Ambulancioterapia

0

Mais da metade das pessoas atendidas nas unidades de saúde de Aracaju são oriundas do interior sergipano, atestando que permanece forte em Sergipe a prática da ambulancioterapia. Os prefeitos, em quase sua totalidade, preferem custear as ambulâncias para transportar os doentes à capital a ter que investir em saúde básica. Mas aí surge uma pergunta: e as tão badaladas clínicas da saúde, implantadas em quase todos os municípios pelo governo de Sergipe, não deram certo? Pelo visto não, pois do contrário as rodovias não continuariam cheias de ambulâncias transportando pessoas com simples resfriados ou unhas encravadas para serem atendidas em Aracaju. Definitivamente, só a moribunda saúde pública não pode ser socorrida pela ambulancioterapia, pois seu caso é de UTI.

Nova greve

Você tem filhos estudando na rede estadual de ensino? Pois não os mande para a escola segunda-feira próxima. É que a partir do dia 3 os professores vão cruzar os braços por tempo indeterminado. A greve visa pressionar o governo a reajustar o piso salarial da categoria. Segundo a presidente do Sintese, Ângela Melo, a paralisação ocorre por culpa exclusiva do Executivo, que se recusa a negociar a melhoria salarial dos educadores.

Parados

Os servidores do Detran também cruzam os braços a partir da próxima segunda-feira por tempo indeterminado. Eles protestam contra as péssimas condições de trabalho e pedem reajuste para o mísero salário de R$ 687 que recebem. A mesma reivindicação vem sendo feita pelos servidores da administração direta do estado, em greve há três semanas. Enquanto isso, o governo diz apenas não ter dinheiro para reajustar os salários. Que miserê!

Além mar

Os produtos feitos pelos artesãos de Santa Luzia do Itanhy foram apresentados na Feira Clerkenwell Design Week, realizada este mês em Londres. Apoiado pelo governo de Sergipe, o projeto ‘Cultura em Foco’ objetiva promover a inclusão sócio-econômica da população de baixa renda com base no princípio de economia criativa. Legal!

A casa caiu

Acusados de criar e treinar galos para briga, Gleidson Carvalho Simões e Valtenis Nazaré dos Santos foram presos na cidade sergipana de Umbaúba. Na casa onde os dois mequetrefes estavam a Polícia Militar encontrou 66 galos e sete galinhas de raça, além de remédios, seringas e material para treinamento das aves, como esporões, protetores e serras. Também havia uma rinha onde aconteciam as criminosas brigas de galos.

Está bem

O estado de saúde do governador Marcelo Déda (PT) tem sido o principal assunto nas rodas de conversas dos sergipanos. E todos ficaram aliviados ao saber que ele está bem. Após informações que o câncer no estômago havia se espalhado para o pâncreas, Déda postou no twiiter não ter feito quimioterapia na segunda-feira e que foi a São Paulo “por dificuldades de alimentação e náuseas”. Sergipe inteiro torce pela recuperação de seu governador.

Sem política

O Conselho Estadual do Meio Ambiente condenou a tentativa da Prefeitura de Aracaju de politizar o licenciamento do aterro de parte do rio Sergipe, no bairro Treze de Julho. Em nota, a entidade adverte que este “é um tema puramente técnico envolvendo sérias questões ambientais em um local que já tem sofrido sérios efeitos da degradação provocada ao longo dos anos”. O Conselho está corretíssimo!

Salvem o rio

O rio Sergipe está como aqueles olhos rasos d’água. Pudesse falar, cantava Nelson Cavaquinho: “Tire seu sorriso do caminho/ Que eu quero passar com a minha dor”. Não deixem aterrar ainda mais um rio já tão assoreado.

Choro

Numa bodega da zona norte de Aracaju, um torcedor do Confiança lamentava a conquista pelo Clube Sportivo Sergipe do campeonato estadual: “Volta Motinha”, pedia o proletário, com saudade dos tempos em que Antônio Soares da Mota presidia o time vermelhinho e não conseguia um título há anos.

Do baú político

Em 1968, o empresário e desportista sergipano Arivaldo Carvalho conseguiu um feito até hoje não repetido: interromper o tráfego normal de veículos na BR 101, no trecho entre Cristinápolis e Aracaju, para promover uma corrida de carros. Hoje, com 90 anos bem vividos, Arivaldo conta que só conseguiu autorização para fechar os 100 quilômetros a rodovia federal graças ao apoio do governador Lourival Baptista. Segundo ele, que na época era delegado para Sergipe e Bahia da Confederação Brasileira de Automobilismo, qualquer automóvel podia participar da competição. “Inscreveram-se 12 carros, porém só quatro cruzaram a linha de chegada, na entrada de Aracaju. Entre eles estava o meu corcel, que liderou a corrida de ponta a ponta”, recorda satisfeito. Não houve premiação em dinheiro, mas o troféu de campeão foi entregue a Seu Arivaldo pelo próprio governador Lourival Baptista, em pomposa solenidade na Praça Fausto Cardoso, centro da capital.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais