“ATÉ MORRER”

0

O governo do presidente Lula da Silva (PT), que vem retomando a confiança de segmentos menos esclarecidos do eleitorado brasileiro, não está desmoralizado pelos atos espúrios e corruptos de um ou de outro auxiliar, ou pela ação de aliados que se locupletam do poder. O que mais desacredita o governo são as ações do Planalto para impedir que a sociedade tome conhecimento do mar de lama que inunda um governo, eleito por um partido que decantava moralidade e ética na coisa pública. Foi penosa e ridícula a movimentação e ânsia de senadores do governo em busca da liminar do STF, que fazia calar verdades proferidas por um simples, mas bravo, caseiro de uma mansão alegre situada em Brasília, onde – segundo ele – o ministro da Fazenda, Antônio Palloci, e amigos freqüentavam para se divertir e fazer negociatas com o dinheiro público.

Ninguém tenha dúvida que presidente Lula da Silva assistiu ao início e rápido fim do depoimento. Talvez alcance a repercussão de um escândalo que se incorpora a tantos outros que já foram denunciados. Como bem disse o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato, a decisão do Supremo em suspender o depoimento do caseiro Francenildo Santos Costa na CPI dos Bingos, ontem à tarde, “não foi a bem da moralidade. O caseiro deveria ter sido ouvido. A autoridade é pública, o fato é público, tudo deveria ser apurado. Da mesma forma que a Ordem sempre defendeu a integridade do ministro, também defende a CPI. É no mínimo estranho. Lula sempre disse que seu governo é o mais transparente, que mais investiga, mas na prática age de outra forma”. Isso é verdade. Afinal, o que tem Lula a esconder? Qual a razão de proteger auxiliares que, depois de tantas acusações, dificilmente poderiam tirar uma folha corrida na primeira delegacia da esquina.

O depoimento do caseiro Francenildo Santos Costa, o piauiense Nildo, até a chegada da liminar que impediu a continuidade de sua inquirição, teve um dos maiores índices de audiência da TV-Senado. Boquiaberto, o povo assistia um humilde cidadão desmascarar um poderoso ministro da Fazenda, que mentiu para a CPI ao declarar que jamais freqüentou a alegre mansão do Lago Sul, em Brasília. E, com a mesma indignação, viu uma liminar da justiça impedi-lo de dizer verdades que incomodavam um governo corrupto. É triste constatar que um partido que lutava pela liberdade de expressão, pela democracia plena e por um país ético, honesto e colocado em mãos de políticos que não envergonhassem a Nação, patrocinar atos para reprimir denuncias, com o objetivo de preservar um ministro que não se sustentaria no mais promiscuo governo, e a imagem de um presidente que joga baixo para se manter no poder por mais quatro anos. O povo assistiu tudo isso e deve ter sentido que um frágil caseiro cumpre o dever de cidadão, de sentimento pátrio e pode servir de exemplo para tantos outros que se calam diante de fatos semelhantes, com receio de perder o emprego e a vida. São cúmplices por força da necessidade.

O eleitor, entretanto, poderá seguir o exemplo de Nildo ao teclar a urna eletrônica e derrotar a corrupção.

Durante o depoimento à CPI dos Bingos, até quanto pode, o caseiro Francenildo dos Santos Costa disse que confirmaria “até morrer” que o ministro Antonio Palocci freqüentava uma casa no Lago Sul, em Brasília, alugada por um ex-assessor do ministro, quando ele era prefeito de Ribeirão Preto (SP). Segundo Nildo, Palocci chegava dirigindo um automóvel Peugeot de quatro portas, da cor prata, e a mansão era usada, basicamente, para realização de festas que ocorriam à noite. O caseiro confirmou também que Palocci era tratado por “chefe” pela chamada “República de Ribeirão Preto”, composta por Rogério Buratti, Vladimir Poleto e Ralf Barquete (já falecido). Nildo foi sincero ao negar que o ministro tenha participado das festas promovidas pelos ex-assessores de Ribeirão Preto. Encarregado por recolher o lixo do dia seguinte, o caseiro disse que as festas eram regadas a uísque, pacotes de amendoim e castanha, embalagens de salaminho, camisinhas e caixas de Viagra.

 

CHAPA

Uma fonte importante do bloco de oposição diz que a tendência da chapa majoritária liderada pelo prefeito Marcelo Déda (PT) já estaria composta.

Déda governador, Belivaldo Chagas (PSB) vice e José Eduardo Dutra para o Senado. Os suplentes serão do PL e PTB.

 

INTRIGA

A mesma fonte acrescenta que o Partido Liberal não vai assistir essa formação de braço cruzado e acha que se o PSB indicar o vice, não pode ter candidato a deputado federal.

Com isso sairia prejudicado o candidato Valadares Filho (PSB) que trabalha, com o apoio do pai, para a Câmara Federal.

 

AINDA VICE

Os comentários sobre a chapa majoritária da oposição crescem. A informação mais recente é que a vice será oferecida ao deputado federal Jorge Alberto, para trazer o PMDB.

Mas isso só acontecerá se o bloco governista do PMDB em Brasília conseguir evitar que o partido lance candidato a presidente da República.

 

CRESCIMENTO

O nome de José Eduardo cresceu muito a partir do momento que o presidente Lula da Silva dedilhou um rosário de elogios ao seu trabalho.

Eduardo só seria candidato ao Senado se não desse certo uma composição com o PSDB, que a essa altura está muito difícil.

 

ANDRÉ

Na Assembléia Legislativa, ontem, corria um comentário de que o PSDB, que caminha para uma composição com o PFL, também indicará nome para a chapa majoritária.

A princípio seria o ex-governador Albano Franco para o Senado. O PSDB também aceita o nome de André Moura (PSC) para vice-governador.

 

TRABALHO

Na opinião de pessoas ligadas ao governador João Alves Filho, a primeira tarefa do PSDB para uma composição é colocar Albano Franco como candidato ao Senado.

Admitiram, entretanto, que nesse caso o nome de André Moura para vice era bom, porque Albano continuaria trabalhando com o mesmo afinco no segundo turno.

 

NILSON

O secretário das Finanças, Nilson Lima (PT), deve deixar o cargo até quinta-feira da próxima semana, para disputar uma vaga de deputado federal.

Nilson já vem trabalhando firme no interior e acha que já chegou o momento de deixar a parta para cuidar da campanha e dentro de um entendimento com o prefeito Marcelo Déda.

 

APOIO

O presidente nacional do PFL, Jorge Bornhausen, que o apoio do PSDB em Sergipe e mais nove estados não é uma pré-condição para aliança.

Explicou: “até porque tem estados em que eles podem reivindicar espaço. Não pode ser uma discussão na base de ou tudo ou nada. Tem que ter racionalidade”.

 

PALLOCI

O deputado federal João Fontes chegou ontem de Brasília e declarou: “só num país como o Brasil é que Palloci (Antônio) continua ministro (da Fazenda)”.

Acha que a “esculhambação” se generalizou no país e lembra que Duda Mendonça vai depor em uma CPI, “fica calado e ninguém vai preso”.

 

PRÉVIA

O PMDB em Sergipe está pronto para a prévia, que ocorrerá domingo, que vai escolher Germano Rigotto ou Antony Garotinho para presidente pelo partido.

O deputado federal Jorge Alberto também está animado e é eleitor de Rigotto para candidato do PMDB a presidente da República.

 

ALIADO

O deputado Jorge Alberto, na Câmara Federal integra a ala do PMDB que dá sustentação ao presidente Lula (PT).

Essa posição, aliás, o deputado jamais escondeu. Só agora quando o PMDB decidiu lançar candidato que ele demonstra sua responsabilidade partidária.

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PMDB) também vai participar da prévia do seu partido que escolhe candidato a presidente da República.

Vota em Germano Rigotto e se ele for o candidato escolhido, Almeida Lima já se comprometeu em acompanhá-lo por todo o Brasil durante a campanha.

 

VISITA

A visita do presidente Lula da Silva a Aracaju foi considerada proveitosa pelo grupo da oposição, embora houvesse pouca coisa a fazer.

Na realidade o presidente veio a Sergipe por prestígio do prefeito Marcelo Déda, que queria sua presença em Aracaju antes dele deixar a Prefeitura para disputar o governo do Estado.

 

 

Notas

 

REGRAS

A arrecadação de recursos e gastos por candidatos e comitês financeiros para as eleições gerais de outubro só poderão ocorrer após a solicitação do registro; da inscrição no CNPJ; da obtenção dos recibos eleitorais e da abertura de conta bancária específica para a movimentação financeira de campanha.

Salvo para os candidatos a vice e a suplente. As regras estão definidas na resolução do Tribunal Superior Eleitoral, que dispõe sobre a arrecadação e aplicação de recursos nas campanhas eleitorais e a prestação de contas nas eleições de 2006.

 

RECURSOS

É obrigatória a abertura de conta bancária em nome do candidato e do comitê financeiro para registro de todo o movimento financeiro da campanha, inclusive dos recursos próprios dos candidatos e dos oriundos da comercialização de produtos e realização de eventos, vedado o uso de conta bancária preexistente.

Os candidatos a vice e os suplentes não serão obrigados a abrir conta bancária específica, mas, se o fizerem, os documentos respectivos deverão compor a prestação de contas dos titulares, conforme determina a resolução.

 

TRANSPLANTE

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) aprovou projeto de lei do ex-senador Carlos Bezerra que acrescenta, entre as exigências mínimas dos planos de saúde que incluem internação hospitalar, a cobertura de despesas com cirurgia e transporte de órgãos destinados a transplante do segurado.

O relator, senador Demóstenes Torres (PFL-GO), apresentou substitutivo ao projeto para explicitar melhor a exigência de que os planos de saúde arquem com as despesas relativas à cirurgia de remoção dos órgãos.

 

 

É fogo

 

O deputado Fabiano Oliveira (PSDB) é um dos que não abrem mão da candidatura de Albano Franco ao Senado Federal.

 

O deputado federal João Fontes (PDT) foi um dos que se destacaram em plenário para a cassação do mandato de Pedro Correia (PP).

 

Apesar da cassação de ontem, o Câmara Federal não se redimiu das absolvições que tem mantido na Casa, contrariando o Conselho de Ética.

 

A votação de cassação de mandato tem que ser aberta, para que a sociedade tome conhecimento de quem protege os corruptos.

 

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) mantém o ponto de vista: acha que o partido deve lançar candidatura própria ao governo do estado.

 

O deputado federal Garibalde Mendonça está apelando para que a lei que proíbe colocação de anuncio no vidro traseiro dos ônibus seja respeitada.

 

O deputado Antônio Santos aproveitou a visita de Lula, para pedir que seja consertada o trecho BR-101 de Pedra Branca a Maroim. O apelo não chegou ao presidente.

 

O deputado Francisco Gualberto (PT) denuncia que alguém cortou com faca as faixas de boas vindas ao presidente Lula.

 

Amanhã, comemorando os 151 anos de emancipação política da capital sergipana, acontecerá o “Aracaju Tó-Tó-Tó”.

 

A Barra dos Coqueiros participará recepcionando os festeiros com música, num palanque que será instalado em frente ao Porto das Canoas.

 

O deputado Antônio Passos elogia a implantação da UFS em Itabaiana, mas também quer benefício para os sertanejos de Glória e mais 13 municípios.

 

A mineira Ana Carolina estará se apresentando na praça de eventos Hilton Lopes. É um brinde da Prefeitura Municipal pelos 151 anos de Aracaju.

 

brayner@infonet.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais