de ser policial. No momento em que a gente assina nossa posse nós somos policiais até a morte, diferente de outros profissionais”, reforçou.

O governador Belivaldo Chagas está há mais de 260 dias em silêncio com o Movimento, que busca o diálogo e, como sempre, está disposto a negociações.

O senador Alessandro Vieira frisou a necessidade de uma resposta do governador para uma audiência com o Movimento Polícia Unida para debater o pleito e se colocou à disposição para ser uma voz a mais na busca por este direito para policiais civis, policiais militares e bombeiros militares.

Adicional de Periculosidade

O benefício é um direito de todo profissional que trabalha em situação que coloque sua vida em risco, não sendo entendido como bonificação, mas sim um adicional permitido pelas constituições Federal e Estadual. A atividade policial é totalmente exposta aos risco de vida.

Movimento Polícia Unida

O Movimento Polícia Unida é formado por nove entidades sindicais e representativas: Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE); Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE); Associação Militar Única; Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do Estado de Sergipe (Aspra); Associação dos Oficiais Militares de Sergipe (Assomise); Associação Integrada de Mulheres da Segurança Pública em Sergipe (Asimusep); Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese); Associação dos Militares da Reserva Remunerada e Pensionistas do Estado de Sergipe (Asmirp/SE); e Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros (ACS-SE).

PELO TWITTER

www.twitter.com/Frednavarro Antes das redes sociais os chatos já eram profundamente chatos, mas só a família e os poucos amigos que suportavam sabiam. Agora, viraram atração. A cada demonstração de chatice ganham milhares de seguidores tão chatos quanto. É irreversível. Eles ganharam.

www.twitter.com/andrizek Calma, gente, vai dar tudo certo na Copa América! Vão colocar o General Pazuello para cuidar da logística. Sucesso total.

www.twitter.com/Gugachacra Covid America, CoVa América, sei lá como chamar este torneio que o Brasil decidiu sediar. Autoridades agem como se o Brasil estivesse com a vacinação avançada como nos EUA. Será difícil torcer pela seleção. Ainda mais com o camisa canarinho roubada como símbolo dos negacionistas

www.twitter.com/lhmandetta Pandemia em expansão. Brasil é, neste momento, um grande covidário. Hoje ficamos sabendo que o Brasil vai sediar a “Cova América”. Um total cinismo em relação ao que está acontecendo. Inacreditável.

www.twitter.com/JailtonSantana_ A Copa América é Nossa
O Brasil é a porta aberta para novas Cepas da Covid-19
E viva o Brasil, pais da cachaça, futebol e o Cloroquito

 

www.twitter.com/depfmitidieriUm absurdo o Brasil sediar a Copa América. Nenhum país da América do Sul aceitou, obviamente.Estamos vivendo uma pandemia, não temos à população vacinada, risco de novas cepas…. Inacreditável. Espero que nenhum governador permita esse tapa na cara do brasileiro em seu Estado!



Siga Blog Cláudio Nunes:   

Instragram

 Facebook

 Twitter

 


Frase do Dia
“Os pequenos querem ser grandes, os grandes querem ser maiores, os maiores não sei, nem eles sabem o que querem ser.” Padre Antônio Vieira, Sermão da Quinta Dominga da Quaresma.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais