Aracaju, a cesta básica mais cara do Nordeste

0

A Capital sergipana passou a deter um índice nada agradável: o aumento da cesta básica do Nordeste foi o maior em nosso Estado. Dois produtos registraram a maior alta acumulada em doze meses: o feijão e o leite. Em Aracaju, a dupla de itens entra na conta reversa ao movimento de deflação verificado de forma geral, nas regiões do país. Os dados são do DIEESE.  O produto que mais subiu de preço, na análise dos principais itens pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste, foi o feijão. Com alta expressiva em todas as capitais, o alimento obteve índices progressivos que variaram do faixa de 70,4% em João Pessoal até o índice de 93,3% em Aracaju. O leite também registrou o maior aumento na capital sergipana (79,9%), embora do mesmo modo tenha obtido alta de preço em todas as capitais nordestinas. A menor variação do produto foi encontrado em Natal (22,7%). Na verificação geral, Aracaju mudou de posição. A Cidade saiu do 4º para o 2º lugar entre as cestas básicas mais baratas. O preço na capital, em fevereiro, é de R$ 344,72. Esse valor difere R$ 0,66 da mais barata do Nordeste: Recife. Frente aos demais nordestinos, os aracajuanos pagam 22,6% a mais pela cesta básica em doze meses, tomando como referência o valor da cesta regional, que custa R$ 364,70. Na virada da folha mensal, Aracaju (-3,5%) e outras seis capitais do Nordeste tiveram variações negativas: Maceió (-5,1%), Salvador (-2,9%), Teresina (-1,2%), João Pessoa (-1,1%) e Recife (-0,7%). E em apenas duas cidades ocorreram aumentos na cestas basicas:  Natal (+0,68%) e São Luis (+0,1%). Na Regiãp, como um todo, foi observada redução de 2,1% do valor da cesta básica em fevereiro. Esse movimento deflacionário é atribuído a variações negativas no preço da carne (-2,1%, com peso de 28,3% na cesta mensal), do tomate (-6,1%, com peso de 20,1% na cesta mensal); do feijão (-15,7%, com peso de 7,5% na cesta mensal).  Em sentido contrário, há variações positivas nos preços de três alimentos da mesa do nordestino: manteiga (+4,2%), banana (+3,4%) e óleo (+2,9%).

Café com Empreendedoras

O Café com Empreendedoras é um evento organizado pela Rede Mulher Empreendedora – RME e parceiros, que completa sua segunda edição aqui em Sergipe. Será no dia 23 de março, das 9h às 12h no Comfort Hoteis. A proposta é trazer histórias empreendedoras inspiradoras e oportunidade para muito networking entre as participantes. A primeira edição em Sergipe, que ocorreu em dezembro de 2016 no Sebrae, foi um sucesso. A ação contou com mais de cem empreendedoras que puderam desfrutar de um momento rico onde apresentaram suas empresas, adquiriram conhecimentos e fizeram muitos contatos. O Café é realizado em parceria com o Sebrae e a Rede Comfort de Hotéis. O evento será aberto com palestras sobre temas importantes para o empreendedorismo. Na sequência aconteceu pitchs com empreendedoras, com cinco participantes escolhidas aleatoriamente que têm a oportunidade de apresentar suas empresas. Depois acontecem as histórias de empreendedorismo feminino, onde participam convidadas  que irão contar suas histórias de sucesso. A analista do Sebrae, Aldeci Andrade, também participa do evento. Ela irá divulgar o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios e sensibilizar os participantes a se inscrever no prêmio, que reconhece e premia as melhores iniciativas do público feminino no empreendedorismo brasileiro. “As candidatas concorrem a um troféu, ao selo de vencedora e a uma capacitação em território nacional. O prazo final para se inscrever é 31 de março próximo”.

Seminário Tecendo a Rede em 2 dias

A Assembleia promove, em dois dias – 30 e 31 de março – o Seminário Tecendo a Rede: Atenção a Autores de Violência dee Gênero”, com o objetivo de sensibilizar agentes que desenvolvem ações de atenção à mulher em situação de violência, visando implantar no Estado a política de atenção a autores de violência de gênero. O Seminário vai ser realizado no auditório do Ministério Público de Sergie, no Centro Administrativo Governador Augusto Franco. As inscrições podem ser feitas pelos telefone 3226-3468 e 3216-6626.

Greve sem tempo para acabar

Tempo indeterminado. É quanto vai durar a atual greve dos professores. Eles só voltam ao trabalho quando ocorrer uma solução para o projeto de reforma da Previdência Social. Como não há ainda uma data para esta votação pela Câmara dos Deputados , os professores da Rede Estadual vão ficar no bem-bom, sem fazer nada, por muito tempo. É um pouco exagerado, claro, mas o que há de fazer? Coitadinho dos estudantes da rede pública, que vão ficar prejudicados  para todos os exames do ano.

Fora dos investimentos da Petrobras

Na qualidade de ex-petroleiro, o deputado Francisco Gualberto denunciou na tribuna do Poder Legislativo Estadual que o governo do Sr. Michel Temer retirou os investimentos de uma subsidiária da Petrobras, a Fafen, que, a continuar como está, vai terminar encerrando suas atividades. Para Gualberto, da Petrobras só restarão, ao fim de toda esta pressão do governo federal, as regiões de Carmopolis e um pouquinho de Riachuelo. Segundo ele, o plano de Temer é simplesmente liquidar a Petrobras e o PIB brasileiro. “A próxima etapa do governo, é vender as plataformas da Petrobras tanto em terra como em mar”.

    …e para encerrar…

ADIOU – Bem que a Assembleia Legislativa esperou pelo Secretário da Saúde, Almeida Lima, na manhã de quinta-feira. Mas ele não apareceu. Telefonou para o Presidente da Casa pedindo para marcar uma outra data para vir à Casa fazer um balanço administrativo dos últimos quatro meses. O Presidente Luciano Bispo ficou de, na segunda-feira, fazer a marcação da nova data.
     ***
NADA A VER – O deputado Venâncio Fonseca foi a tribuna para dizer que não teve nada a ver com o encontro entre o Governador Jackson Barreto e o deputado federal André Moura. “O boato ficou rondando a cidade, mas de fato eu não tive nada a ver com este encontro”.
     ***
O QUE SE DIZ – Historinha que corre na internet: “Ainda bem que mulher foi feita de costela porque se fosse feita de picanha, pobre não comia nunca”.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários