André no banco dos réus

0

O deputado federal André Moura (PSC) tem motivos de sobra para ficar apreensivo. Ontem, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu a condenação dele por formação de quadrilha e peculato. Nas alegações finais entregues ao Supremo Tribunal Federal, Dodge acusa o deputado sergipano de ter metido a mão grande no cofre da Prefeitura de Pirambu, usando recursos públicos até para comprar comida, bebidas alcóolicas e outras cositas más. Mesmo encalacrado na Justiça, André vai continuar como líder deste governo temerário no Congresso, pois o mordomo de filme de terror adora ter ao seu lado suspeitos por todo tipo de crimes. Êta Brasilzão sem jeito!

Renúncia coletiva

A depender de Zezinho Sobral (Podemos) todos os secretários estaduais entregam os cargos tão logo o governador Jackson Barreto (MDB) renuncie para disputar o Senado. “Eu mesmo vou entregar a Secretaria da Mulher, Inclusão, Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos”, disse Sobral ao Jornal da Cidade.  No caso de Zezinho, o motivo maior da renuncia é a pré-candidatura dele a deputado estadual. Ah, bom!

Panos quentes

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) amenizou nas críticas ao colega André Moura (PSC). Após ter comparado o cristão a um padeiro, “que vive de vender sonhos”, o pessedista colocou panos quentes: “Não tenho nada pessoal contra o deputado André Moura. Minhas críticas sempre foram no campo da política. Ele faz o papel dele e eu faço o meu. Somos adversários, mas não inimigos”. Melhor assim!

Agora é lei

O governo de Sergipe sancionou o Projeto de Lei tornando obrigatória a inscrição do grupo sanguíneo e do fator RH nas fichas escolares dos alunos das redes pública e particular de ensino. De autoria da deputada Maria Mendonça (PP), a iniciativa visa dar celeridade no atendimento dos estudantes em caso de uma eventualidade de socorro. Certíssimo!

Não valeu

O magistrado Manoel Costa Neto anulou as eleições para a mesa diretora da Câmara Municipal de São Cristóvão. Ao contestarem o pleito, os vereadores Paulo Júnior (PSL) e Diego Prado (PSDB) elencaram uma série de irregularidades no processo eleitoral, como o pequeno prazo para inscrição de chapas. Mesmo com a anulação, o vereador Vanderlan Correia (MDB) continua na presidência da Câmara até dezembro deste ano.

De fininho

E o governador Jackson Barreto (MDB) permanece no estaleiro por conta de forte estresse. Como vai renunciar agora em março para concorrer ao senado, JB deve transferir os principais compromissos do Executivo para o vice Belivaldo Chagas. Já foi assim ontem, quando o Galeguinho o representou na sessão de reabertura da Assembleia. Ou seja, Jackson vai aproveitar o estresse para sair de fininho do governo. Crendeuspai!

Sonhador

Prestes a assumir o governo de Sergipe, o vice Belivaldo Chagas (MDB) promete reduzir as despesas com a máquina e incrementar a arrecadação estadual. O emedebista também sonha que o Fundo de Participação (PFE) cresça nos próximos meses para pagar em dia as aposentadorias e os salários dos servidores. Deus te ouça!

Fim da greve

Após duas semanas de braços cruzados, os auditores estaduais de tributos decidiram suspender o movimento paredista. Eles retornam ao “batente” na próxima terça-feira. Segundo a diretoria do Sindifisco, a suspensão da greve é mais uma tentativa de reatar as negociações com o governo. Os auditores querem receber os salários em dia e cobram a recomposição inflacionária. Tá difícil, viu?

Reempossado

Caberá ao deputado estadual Georgeo Passos (PTC) liderar a oposição na Assembleia. Ele retorna ao posto por decisão unânime a bancada oposicionista. O senador Eduardo Amorim (PSDB) e o deputado federal André Moura (PSC) também endossaram o nome de Passos. Satisfeito com o reconhecimento dos colegas, Georgeo prometeu colocar “a liderança e o nosso mandato em favor dos interesses da população”. Então, tá!

Tempo quente

A campanha eleitoral deste ano vai acirrar ainda mais os debates na Assembleia. Quem pensa assim é o líder do governo no Legislativo, deputado Francisco Gualberto (PT). Segundo ele, no ano eleitoral a temperatura aumenta no plenário da Casa, “muitas vezes pela emoção, outras pela razão”. É vero!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano Folha da Manhã, em 31 de dezembro de 1940

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários