AS DUAS FACES DA MOEDA

0

No Brasil, exercitar a cidadania não é muito comum.

 

De um lado, milhões e milhões de brasileiros estão impedidos de ter acesso à saúde, educação, emprego, moradia e segurança. Do outro, vemos, também, brasileiros que tiveram a oportunidade de ter acesso aos pré-requisitos da cidadania e, no entanto, deixam de cumprir os seus deveres de cidadão. São atitudes tomadas, muitas vezes inconscientemente, pois fazem parte de nossa cultura. São heranças recebidas, que nada tem a ver com os direitos e deveres de um cidadão.

 

É possível citar um grande número delas:

 

A – Moradores, para poderem entrar com o carro na garagem de sua casa, alteram, nas ruas de nossas cidades, o leito onde por escoam as águas das chuvas e outras. Usaram o seu direito, mas deixam sempre de cumprirem com os seus deveres, que é o de manterem esses canais sempre limpos, permitindo que a água passe por ali tranquilamente.

 

B – Na aquisição de bens e serviços, na maioria das vezes, não exigimos a nota fiscal. São impostos que o governo pode deixar de arrecadar. O que significa maior dificuldade para o cumprimento de sua missão e o que é pior, onera todos os demais contribuintes, pois sendo menor o número de contribuintes, maior será o valor “per capita” dos que contribuem.

 

C – Locais, bens e imóveis públicos – É dever de todo cidadão zelar pela conservação e limpeza dos mesmos. O que fazemos, porém? Destruímos escolas públicas, deterioramos praças, destruímos jardins, calçadas, florestas etc. etc…, sem atentar que, além de tudo, com esta atitude estamos fazendo um papel de verdadeiro idiota, porque será o nosso dinheiro que irá custear a recuperação de tudo o que destruímos.

 

D – O barulho ensurdecedor com que os clubes infernizam os seus vizinhos. Existem leis limitando o volume do som que pode ser emitido. Existem leis, ou deveriam existir, que definem o plano piloto de nossas cidades, definindo áreas residenciais, industriais, de lazer, etc. Com que convivemos, todavia? Com o total descumprimento do que é definido em lei. O poder não faz cumpri-las e nós, na nossa apatia, não cobramos o nosso direito.

 

Exemplos, poderíamos, ainda, citar muitos outros, mas o que queremos, todavia, é chamar a atenção para este lado perverso da moeda. Quanto mais custarmos cumprir nossas obrigações de cidadãos, mais distante estará a oportunidade de viver num país mais igual e melhor para todos.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários