Ameaças de morte

0

Espalhou-se a informação, ontem pela manhã, de que o deputado Venâncio Fonseca (PP) teria sido escolhido, por sorteio, relator da Comissão de Ética no caso Gilmar Carvalho. Na mesma manhã, o presidente da Comissão, Augusto Bezerra (PMDB), alertou que, se nenhum dos deputados quisesse a relatoria, ele encerraria a comissão. A abertura dos trabalhos aconteceu à tarde, mas um fato novo fez com que, por unanimidade, o nome de Venâncio Fonseca fosse, de fato, o escolhido: três deputados membros da Comissão de Ética, Ulices Andrade (PSDB), Belivaldo Chagas (PSB) e o próprio presidente, Augusto Bezerra (PMDB), receberam ameaças de morte caso dessem continuidade na apuração contra Gilmar Carvalho. Nesse quadro de ameaça, os parlamentares resolveram colocar o autor das denuncias, Venâncio Fonseca (PP), que seria o último indicado pelo presidente da comissão, Augusto Bezerra, exatamente por ter iniciado todo o processo que resultou no quadro em que está. O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB), que o presidente gostaria de indicar para ser o relator, pelo bom trabalho que ele fez no caso do ex-deputado Antônio Francisco, mostrou o bina do seu celular, que continha o número 227 3870, de onde partiu ameaças de morte contra ele e Augusto Bezerra, dizendo que “tivesse cuidado porque o deputado Gilmar Carvalho tem amigos em todo o Estado”. O deputado estadual Belivaldo Chagas também relatou o mesmo fato. Disse que na secretária eletrônica do seu telefone havia ameaça idêntica, também advertindo que não mexessem no deputado Gilmar Carvalho (PV). Diante dessa ameaça, uma Comissão de Inquérito que caminhava até mesmo para um possível arquivamento, tomará outro rumo e será mais rigorosa na apuração, para que os parlamentares não demonstrem medo e ninguém possa interferir, com esse tipo de procedimento, junto a um Poder que tem a força da representatividade do povo. Plenário ligou para o Serviço de Informação da Telemar para saber a localização do telefone 227 3870. É um aparelho público e está instalado em frente ao Clube da Telergipe, na rodovia José Sarney, no povoado Mosqueiro. Os parlamentares deixam claro que não acreditam que isso esteja partindo do deputado estadual Gilmar Carvalho e nem isso deverá interferir no resultado do relatório da Comissão de Ética. O deputado Augusto Bezerra disse, inclusive, que Gilmar já estava conversando com os colegas e o clima lhe parecia favorável, porque havia a possibilidade do deputado Antônio Santos (PSC), que é pastor, ser o relator, já que os demais parlamentares estavam se recusando. Entretanto, Plenário desvia o eixo do que pensam os deputados: será que alguém, interessado na punição de Gilmar Carvalho, não teria promovido esse fato novo, só para irritar os membros da Comissão de Ética e provocar uma reação contra o parlamentar. que está sendo submetido a ela? Em política, nenhuma hipótese pode ser desprezada… Como presidente da Comissão de Ética, o deputado Augusto Bezerra esteve com o secretário da Segurança Pública, Luiz Mendonça, para fazer a denuncias das ameaças e pedir uma investigação da polícia para identificar o autor dos telefonemas. Embora seja uma missão difícil, já que se trata de um telefone público, a Secretaria vai determinar a apuração para tentar chegar ao autor das ameaças, além de garantir a integridade física dos deputados ameaçados. Evidente que esse fato novo não é favorável a ninguém, principalmente ao deputado Gilmar Carvalho. Em um caso desses, quem o quis preservar, certamente vai lhe prejudicar. PONTE João Alves Filho, em seu discurso no sertão, lembrou que um dos ministros, “que hoje usa barba” (Ciro Gomes) disse que pagara a ponte que liga Poço Redondo a Canindé. João rebateu na hora e disse que o dinheiro saiu dos cofres do Estado. O ministro viu o equívoco e garantiu ressarcir o que foi pago, o que ainda não o fez. ESTRANHO É muito estranho esse relacionamento pesado entre o governador João Alves Filho (PFL) e o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes (PPS). O PPS em Sergipe participa do Governo do Estado. Além disso, João Alves Filho apoiou Ciro Gomes para presidente da República. BARBUDOS João Alves Filho disse, também, que mantém em sua equipe dois auxiliares barbudos (Sérgio Fontes – Cehop e Lindemberg Lucena – DER) para leva-los a Brasília. João acha que os dois conseguem abrir portas para que ele mantenha os contatos em Brasília e conseguir alguma coisa para Sergipe. HELENO O deputado federal Heleno Silva (PL) disse que não se enquadra no perfil traçado pelo governador João Alves Filho, de parlamentares que tentam boicotar o seu trabalho. Acha que quem tenta atrapalhar Sergipe faz uma política muito pequena e admite que o povo está olhando isso. GRAVIDADE Heleno Silva considerou que o assunto é de extrema gravidade, porque mostra que tem gente trabalhando contra o Estado e acha que não é assim que se faz política. O parlamentar liberal disse que se isto está acontecendo, o governador João Alves Filho deve dar os nomes: “eu mesmo vou exigir de público essa posição dele”. GILMAR O deputado estadual Gilmar Carvalho disse ontem que o fato de um político fazer declarações contra parlamentares, não quer dizer que outro tenha feito. Insiste que ele não se referiu à Assembléia Legislativa e lembra que o governador João Alves Filho disse que vai revelar o nome de quem comanda um deputado asqueroso. DIREITO O deputado Gilmar Carvalho lembra que da forma como o governador tem direito em não citar o nome, ele também tem. Esse será um dos argumento que o deputado Gilmar Carvalho vai levar para a Comissão de Ética, que foi instalada ontem. D. MARIA A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) deve retornar à Secretaria de Combate à Pobreza dentro de mais alguns dias, licenciando-se do Senado. O atual secretário, José Alves Neto, avisou que o seu rumo é abrir o consultório de geriatria. Ele concluiu o curso pela USP e deseja exercer a profissão. ITABAIANA O empresário José Carlos de Zé de Dona, que Luciano Bispo gostaria de ter como vice do seu candidato à sucessão, não gosta de política e sequer é filiado a algum partido. O deputado José Milton, entretanto, comunicou que João de Zé de Dona (PFL) aceita ser o vice, desde que seja indicado pelo governador João Alves Filho. REUNIÃO O governador João Alves Filho desembarcou, ontem à noite, da reunião do Prodetur em Fortaleza e marcou para hoje uma reunião com todo o secretariado. Será no auditório da Codise, com os técnicos da Fundação João Cabral. Geralmente depois de reuniões como estas, o governador adota algumas medidas. SUGESTÃO O deputado João Fontes (sem partido) vai solicitar que o seu colega Mendonça Prado (PFL) deixe a CPI da Pistolagem, por ser parente do secretário de Segurança, Luiz Mendonça. João Fontes acrescenta que a presença do parlamentar não é boa para ele, porque sua situação fica muito difícil. MENDONÇA O deputado Mendonça Prado disse que continua defendendo o mérito da CPI da Pistolagem, que quer identificar grupos de extermínios no Nordeste. Lembra que o presidente da CPI, Bosco Costa, é da oposição ao Governo em Sergipe e diz que só sai se “o presidente puder me colocar para fora”. PRESENÇAS Mendonça Prado disse que na reunião da CPI da Pistolagem, ontem, estavam o presidente, Bosco Costa (PSDB-SE), Luiz Couto (PT-PB), João Fontes (sem partido) e ele. O deputado Jackson Barreto assistiu por alguns instantes, mas não se pronunciou. Depois chegou o deputado José Carlos Araújo (PFL-BA), que teve um bate boca com João Fontes. Notas DEPOIMENTO O deputado federal João Fontes (sem partido) informou, ontem, que os depoimentos dos delegados Marcos Passos e Sérgio Ricardo, na CPI da Pistolagem, “são algo estarrecedor”. Marcos Passos declarou que o relatório do delegado Abelardo Inácio, sobre a fuga de Floro Calheiros, “é uma grande piada”. Confessou que no período em que estava fazendo o relatório, Abelardo Inácio lhe confidenciou que o secretário da Segurança. Luiz Mendonça, não seria derrubado e que ele ficaria com o seu chefe. LIGAÇÕES O delegado Sérgio Ricardo disse aos deputados da CPI da Pistolagem que fez várias ligações para o secretário Luiz Mendonça dizendo que não entendia porque Floro Calheiros estava detido na Primeira Delegacia e indicou falhas gritantes em todos os processos. Além de fazer acusações graves. O delegado Marcos Passos também afirmou que o retrato falado do assassino, publicado pela Secretaria da Segurança, parece com Jeová. João Fontes disse que todos ficaram estarrecidos com os depoimentos. FINAL O presidente da CPI, deputado Bosco Costa (PSDB) acha que ela já está chegando ao final. Foi prorrogada por um pedido e o pessoal vai ouvir outras pessoas, para depois o deputado Luiz Couto fazer o relatório conclusivo. Bosco acha muito difícil a Comissão vir a Sergipe, numa altura dessas. O deputado Bosco Costa reafirma que está havendo uma obstrução para que a CPI da Pistolagem visite o Nordeste. O parlamentar acha que os delegados Archimedes e João Eloy precisavam ser ouvidos mais uma vez. É fogo O presidente da CPI da Pistolagem, Bosco Costa, avisou que não fará e nem deixará que façam da Comissão um palanque político. O deputado federal João Fontes vai falar sobre a violência no Brasil, sexta-feira, durante o grande expediente. Será às10 horas. Em artigo publicado em um semanário, a deputada Susana Azevedo revela porque deseja ser candidata à Prefeitura de Aracaju. No comentário, Susana faz críticas ao prefeito Marcelo Deda e relata que ele não tem compromissos com a periferia. Prefeitura e Governo do Estado fazem comemorações por mais um aniversário de Aracaju, durante o feriado de hoje. O secretário adjunto da Comunicação, Francisco Ferreira (Chiquinho), retroagiu em seu pedido e continuará trabalhando ao lado de Carlos Batalha. O deputado federal Heleno Silva (PL) assinou o documento da bancada afirmando que o pedido de exoneração do ministro Pallocci, da Fazenda, é do presidente da sigla. Segundo Heleno Silva, a bancada concorda com a baixa dos juros e com a redução quantitativa do superávit primário. O Banese, dentro das comemorações dos 40 anos do banco, fará um festival de música para compositores sergipanos. O vereador Antônio Samarone (PDT) revelou que já tinha alertado que o PT tem interesse de entregar o saneamento para os empresários que financiaram a campanha de Lula. O mercado financeiro aposta que a taxa básica de juros da economia brasileira só voltará a cair em abril. Depois de um período de otimismo e de confiança na recuperação do crescimento econômico, os empresários começam a perder o fôlego. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários