André: verdade ou meia verdade?

0

 

   Alguns lances interessantes da entrevista publicada do deputado André Moura no semanário Cinform desta semana.Primeiro, com essa estória de pacto com o demônio, André tenta levar a questão para o velho e bom maniqueísmo. Nesse sentido, sendo Juarez, junto com os “adversários de André” os autores do pacto com o coisa ruim, só resta a André ser o Anjo. Juarez é o mal e André Moura é o bem? Raciocínio ridículo, sem comentários. Além disso, quem são os tais, “adversários” de André? Ele está sofismando, criando um monstro para posar de vítima. Uma análise do jogo das perguntas e respostas.

1_ É verdade que todos os secretários foram nomeados por André Moura? Aqui já se percebe a estrutura das respostas. Ele sempre vai negar enfaticamente no inicio, desenvolver um raciocínio longo e fugidio e, preste atenção, confessar no final. Veja a resposta: “Não em absoluto”. Faz a volta e no final diz: “  …por conta desse pacto  político Juarez montou na coalizão  seu secretariado com representantes do  diversos partidos da base aliada de forma livre e democrática, concordei plenamente com a composição”. Ë o anjo. Só que veja que antes, na resposta, ele disse que Juarez foi escolhido uma semana antes da eleição. Vamos em frente e o método ficará mais claro. E veja: o publicitário Antonio Leite foi secretário de turismo de Pirambu. Quem nomeou? Juarez?Quem exonerou?

2- O senhor interferia diretamente na administração de Juarez Batista? De que modo? R – “Nunca interferi diretamente em nada”. E segue “É claro..” e segue dizendo que fazia de tudo. 3 – Existiu essa viagem para Morro de São Paulo…? Desconversa total, mas afirma que houve a viagem É uma meia-verdade. E a  ameaça houve?

4- O senhor fazia compras nos supermercados …? R- “Nunca fiz compras pessoais …” Isso é resposta de advogado. Pessoais não, mas e as compras houveram? Sim ou não? Finaliza: “Pirambu  conhece bem o comportamento de seus políticos”. É evasivo de mais. Sim, conhece tanto que todo mundo sabia exatamente o que acontecia, que quem mandava era André.

3- Segundo o prefeito sua mulher, Lara Moura, era lotada na secretaria de ação social… mas não trabalhava .Isso é verdade? “Isso é mentira”. Note que a pergunta levanta a bola para a resposta. E  segue, sofismando.

 Segue uma seqüência de perguntas levantado à bola para respostas, sendo que aqui aparece o merchandising do criminalista: 7- Essa é boa: É verdade que o seu pai lhe alertava que o Sr. estava indo longe demais? Lembre-se da nota de um jornalista na semana passada:que André parecia não ter o DNA político do pai. R-“Não, não é verdade”. Veja que o jornal sempre pergunta se é verdade? O  que o entrevistado-acusado vai responder? E segue: “os conselhos de meu pai sempre são bem-vindos , mas não teriam  sentido nesse caso específico porque esses fatos denunciados não existem”. E  aí aproveitando a “deixa “da pergunta, ataca de chavão de culpado

sofismático: ” a mentira não vai …”

8- Qual seria então o motivo…? Aqui ele cristaliza a tese maniqueísta: “o Juarez fez juntamente com os meus  adversários (quem são? Nomes aos bois) e solta uma perola “Ganha notoriedade e sobrevida num primeiro momento, mas depois afunda no fogo do inferno e perde a alma para sempre”.Como ele sabe disso?André o metafísico, dono das almas. E ainda segue, contradizendo a primeira afirmação Dantesca. Depois de  vaticinar a condenação eterna da alma do adversário ele diz “vamos dar tempo ao tempo. O tempo é o senhor da razão e da verdade”. Demais. De que cabeça saiu isso? Final do anjo perseguido : “…paciência  e fé em Deus que a justiça irá imperar contra essa perseguição, injusta, perversa, etc.

Ao final está claro que a entrevista dada por André Moura ao Cinform é um primor de meias -verdades e pode ser considerada também uma confissão pública. Basta analisar por todos os ângulos.

 

Gilmar vai pedir recadastramento em Pirambu

Ainda essa semana o deputado estadual Gilmar Carvalho (PSB) irá solicitar uma audiência ao procurador eleitoral do Ministério Público Federal Eduardo Pelella. O parlamentar irá sugerir ao procurador que ele encaminhe um pedido ao Tribunal Regional Eleitoral para o recadastramento de eleitores no município de Pirambu.”Vou solicitar o recadastramento por entender que há fortes indícios de transferência fraudulenta de eleitores e, de acordo com informações oriundas do município, a maioria da Bahia”, justifica Gilmar Carvalho.A suspeita do deputado aumenta levando em consideração o número de eleitores existentes em Pirambu com a quantidade de moradores. Segundo o TRE, o município dispõe de 6.335 eleitores aptos, sendo que a população, conforme o IBGE, é de 8.769 habitantes. “Calculando a quantidade de eleitores pelo número da população, chega-se à cifra de 72,2% de votantes, o que é um percentual bem acima da média”, compara o parlamentar.

 

Expectativa para chamada dos excedentes da PM

Cresce a expectativa dos excedentes do concurso da PM/Se para a convocação da terceira turma que deve ser anunciada nos próximos dias. O governador chamará os excedentes, onde boa parte será para o interior do Estado.

 

Protocolo de intenções Sergipe/Bahia

O secretários Oliveira Junior (Casa Civil) e Clóvis Barbosa (Governo) ao lado do diretor-presidente da Degrase, Luiz Eduardo Oliva inauguram hoje em Salvador (BA) uma ampla discussão para a assinatura de um protocolo de intenções entre os governos da Bahia e Sergipe. Eles serão recebidos pela secretaria de Estado da Casa Civil,  Eva Maria Chavon, onde começarão a firmar os termos do protocolo de intenções sobre a troca de experiência na área de tecnologia, treinamento e em diversas outras áreas. Um dos pontos principais serão novas tecnologias para a Degrase, especialmente na área do Diário Oficial do Estado.

 

Para Jackson, Platô de Neópolis é uma “grande farsa” I

Em discurso ontem, 14, na Câmara, Jackson Barreto (PMDB) relatou a visita que fez ao Platô de Neópolis. “O Platô de Neópolis se revela como a grande mentira e a grande farsa na geração de empregos anunciada pelo ex-Governador João Alves no seu segundo Governo em 1992. Imensas áreas de terras desapropriadas pelo Estado, investimentos altos com projetos de irrigação e não conseguiu gerar 800 empregos diretos para uma promessa de 15 mil empregos. O Platô aprofundou a pobreza e a miséria na região, pois, segundo o Estado, era terra específica para a fruticultura, gerando empregos – o que não aconteceu.  Hoje imensas áreas estão sem uso e outras áreas sendo trabalhadas por algumas empresas sem compromisso social com a Região. O que nós queremos agora é transformar estas áreas em produtoras de alimentos para que os trabalhadores sem terra tenham acesso definitivo, com um projeto elaborado pelo Governo do Estado  dando fim social ao Platô que foi efetivado com dinheiro público. É importante denunciar que 40% das terras do Platô não tiveram seus projetos implantados”.

 

Para Jackson, Platô de Neópolis é uma “grande farsa” II

Continua Jackson:No segundo Governo João Alves Filho, alguns falsos empresários receberam milhões em  empréstimos dos bancos oficiais (Banco do Nordeste e Banco do Brasil) e logo em seguida desapareceram sem fazer os investimentos na região. É justamente nesta área que precisamos assentar as famílias que estão acampadas e assim também marcar a diferença entre os governos anteriores e o Governo progressista de Marcelo Déda. Mas, precisamos também exigir uma auditoria no Banco do Nordeste  do Brasil para sabermos o total de recursos liberados, não aplicados e não pagos dos falsos investidores e  punir, se for o caso, os responsáveis pela liberação de tão vultosos valores a fim de que os mesmos possam pagar por mais um golpe contra o nosso povo e contra o nosso Estado. João Pedro Stédile, um dos coordenadores   nacionais do MST esteve em Sergipe na semana passada e declarou que o novo acampamento dos trabalhadores sem terra “Padre Nestor” no Platô de Neópolis, poderá se transformar num modelo de assentamento de trabalhadores sem terra para o nosso país. É o que nós queremos, defendemos, e esperamos do nosso Governo”.

 

 

 

Câmara dá anistia a troca-troca partidário I

Com integrantes ameaçados de perder o mandato por terem trocado de partido, o plenário da Câmara aprovou às 23h45 de ontem um projeto de fidelidade partidária que busca anistiar todo o troca-troca ocorrido no passado e também aquele que vier a ocorrer até 30 de setembro deste ano.Além disso, mantém aberta a brecha de um mês, a cada legislatura, para que os políticos continuem a mudar de partido segundo suas conveniências eleitorais. O projeto de lei foi aprovado por 292 votos contra 34, mas pode ser alterado por meio de emendas ainda pendentes de votação. Após isso, segue para o Senado. O texto traz parágrafo que diz que “ficam resguardadas e convalidadas todas as mudanças de filiação partidária constituídas até a data de 30 de setembro de 2007, não incidindo nenhuma restrição de direito ou sanção”. Além disso, altera o Código Eleitoral proibindo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de aplicar retroativamente interpretações da legislação.

 

Câmara dá anistia a troca-troca partidário II

O objetivo é se resguardar de recente interpretação do TSE segundo a qual o mandato pertence ao partido, não ao político. Baseado nessa interpretação, partidos de oposição ingressaram no STF (Supremo Tribunal Federal) pedindo de volta 23 mandatos de deputados que migraram para a base governista desde as eleições. Em linhas gerais, o texto pune com perda de mandato e inelegibilidade de pelo menos quatro anos os políticos que trocarem de sigla fora da “janela” de 30 dias -o mês de setembro do ano anterior às eleições. Hoje, a única restrição à mudança de partido ocorre no ano anterior à eleição, já que quem não estiver filiado por ao menos 12 meses antes da eleição está impedido de disputá-la. O projeto de lei foi elaborado e apoiado pelos principais partidos que se beneficiaram do troca-troca nos últimos anos, como PR, PTB, PP e PMDB. Apenas DEM, PSDB, PPS e PSOL se colocaram contra. (da FSP).

 

Ampliado Fundo de Participação

A Câmara dos Deputados atendeu ontem a uma antiga reivindicação dos prefeitos e aprovou em segundo turno a Proposta de Emenda à Constituição que amplia de 22,5% para 23,5% o repasse de tributos da União para os municípios. O incremento do Fundo de Participação dos Municípios passou no plenário por 389 votos favoráveis e nenhum contra. O texto tem de ser aprovado ainda em dois turnos pelo Senado para ir à promulgação. A votação acontece em meio a discussão da prorrogação até 2011 da CPMF. (Da FSP).

                       

 

Leitor preocupado com abandono da orla

De um leitor: “Sei da dificuldade em se administra uma capital ou qualquer empreendimento onde requer uma equipe competente e afinada, onde há dificuldades principalmente de origem política, mas vamos aos fatos: Lamentavelmente a nossa Orla maior referencia em qualquer estado e até no exterior por onde passamos, esta sendo   rapidamente abandonada, vê-se, por exemplo; o sistema de iluminação com inúmeras lâmpadas queimadas até mesmo sem a cúpula dos refletores, inclusive na região dos lagos e fontes, sem falar da praia dos artista (orlinha), a primeira e péssima impressão de quem vem pela coroa do meio, isto só como exemplo. Devemos cuidar, pois o turismo hoje é uma das principais  fonte de emprego em qualquer país do mundo o qual deveria  ser ampliado, (mantenham o que é bom e façam ainda melhor), basta ver o número de hotéis, restaurantes e bares criados recentemente,  que agregam  funcionários, fornecedores,empresas de turismo  etc. Não deixem a peteca cair do maior cartão postal do Estado. Como morador desde 1989 nesta região, sei de toda sua evolução e vejo todo dia a enorme quantidade de trabalhadores que depende deste setor. Em tempo:  Parece que o projeto de contenção (moles de pedra) estar incompleto, se não me engano os espigões deveriam seguir até as imediações do Celi Hotel, solução existe, basta lembrar os países baixos”.

 

 

Via crucis do Funaserp continua

De um servidor do TJ: “Fato, no mínimo curioso, vem ocorrendo aos servidores do Tribunal de Justiça que optaram pela antecipação via Banese; passados vários dias do contrato assinado neste banco nada foi depositado em suas contas e quando pedem explicações no banco a gerencia informa que depende do Tribunal já no setor de pagamento do Tribunal são informados de que se o beneficiário tivesse conta no Banese a liberação da antecipação é realizada em 48h, do contrário, aguardem! O que de fato está ocorrendo? Uma tentativa de venda casada ou a culpa será colocada no sistema de  informática, neste caso, estranhamente incapaz de realizar uma transferência de valores?”.

 

Palestra com o tema “Lavagem de Dinheiro”

A seccional sergipana da Escola de Magistratura Federal 5ª Região acaba de criar o projeto “Quinta Jurídica”, com o escopo de promover palestras e/ou debates sobre temas jurídicos atuais.A proposta tem por finalidade reunir as pessoas do mundo jurídico sergipano para discutir e dialogar (no meu modo de dizer: “trocar idéias”). Em outras palavras, abrir um espaço para a produção de conhecimento, mais ou menos como nos círculos de estudo em Recife, João Pessoa e Fortaleza.O primeiro evento ocorrerá no dia 16/08, palestra com o tema “Lavagem de Dinheiro”, sob a tutela do Juiz da 2ª Vara Criminal da Justiça Federal do Paraná, Sérgio Fernando Moro, às 19 hs, na Sociedade Semear. A inscrição é gratuita e ao final, o participante ganhará um Certificado. A coordenação compete ao Prof. Ronivon de Aragão (Juiz Federal).

 

 

 

Audiência pública é sucesso em Tobias Barreto

O governo estadual ficou satisfeito com a audiência pública realizada ontem, 14 em Tobias Barreto. Cerca de 30 mil habitantes serão beneficiados com a regularização no abastecimento de água na cidade. A decisão certa só foi possível por meio de uma comunicação clara e objetiva entre o poder público e sociedade que possibilitou a concretização de ações que irão gerar benefícios aos cidadãos.Não é apenas com a atenção dada pela administração do Estado sobre regularização do abastecimento de água que os tobienses estão satisfeitos. Medidas econômicas e administrativas tomadas pelo Governo do Estado que proporcionam a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), no Supersimples, para empresas com faturamento anual de até R$ 360 mil, beneficiam diretamente o município de Tobias Barreto.Outro grande investimento é a recuperação de cerca de 150 quilômetros de trechos das rodovias que ligam Tobias Barreto a municípios próximos, estimulando também a movimentação da economia local. Serão recuperadas a SE-290 Umbaúba/

Itabaianinha/Tobias Barreto), SE-170 (Lagarto/Riachão do Dantas/Tobias Barreto) e os quase 54 quilômetros que ligam Tobias Barreto a Poço Verde.

 

 

Semarh apura irregularidade com veículo

Da assessoria da Semarh: “Diante de nota publicada em sua conceituada coluna de hoje, dia 14 de agosto, a respeito do veículo Fiat Uno branco, placas HZV 4417, plotado com a marca do governo do Estado e Secretaria do Meio  Ambiente e Recursos Hídricos, que passeava pela rua Santa Luzia, Centro, no último dia 9, às 17h15, cheio de passageiros, sendo um deles um adolescente de bermuda e havaianas que havia descido do veículo, a assessoria de comunicação da Semarh esclarece que o secretário Márcio Macedo, tão logo informado da denúncia, identificou o motorista do veículo que serve a Superintendência de Recursos Hídricos, determinou ao superintendente que apure os fatos e que sendo constatado a utilização do veículo fora do trabalho sejam adotadas as devidas providências”.

 

 

Explicações do transporte de jovens em carros da Seel I

Do gerente de esportes da Secretaria de Esporte e Lazer, Gilvan Costa Cavalcante: “Caro Cláudio, a respeito de uma matéria (dia 10/08) sua  sobre o carro Marca Fiat Uno da SEEL, gostaria de esclarecer que o mesmo, todos os dias com exceção dos finais de semana, conforme termo de responsabilidade assinado pelo motorista, assim que ele deixa a Secretaria as 17 horas vai com o motorista e pernoita na residência do mesmo, com a quilometragem registrada na saída e na entrada as 7:00 horas do dia seguinte. O que aconteceu foi um fato esporádico que os três filhos do motorista Sr. Valmir, que reside no Bairro São Conrado, estudam no Colégio Médici, eles os deixou em frente a Vila Romana após o Extra, na Av. Adélia Leite, e dali eles foram a pé para o colégio, portanto não houve desperdício de gasolina ou abuso de uso inadequado, já que o caro jornalista sabe que a secretaria esta localizada no Batistão, e esta rota é direção a Rua Cedro,  sem, portanto, cometer nenhum desvio, sou o Gerente Geral de Esportes , e o referido veiculo presta serviço a esta Secretaria lotado na Gerência de Esportes, o carro é da locadora Samam, bem como o motorista”.

 

Explicações do transporte de jovens em carros da Seel II

Continua o gerente da Secretaria de Esporte e Lazer:  “Portanto caro jornalista deixarei meu telefone para que mesmo possa antes de divulgar as noticiais em sua matéria se possível quando haver duvidas (no caso de desperdício de gasolina), e do veiculo desta gerência me consulte. Outra coisa algumas vezes que meu carro  ficou indisponível tais como fazendo revisão etc… eu que resido no Bairro Santo Antonio,  já que o motorista vem me apanhar todos os dias. Já deixei sim meus filhos no Colégio Arquidiocesano, que diga de passagem também é caminho da secretaria nas vezes que deixei se fosse visto por algum jornalista ia passar por isso também mais sem o abuso de gasto de combustível, mas sim somente uma parada esporádica para deixar os filho no colégio que fica três quadras antes do trabalho (Batistão). Com isso caro jornalista o mais prejudicado desta noticia foi o motorista, pois é um pai de família que ganha pouco mais de 400 reais, e poderá perder o emprego, por um fato isolado sem se quer prejudicar o estado, com supostamente gasto de combustível nem abuso de serviço, no caso se tivesse deixando os filhos na porta do colégio e não em uma Rua que nem acesso dar ao colégio”.

 

 

Gerente da Seel acha normal transportar filhos em veículos do Estado

O leitor deve ter se assustado ao ler as notas acima com as explicações do gerente de esportes da Seel, sobre o transporte de estudantes em veículos da Secretaria de Esporte. A desculpa é que caminho do motorista. Um absurdo! Será que todos estudantes têm esta oportunidade? De pegar carona em veículos que estão à serviço do governo estadual? Aliás, ele próprio assume que já levou os filhos dele para o colégio em cargo locado com dinheiro público. É correto? E o mais grave. Se acontecer um acidente grave com os estudantes dentro do veículo do Estado? Como fica. E o secretário, Leó Filho? Também concorda com isso? Ainda vem colocar a culpa neste jornalista dizendo que o mais prejudicado é o motorista que ganha R$ 400, 00 e pode perder o emprego. Quer dizer que o errado é este jornalista? Pelo que se sabe veiculo público é para realizar o serviço do governo estadual e ponto final. O resto é proselitismo barato. Já pensou, agora todos os motoristas podem transportar a família, os vizinhos, parentes, cachorro, papagaio porque vão passar ao lado de algum lugar que eles desejam ficar.

 

Frase do Dia

“Ter escravos não é nada, mas o que se torna intolerável é ter escravos chamando-lhes cidadãos”. Denis Diderot.

 



 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários